Ex-deputado Natan Donadon obtém perdão da pena no STF com base em indulto de Temer

Político – ::Painel Político:: - https://politico.painelpolitico.com

Donadon foi o primeiro deputado em exercício a ter a prisão decretada pelo STF desde a Constituição de 1988

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu indulto (perdão da pena) ao ex-deputado federal Natan Donadon (sem partido), condenado a 13 anos, quatro meses e 10 dias por formação de quadrilha e peculato.

Donadon foi o primeiro deputado em exercício a ter a prisão decretada pelo STF desde a Constituição de 1988. Ele será beneficiado pelo indulto natalino do ex-presidente Michel Temer, decretado em 2017.

O ex-deputado está em livramento condicional desde 2016. Ele começou a cumprir pena no Complexo da Papuda, em Brasília, em 2013, e foi transferido para Vilhena, em Rondônia, em 2016.

O indulto é um perdão de pena e costuma ser concedido todos os anos em período próximo ao Natal. É uma prerrogativa do presidente da República.

Segundo Lewandowski, Donadon já cumpriu os requisitos estabelecidos no decreto para obter o benefício, não cometeu infração disciplinar e já cumpriu um quinto da pena, equivalente a 2 anos, 8 meses e 2 dias de pena até a data de 25 de dezembro de 2017.

“O sentenciado já havia cumprido 5 anos, 5 meses e 5 dias, com o cômputo dos dias remidos, que se inserem como pena efetivamente cumprida”, diz a decisão. “Portanto, que no marco temporal estabelecido no Decreto Presidencial (25/12/2017) houve o transcurso temporal exigido para a concessão do indulto.”

Donadon foi condenado em 2010 pelo Supremo, acusado de liderar uma quadrilha que desviava recursos da Assembleia Legislativa de Rondônia. Os desvios teriam ocorrido de 1995 a 1998 e somaram R$ 8,4 milhões.

O então deputado teve a prisão decretada em 2013 pela Corte, por oito votos a um, quando os ministros julgaram seu último recurso. Em 2014, teve o mandato cassado pela Câmara dos Deputados.

Decreto

O decreto assinado por Temer reduziu para um quinto o período de cumprimento de pena exigido para que o preso por crimes sem violência ou grave ameaça pudesse receber o benefício e obter liberdade. Antes, era necessário cumprir um quarto da pena para obter o benefício.

O decreto foi suspenso pela então presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, em dezembro de 2017.

Em março de 2018, o ministro Luís Roberto Barroso concedeu liminar (decisão provisória) limitando a aplicação do indulto. O ministro aumentou o período de cumprimento para, pelo menos, um terço da pena, permitindo indulto somente para condenados a mais de oito anos de prisão.

O magistrado também vetou a concessão de indulto em casos de crimes de colarinho branco e para quem tem multa pendente.

Porém, em maio deste ano, o plenário do Supremo decidiu validar a norma editada por Temer, que reduziu o tempo de cumprimento das penas a condenados por crimes cometidos sem violência ou grave ameaça, como os de colarinho branco.

Entenda o que acontece em Vilhena, cidade que virou palco de sucessivas operações policiais

Sucessivas denúncias envolvendo prefeito, vereadores, imprensa local e empresários levaram a PF e MP a deflagrar série de operações na cidade, que já era conhecida por ser reduto do clã Donadon

O que parecia ser um simples rompimento político se transformou em um dos maiores escândalos de corrupção do país, envolvendo prefeito, vereadores, advogados e empresários na cidade de Vilhena, a porta de entrada de Rondônia, para quem chega pela BR 364.

O município, que tem como referência política o clã Donadon, cujos principais expoentes estão cumprindo pena por roubo de dinheiro público (Natan Donadon, ex-deputado federal cumpre prisão em regime semiaberto e Marcos Donadon, ex-presidente da Assembleia Legislativa está foragido), se viu envolvida em um turbilhão de denúncias feitas pelo ex-vice prefeito Jacier Dias, que no início de 2015, em num ato simbólico, arrancou a placa de vice da porta de seu gabinete, convocou a imprensa local e anunciou que faria uma série de denúncias contra o então prefeito José Rover. O ato do vice era uma retaliação ao fato do prefeito não lhe dar ‘espaço político’ e de estar colocando-o em uma condição de mero coadjuvante quando ele “queria ajudar”. Jacier anunciou que faria denúncias ao Ministério Público e polícia do que ele chamou de “atos criminosos administrativos”.

Rover e Jacier Dias, rompimento político, denúncias e prisões

Logo após o rompimento, o vice procurou a Polícia Federal e fez as primeiras denúncias, mostrando indícios de que o carro oficial reservado a ele usava havia sido usado numa fraude: a placa do veículo foi usada em documentos como se tivesse disso reformado, o que não aconteceu.

A partir disso, abriu-se a “caixa de Pandora” na prefeitura de Vilhena e se Rover sonhasse o que viria à seguir, jamais teria subestimado a situação.

Em agosto de 2015, a operação Stigma da Polícia Federal que desarticulou um esquema de propina e lavagem de dinheiro entre empresas locais e servidores da prefeitura. Ao todo, foram cumpridos 16 mandados de busca e apreensão, nove de condução coercitiva e cinco prisões preventivas, entre os presos, os advogados Carlos e Bruno Pietrobon. Entre outras irregularidades, a PF descobriu a emissão de notas fiscais para trocas de peças em veículos eram substituídas por valores altíssimos, um exemplo disso, foi uma nota, onde a troca custava R$ 80 e simplesmente era substituída por outra no valor de R$ 1 mil.

Além disso, a PF descobriu um contrato de trabalho, em que uma empresa de engenharia forjou a terceirização de pessoal, com outra empresa que pertence a um ex-servidor da prefeitura. O contrato previa o repasse de quase 10% dos valores envolvidos em pagamentos trabalhistas de cada obra.

A firma do ex-servidor só existia no papel e era movimentada pela própria empresa de engenharia. O fato revelou em um primeiro momento a suspeita da existência de um duto de propina com ares de legalidade.

Marcos Donadon segue foragido da justiça

A partir dessa descoberta e em decorrência da operação ‘Stigma’, o material recolhido em buscas e apreensões revelou a existência de uma contabilidade ‘paralela’. Na ocasião, foi encontrado nos computadores da empresa de engenharia arquivos de planilhas cujos gastos não constam da contabilidade oficial e tinham o nome de “comissões em geral”, dentre outros nomes característicos.

Segundo a PF, o confronto dessas planilhas com o resultado de quebras de sigilo bancários, revelou o pagamento pela empresa de engenharia de grandes quantias a servidores públicos e agentes políticos, sem que até o momento houvesse razão para tanto. O valor dos recebimentos chega a aproximadamente R$1 milhão.

Durante as investigações, a PF deparou-se ainda com superfaturamento em obras no município. No asfaltamento da Avenida Tancredo Neves, por exemplo, valores ilegais que teriam sido pagos pela prefeitura somariam a quantia de cerca de R$ 2,5 milhões.

Também foram identificados pagamentos de quantias da prefeitura, através de cheques de cerca de R$ 300mil, e de empresas de engenharia que prestam serviços ao Município, a uma empresa do ramo de alimentos. Esta empresa, que receberia os valores, teria acabado de fazer doações de campanha e repasses para pagamento de dívidas de pessoas ligadas a ex-servidores públicos municipais. Segundo a PF, este ato é caracterizado como lavagem de dinheiro, peculato, dentre outros crimes.

Natan Donadon, primeiro deputado preso no mandato da história do Brasil, cumpre pena no semiaberto, em Vilhena

Em novembro de 2016, a PF deflagra a Operação Áugias, que prendeu o prefeito José Rover. Ele foi acusado pelo Ministério Público do Estado de ser o líder de um esquema de desvio de verbas através das secretarias municipais de comunicação e de obras, mediante processos administrativos de reconhecimento de dívidas, nos quais empresas eram contratadas sem licitação.

Apurou-se que o grupo criminoso era capitaneado por José Luiz Rover que, em conjunto com Gustavo Valmórbida, ordenava que José Luiz Serafim providenciasse falsos processos de reconhecimento de dívidas, primeiramente, em favor da empresa correios de notícias, ante a necessidade de quitar dívidas de campanha eleitoral com o proprietário da referida empresa, Afonso Locks (falecido), e depois, em favor da empresa V.A. Pasa, em função de outras dívidas pessoais que possuía com a imprensa de Vilhena. para tanto, contaram com a ajuda de Severino Miguel de Barros Júnior, que na condição de Secretário Municipal de Fazenda, garantia os recursos no orçamento da Prefeitura para a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom).

Conforme apurado, a organização criminosa causou prejuízo aos cofres da Prefeitura de Vilhena, apenas neste processo, em torno R$ 720 mil, resultante do pagamento de dívidas pessoais do Prefeito, embora os valores de toda a atividade criminosa ultrapassem a casa dos R$ 4 milhões.

Tropa de Choque

Vereadores teriam recebido propina para liberar loteamento

Um mês antes, em outubro, a Polícia Federal havia deflagrado a Operação Tropa de Choque, que prendeu os vereadores José Garcia, Carmozino Alves, Vanderlei Graebin, Júnior Donadon, Marcos Cabeludo, Jairo Peixoto, Marta Moreira e o então vice-prefeito Jacier Dias.

De acordo com as investigações, os vereadores receberam cerca de R$ 1.750 milhão em propina para a aprovação de um loteamento em Vilhena.  O inquérito apontou que Carmozino Alves recebeu três terrenos no valor de R$ 60 mil. José Garcia recebeu seis terrenos no valor de R$ 120 mil. Vanderlei Graebin foi beneficiado com sete terrenos que totalizam R$ 100 mil e o ex-presidente da Câmara Municipal de Vilhena, Junior Donadon recebeu quatro lotes no valor de R$ 80 mil.

A denúncia apresentada pelo MP ainda aponta valores recebidos pelos vereadores Jaldemiro Dedé Moreira (Jairo Peixoto) e Marta Moreira.

Júnior Donadon cogitou disputar a prefeitura

Em novembro a justiça de Rondônia determinou como medida cautelar o imediato sequestro de bens e valores dos investigados, tendo como base o argumento de que estes teriam recebido valores e bens oriundos de crime de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, recebidos como pagamentos de “propinas”, consistentes em lotes urbanos e valores por meio de cheques, os quais eram recebidos e repassados ou colocados em nome de terceiros, no intuito de ocultar ou dissimular a sua natureza e a origem criminosa.

O sequestro dos ativos financeiros, segundo a justiça, tentava recuperar os R$ 385 mil, dos quais o empresário imobiliário João Carlos Freitas teria pago de propinas aos vereadores envolvidos. Além deles os supostos “laranjas” do esquema também perdem o direito de posse dos terrenos.

Em dezembro de 2016, o Ministério Público apresentou denúncia contra o prefeito de Vilhena, José Luiz Rover; o ex-secretário municipal, Gustavo Valmórbida; o ex-servidor do Gabinete do Prefeito, Bruno Pietrobon, e o empresário Eduardo Braga Molinari, pela prática dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Braga teria pago propina para ter dívidas fiscais reduzidas no município.

As denúncias e as revelações que foram sendo feitas durante todas as operações policiais em Vilhena, continuam rendendo desdobramentos. Nesta quinta-feira, a Polícia Civil deflagrou a Operação Habitus, e tem como alvos o ex-secretário municipal de Integração Governamental, Gustavo Valmórbida, o vereador cassado Wanderlei Graebin (PSC) e sua esposa, além do o ex-vereador Jairo Peixoto.

Carlos e Bruno Pietrobon foram presos no esquema de Rover

Mais desvios

Em junho de 2016, a Polícia Civil prendeu o então secretário municipal de administração Elizeu de Lima. Na operação, também foram presos, o ex-diretor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), Josafá Lopes Bezerra; o ex-secretário municipal de comunicação, José Luiz Serafim; o ex- assessor administrativo, lotado no gabinete do prefeito, Nicolau Júnior de Souza; e o ex-chefe de gabinete da prefeitura, Bruno Pietrobon (pela segunda vez) e o assessor de integração governamental, Severino Miguel de Barros Júnior.

“Essa denúncia veio pelo Ministério Público Estadual (MPE). Basicamente, são questões de reconhecimento de dívida sem licitação. Foram cerca de R$ 2,5 milhões gastos pela prefeitura sem licitar. Isso envolve algumas coisas que foram apuradas pela Polícia Federal (PF) na ‘Operação Stigma’, que eram parte da Justiça Estadual, envolve algumas empresas e também algumas provas obtidas na ‘Operação Água Limpa’ envolvendo o Saae”, explicou na época o delegado regional Fábio Campos.

“Reconhecimento de dívida feito sem licitação é crime. Dentro desses processos de reconhecimento de dívidas há irregularidades, há desvio de verbas, há falsidades ideológicas que estão sendo apuradas. Diante de denúncias, pessoas que já foram ouvidas e fizeram delações, acabaram desembocando nessas prisões “, ressaltou Campos.

Operação Água Limpa’

A ‘Operação Água Limpa’ começou no dia 19 de fevereiro de 2016, por causa de indícios de corrupção no Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae). Agentes fizeram buscas no Saae e apreenderam documentos no prédio. Na ocasião, o delegado Lincoln Mizusaki disse que as investigações sobre o caso começaram em 2015.

As supostas irregularidades teriam acontecido na gestão do diretor Josafá Lopes Bezerra e do adjunto dele, Guilherme Naré. Ambos foram exonerados dos cargos no início de fevereiro deste ano. No decorrer das apurações, um servidor fez denúncias que confirmavam as suspeitas da polícia.

“Temos informações que os dirigentes do Saae estavam comprando combustível e não estava havendo uma contraprestação da empresa fornecedora. Compravam peças de veículos, que não estavam sendo efetivamente utilizadas e que o diretor da autarquia usava a viatura do Saae para fins particulares”, explicou na ocasião, o delegado Lincohn.

O ex-adjunto Guilherme Naré se defendeu das suspeitas e disse que tem a consciência tranquila. “Nos seis anos que trabalhei no Saae não fiz nada de errado e jamais iria fazer. A denúncia do servidor é infundada. A polícia irá investigar e apontar os culpados”, declarou na época.

Depois disso, a polícia desenvolveu a segunda etapa da operação no dia 1º de março, e apreendeu documentos em uma empresa e nas residências de pessoas investigadas. Uma das casas foi a do ex-diretor do Saae, Josafá Lopes Bezerra.

A polícia divulgou que a empresa MWX teria recebido mais de R$ 250 mil, mas não existia de fato. De acordo com o delegado Fábio Campos, uma das sócias admitiu que apenas emprestou o nome para constituir a empresa de fachada.

“Há fortes indícios de desvio de dinheiro público. A empresa não tem uma sede, não tem funcionários e mesmo assim houve cotações e recebimentos dessa quantia em supostos contratos de prestações de serviços ao Saae. Parte desses serviços nós já constatamos através de processos de licitações, que não foram executados”, disse.

De acordo com a PC, o inquérito da segunda fase da operação, que investigava os contratos do Saae com a empresa MWX, foi concluído e enviado ao Ministério Público (MP) e Judiciário. No entanto, a polícia instaurou novo inquérito para apurar outros contratos irregulares do Saae, na terceira etapa.

Segundo o delegado Campos, na ‘Operação Água Limpa’, foram indiciados e proibidos de frequentar ou contratar com a prefeitura de Vilhena, o ex-diretor da autarquia, Josafá Lopes Bezerra; o ex-assessor de gabinete, Washington Luís Sarat de Santos e o sócio da MWX, Marcelo Novaes, por associação criminosa, peculato, falsidade ideológica e fraude em licitações. Dois proprietários de empresas de informática da cidade também foram indiciados por fraude em licitações.

Rosani Donadon foi acusada de nepotismo e de criar “cabide de empregos”

Nova prefeita

Em meio a toda essa confusão, Vilhena elegeu em 2016 a esposa do ex-prefeito de Vilhena, Melki Donadon, Rosani que já foi denunciada por montar um “cabide de empregos” na prefeitura, incluindo a nomeação de parentes.

Vilhena também carrega de forma negativa a fuga do ex-deputado estadual Marcos Donadon, condenado por roubo de dinheiro público quando foi presidente da Assembléia e em 2006, quando foi indiciado na Operação Dominó, quando recebeu recursos da chamada “folha paralela”, que envolveu 23 dos 24 deputados estaduais da época.

Nazif, Anselmo, Donadon, Amorim e outros 439 ex-deputados são denunciados pelo MPF

TRE determina que candidato retire as bandeiras fixadas na Av. Jorge Teixeira e aplicar multa pelo descumprimento

Eles são acusados de usar passagens aéreas do Congresso para fins particulares, outros ex-deputados também foram denunciados

Brasília – Mais de sete anos após o  site Congresso em Foco revelar que parlamentares utilizavam indevidamente a cota de passagens aéreas da Câmara e do Senado para fins particulares, a Procuradoria da República na 1ª Região denunciou, na última sexta-feira (28), 443 ex-deputados por uso indevido de dinheiro público. O crime atribuído a eles é de peculato, cuja pena varia de dois a 12 anos de prisão em caso de condenação. O caso ficou conhecido, em 2009, como a farra das passagens.

Entre os ex-parlamentares denunciados, há representantes dos principais partidos políticos do país e figuras de expressão nacional, como o atual secretário do Programa de Parcerias de Investimentos do governo Michel Temer, Moreira Franco, o prefeito reeleito de Salvador, ACM Neto (DEM), o ex-ministro Ciro Gomes, pré-candidato do PDT à Presidência da República.

Os ex-deputados Antonio Palocci (PT) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presos em razão das investigações da Operação Lava Jato, também são alvos da Procuradoria.

De Rondônia foram denunciados os ex-deputados federais Mauro Nazif, Natan Donadon, Ernandes Amorim, Anselmo de Jesus, Rubens Moreira Mendes e Miguel de Souza. Clique AQUI para ler a reportagem completa no Congresso em Foco e veja a lista completa abaixo, por ordem alfabética:

1. Abelardo Luiz Lupion Mello
2. Acélio Casagrande
3. Agnelo Santos Queiroz Filho
4. Airton Bernardo Roveda
5. Albano do Prado Pimentel Franco
6. Albérico de Franca Ferreira Filho
7. Alceni Ângelo Guerra
8. Alceste Madeira de Almeida
9. Alceu de Deus Collares
10. Alexandre Aguiar Cardoso
11. Alexandre José dos Santos
12. Alexandre Silveira de Oliveira
13. Aline Lemos Correa de Oliveira Andrade
14. Almerinda Filgueiras de Carvalho
15. Almir Morais Sá
16. Almir Oliveira Moura
17. Ana Isabel Mesquita de Oliveira
18. Ana Maria Quintans Guerra de Oliveira
19. André Luiz Costa De Souza
20. André Luiz Vargas Ilário
21. André Zacharow
22. Andreia Almeida Zito dos Santos
23. Ângela Regina Heinzen Amin Helou
24. Ângelo Carlos Vanhoni
25. Anivaldo Juvenil Vale
26. Anselmo de Jesus Abreu
27. Antônia Magalhães da Cruz
28. Antônio Carlos Biffi
29. Antônio Carlos Pannunzio
30. Antônio Carlos Peixoto de Magalhães Neto
31. Antônio Carlos Silva Biscaia
32. Antônio Charles Lucena de Oliveira Mello
33. Antônio da Conceição Costa Ferreira
34. Antônio Elbano Cambraia
35. Antônio Eudes Xavier
36. Antônio Eustáquio Andrade Ferreira
37. Antônio Ferreira da Cruz Filho
38. Antônio José Castelo Branco Medeiros
39. Antônio Marcelo Teixeira Sousa
40. Antônio Palocci Filho
41. Antônio Roberto Soares
42. Aparecida Maria Borges Bezerra
43. Aracely de Paula
44. Armando Abilio Vieira
45. Arnaldo Franca Vianna
46. Ary Kara José
47. Asdrubal Mendes Bentes
48. Astrobaldo Fragoso Casara
49. Athos Avelino Pereira
50. Augusto Cesar Cavalcante Farias
51. Ayrton Alvarenga Xerez
52. Benedito de Carvalho Sá
53. Bernardino Barreto de Oliveira
54. Bernardo Ramos Ariston
55. Bruno Campelo Rodrigues de Souza
56. Camilo Cola
57. Cândido Elpidio de Souza Vaccarezza
58. Carlito Merss
59. Carlos Alberto Cavalcante de Souza
60. Carlos Alberto de Sousa Rosado
61. Carlos Alberto Leréia da Silva
62. Carlos Alberto Moreira de Mendonça Canuto
63. Carlos Augusto Abicalil
64. Carlos Augusto Alves Santana
65. Carlos Daudt Brizola
66. Carlos Eduardo Torres Gomes
67. Carlos Eduardo Vieira da Cunha
68. Carlos Fernando Coruja Agustini
69. Carlos Frederico Theodoro Nader
70. Carlos Marques Dunga
71. Carlos Orleans Brandão Júnior
72. Carlos Roberto Massa Junior
73. Carlos William de Souza
74. Celcita Rosa Pinheiro da Silva
75. Cezar Augusto Carollo Silvestri
76. Cezar Augusto Schirmer
77. Ciro Ferreira Gomes
78. Ciro Francisco Pedrosa
79. Clair da Flora Martins
80. Cláudio Antônio Vignatti
81. Cláudio Castanheira Diaz
82. Cláudio Magrão de Camargo Cre
83. Cleuber Brandão Carneiro
84. Clóvis Antônio Chaves Fecury
85. Clóvis de Jesus Savalla Correa Carvalho
86. Colbert Martins da Silva Filho
87. Cristiano Matheus da Silva e Sousa
88. Custódio Antônio de Mattos
89. Darci Martins Coelho
90. Denise Frossard Loschi
91. Devanir Ribeiro
92. Dilto Vitorassi
93. Djalma Vando Berger
94. Domingos Francisco Dutra Filho
95. Edgar Moury Fernandes Sobrinho
96. Edigar Evangelista dos Anjos
97. Edilberto Afonso de Moraes Junior
98. Edmar Batista Moreira
99. Edmílson José Valentim dos Santos
100. Edna Bezerra Sampaio Fernandes
101. Edson Aparecido dos Santos
102. Edson Ezequiel de Matos
103. Edson Gonçalves Duarte
104. Edson Santos de Souza
105. Eduardo Alves de Moura
106. Eduardo Cosentino da Cunha
107. Eduardo Francisco Sciarra
108. Eduardo Seabra da Costa
109. Edvaldo Baião Albino
110. Eliene José de Lima
111. Elimar Maximo Damasceno
112. Elismar Fernandes Prado
113. Emanuel Fernandes
114. Ênio César Cesilio
115. Enio Egon Bergmann Bacci
116. Enivaldo Ribeiro
117. Érico da Silva Ribeiro
118. Ernandes Santos Amorim
119. Etivaldo Vadão Gomes
120. Eugênio Rabelo
121. Evandro Costa Milhomen
122. Fábio Loureiro Souto
123. Fábio Rodrigues de Oliveira
124. Fátima Lúcia Pelaes
125. Félix de Almeida Mendonça
126. Fernando Antônio Folgado Gonçalves
127. Fernando Barrancos Chucre
128. Fernando Dantas Ferro
129. Fernando Lopes de Almeida
130. Fernando Melo da Costa
131. Fernando Paulo Nagle Gabeira
132. Fernando Ricardo Galbiati Estima
133. Fernando Stephan Marroni
134. Filipe de Almeida Pereira
135. Flávio Bezerra da Silva
136. Florisvaldo Fier
137. Francineto Luz de Aguiar
138. Francisco Almeida Lima
139. Francisco Antônio Sardelli
140. Francisco Ariosto Holanda
141. Francisco de Assis Rodrigues
142. Francisco Ednaldo Praciano
143. Francisco Eduardo Aniceto Rossi
144. Francisco Garcia Rodrigues
145. Francisco Gomes de Abreu
146. Francisco Gonçalves Filho
147. Francisco Marcelo Ortiz Filho
148. Francisco Octavio Beckert
149. Francisco Sérgio Turra
150. Frankembergen Galvão Da Costa
151. Gastão Dias Vieira
152. Geraldo Magela Pereira
153. Geraldo Roberto Siqueira de Souza
154. Geraldo Simões de Oliveira
155. Geraldo Tenuta Filho
156. Geraldo Thadeu Pedreira Dos Santos
157. Germano Mostardeiro Bonow
158. Gerson dos Santos Peres
159. Gervásio José da Silva
160. Gilmar Alves Machado
161. Giovanni Correa Queiroz
162. Guilherme Campos Junior
163. Guilherme Menezes de Andrade
164. Gustavo Bonato Fruet
165. Heleno Augusto de Lima
166. Henrique Afonso Soares Lima
167. Henrique Eduardo Lyra Alves
168. Herculano Anghinetti
169. Homero Barbosa Neto
170. Homero Silva Barreto
171. Humberto Guimarães Souto
172. Ibrahim Abi-Ackel
173. Ilderlei Souza Rodrigues Cordeiro
174. Ildeu Alves de Araujo
175. Iliobaldo Vivas da Silva
176. Inocêncio Gomes de Oliveira
177. Irapuan Teixeira
178. Irineu Mario Colombo
179. Iriny Nicolau Corres Lopes
180. Iris de Araújo Rezende Machado
181. Iris Xavier Simões
182. Isaías Silvestre
183. Itamar Serpa Fernandes
184. Ivan Cesar Ranzolin
185. Ivo José da Silva
186. Jaildo Vieira Reis
187. Jair de Oliveira
188. Jairo Alfredo Oliveira Carneiro
189. Jairo Ataíde Vieira
190. Janete Rocha Pietá
191. Jeronimo de Oliveira Reis
192. Jilmar Augustinho Tatto
193. João Alberto Pizzolatti Junior
194. João Alfredo Telles Melo
195. João Almeida dos Santos
196. João Antônio Rodrigues Bronzeado
197. João Batista Matos
198. João Batista Ramos da Silva
199. João Bittar Junior
200. João da Silva Maia
201. João Eduardo Dado Leite de Carvalho
202. João Felipe de Souza Leão
203. João Fontes de Faria Fernandes
204. João José Pereira de Lyra
205. João Lúcio Magalhães Bifano
206. João Oliveira de Sousa
207. João Paulo Cunha
208. João Paulo Gomes da Silva
209. João Tota Soares de Figueiredo
210. Joaquim Beltrão Siqueira
211. Joaquim de Lira Maia
212. Joaquim Francisco de Freitas Cavalcanti
213. Joel de Hollanda Cordeiro
214. Jofran Frejat
215. Jorge Alberto Teles Prado
216. Jorge de Faria Maluly
217. Jorge dos Reis Pinheiro
218. Jorge José Gomes
219. Jorge Khoury Hedaye
220. Jorge Ricardo Bittar
221. José Abelardo Guimarães Camarinha
222. José Aldo Rebelo Figueiredo
223. José Carlos Machado
224. José Carlos Vieira
225. José Cesar de Medeiros
226. José da Cruz Marinho
227. José de Araújo Mendonça Sobrinho
228. José de Ribamar Costa Alves
229. José Divino Oliveira de Souza
230. José Domiciano Cabral
231. José dos Santos Freire Júnior
232. José Edmar de Castro Cordeiro
233. José Eduardo Martins Cardozo
234. José Eleonildo Soares
235. José Fernando Aparecido de Oliveira
236. José Francisco Cerqueira Tenório
237. José Fuscaldi Cesilio
238. José Genoíno Neto
239. José Gerardo Oliveira de Arruda Filho
240. José Heleno da Silva
241. José Iran Barbosa Filho
242. José Lima da Silva
243. José Linhares Ponte
244. José Lupércio Ramos de Oliveira
245. José Maurício Rabelo
246. José Nazareno Cardeal Fonteles
247. José Paulo Toffano
248. José Rafael Guerra Pinto Coelho
249. José Renato Casagrande
250. José Roberto Santiago Gomes
251. José Santana de Vasconcellos Moreira
252. José Severiano Chaves
253. José Thomaz da Silva Nono Netto
254. José Wilson Santiago
255. Joseph Wallace Faria Bandeira
256. Josias Quintal de Oliveira
257. Jovino Cândido da Silva
258. Julião Amin Castro
259. Júlio Francisco Semeghini Neto
260. Jurandil dos Santos Juarez
261. Jurandy Loureiro Barroso
262. Jusmari Terezinha de Souza Oliveira
263. Juvenil Alves Ferreira Filho
264. Lael Vieira Varella
265. Laurez da Rocha Moreira
266. Lavoisier Maia Sobrinho
267. Leandro José Mendes Sampaio Fernandes
268. Leandro Vilela Velloso
269. Leodegar da Cunha Tiscoski
270. Leonardo José de Mattos
271. Leonardo Moura Vilela
272. Leonardo Rosário de Alcântara
273. Luciana de Almeida Costa
274. Luciana Krebs Genro
275. Luciano de Souza Castro
276. Luciano Ferreira de Sousa
277. Luciano Pizzatto
278. Luiz Alberto Silva dos Santos
279. Luiz Antônio Vasconcellos Carreira
280. Luiz Carlos Bassuma
281. Luiz Carlos Setim
282. Luiz Carlos Sigmaringa Seixas
283. Luiz Eduardo Rodrigues Greenhalgh
284. Luiz Fernando de Fabinho de Araújo Lima
285. Luiz José Bittencourt
286. Luiz Paulo Vellozo Lucas
287. Luiz Piauhylino de Mello Monteiro
288. Luiz Roberto de Albuquerque
289. Manoel Ferreira
290. Manoel Salviano Sobrinho
291. Manuela Pinto Vieira D’Avila
292. Marcello Lignani Siqueira
293. Marcelo Augusto da Eira Correa
294. Marcelo Beltrão de Almeida
295. Marcelo de Araújo Melo
296. Marcelo de Oliveira Guimarães Filho
297. Marcelo Zaturansky Nogueira Itagiba
298. Márcio Alessandro Flexa de Oliveira
299. Márcio Henrique Junqueira Pereira
300. Márcio João de Andrade Fortes
301. Márcio Luiz Franca Gomes
302. Márcio Reinaldo Dias Moreira
303. Marco Aurelio Ubiali
304. Marcondes Iran Benevides Gadelha
305. Marcos Antônio Medrado
306. Marcos Antônio Ramos da Hora
307. Marcos Roberto Abramo
308. Maria Aparecida Diogo Braga
309. Maria Dalva de Souza Figueiredo
310. Maria do Carmo Lara Perpetuo
311. Maria José Conceição Maninha
312. Maria Lucenira Ferreira Oliveira Pimentel
313. Maria Lúcia Cardoso
314. Maria Perpétua de Almeida
315. Mariângela de Araújo Gama Duarte
316. Marina Terra Maggessi de Souza
317. Mario Assad Junior
318. Mario de Oliveira
319. Matteo Rota Chiarelli
320. Maurício Gonçalves Trindade
321. Maurício Rands Coelho Barros
322. Mauro Nazif Rasul
323. Miguel de Souza
324. Mílton João Soares Barbosa
325. Moisés Nogueira Avelino
326. Murilo Zauith
327. Narcio Rodrigues da Silveira
328. Natan Donadon
329. Neilton Mulim da Costa
330. Nelson Goetten de Lima
331. Nelson Luiz Proenca Fernandes
332. Nelson Roberto Bornier de Oliveira
333. Nélson Tadeu Filippelli
334. Neri Geller
335. Neucimar Ferreira Fraga
336. Neudo Ribeiro Campos
337. Nice Lobão
338. Nicias Lopes Ribeiro
339. Nilmar Gavino Ruiz
340. Nilson Moura Leite Mourão
341. Nilton Gomes Oliveira
342. Odacir Zonta
343. Odilio Balbinotti
344. Olavo Calheiros Filho
345. Orlando Desconsi
346. Orlando Fantazzini Neto
347. Osmanio Pereira de Oliveira
348. Osmar Ribeiro de Almeida Junior
349. Osório Adriano Filho
350. Osvaldo de Souza Reis
351. Paulo Afonso Evangelista Vieira
352. Paulo César Baltazar da Nóbrega
353. Paulo César da Guia Almeida
354. Paulo César de Oliveira Lima
355. Paulo Henrique Ellery Lustosa da Costa
356. Paulo José Gouvêa
357. Paulo Piau Nogueira
358. Paulo Roberto Barreto Bornhausen
359. Paulo Roberto Manoel Pereira
360. Paulo Rubem Santiago Ferreira
361. Pedro Henry Neto
362. Pedro Irujo Yaniz
363. Pedro Novais Lima
364. Pedro Pedrossian Filho
365. Pedro Ribeiro Filho
366. Pedro Wilson Guimarães
367. Raimundo Sabino Castelo Branco Maues
368. Raquel Figueiredo Alessandri Teixeira
369. Raul Jean Louis Henry Junior
370. Raymundo Veloso Silva
371. Rebecca Martins Garcia
372. Regis Fernandes de Oliveira
373. Reinaldo Gripp Lopes
374. Reinaldo Nogueira Lopes Cruz
375. Reinaldo Pereira Pinto
376. Reinaldo Santos e Silva
377. Reinhold Stephanes
378. Remi Abreu Trinta
379. Renato Cozzolino Sobrinho
380. Renato Fauvel Amary
381. Renildo Vasconcelos Calheiros
382. Ricardo José Ribeiro Berzoini
383. Ricardo Nagib Izar
384. Ricardo Quirino dos Santos
385. Ricarte de Freitas Júnior
386. Rita de Cássia Paste Camata
387. Robério Cássio Ribeiro Nunes
388. Roberto Lúcio Rocha Brant
389. Roberto Magalhães Melo
390. Robson Lemos Rodovalho
391. Rodolfo Pereira
392. Rodrigo Santos da Rocha Loures
393. Rogério Martins Lisboa
394. Roland Lavigne do Nascimento
395. Romel Anizio Jorge
396. Ronaldo Cezar Coelho
397. Ronaldo de Brito Leite
398. Ronaldo Dimas Pereira Nogueira
399. Rubeneuton Oliveira Lima
400. Rubens Moreira Mendes Filho
401. Salatiel Sousa Carvalho
402. Salvador Zimbaldi Filho
403. Sandra Maria da Escossia Rosado
404. Sandro Antônio Scodro
405. Sandro Matos Pereira
406. Saturnino Masson
407. Sebastião Ferreira da Rocha
408. Sebastião Torres Madeira
409. Selma Maria Schons
410. Sérgio Antônio Nechar
411. Sérgio Barradas Carneiro
412. Sétimo Wanquim
413. Severiano Alves de Souza
414. Silas Brasileiro
415. Sílvio Lopes Teixeira
416. Sílvio Roberto Cavalcanti Peccioli
417. Simplício Mario de Oliveira
418. Solange Amaral
419. Solange Pereira de Almeida
420. Sueli Rangel Silva Vidigal
421. Suely Santana da Silva
422. Talmir Rodrigues
423. Tarcísio João Zimmermann
424. Telma Sandra Augusto De Souza
425. Thelma Pimentel Figueiredo de Oliveira
426. Uldorico Alves Pinto
427. Urzeni da Rocha Freitas Filho
428. Valdemar Costa Neto
429. Vanderlei Assis de Souza
430. Vandeval Lima Dos Santos
431. Victor Pires Franco Neto
432. Vilson Luiz Covatti
433. Virgílio Guimarães de Paula
434. Vitor Penido de Barros
435. Walter Correia de Brito Neto
436. Walter Shindi Iihoshi
437. Wandenkolk Pasteur Gonçalves
438. Wellington Moreira Franco
439. William Boss Woo
440. Wilson João Cignachi
441. Wilson Leite Braga
442. Zelinda Novaes e Silva Jarske
443. Zenaldo Rodrigues Coutinho Junior

Coluna – Família Donadon mantém a truculência e apreende, por conta própria, jornal oposicionista

Coluna Painel Politico, jornalista Alan Alex

Melki invadiu, acompanhado de capangas, uma gráfica em Vilhena e levou todo o material que havia sido impresso

Irresponsabilidade

É apenas dessa forma que se pode classificar a zona criada pelos deputados estaduais Jesuíno Boabaid e Hermínio Coelho em proporem (e pior, conseguirem aprovar) a insanidade de permitir o garimpo no rio Madeira. Uma aberração que não encontra amparo nem antecedentes, uma medida meramente politiqueira e populista. Garimpo não é profissão, é aventurar. Os donos das dragas e balsas, que não chega a meia dúzia, colocam um monte de gente desesperada para “protestar” pela permissão de garimpar em Porto Velho, um verdadeiro retrocesso social e econômico, já que mantém esse povo na miséria.

E não venham dizer

Que o garimpo “sustenta centenas de famílias”. Nasci e fui criado em Rondônia na época do garimpo, conheci centenas de garimpeiros e todos repetem o mesmo mantra “se não gastar tudinho, não consegue mais ouro”. Daí o motivo de praticamente todos viverem, perdoem-me o palavreado, “na merda”. Esse movimento começou na base do “se colar, colou”  e foi capitaneado pelos dois deputados que menos entendem de legislação, mas entendem bem de populismo barato.

O que deveria ser feito

A Assembleia Legislativa tem uma escola, que poderia ser utilizada na capacitação de pessoas desempregadas. Atualmente um curso profissionalizante custa uma fortuna, o Sistema S, que antes fazia esse trabalho, não faz mais. O Estado brasileiro é omisso, empurra (e mantém) as pessoas na informalidade, em sub-empregos e não ajuda para que eles produzam e se qualifiquem. Cada um ganha a vida como pode, mas o garimpo não é uma opção para uma cidade como Porto Velho, que luta para se tornar bela e é constantemente atrapalhada por administrações medíocres como foi em toda sua história ou por sandices como essa protagonizada pela dupla Boabaid/Coelho.

Coronelismo

Não dá para entender a população de Vilhena, que aceita tanta desonestidade e truculência de uma família que manda e desmanda na cidade, e pior, com a anuência de muita gente importante. Das duas uma, ou se lambuzam no mesmo pote da corrupção ou tem medo. A família Donadon é o que de pior pode existir na política brasileira e se perpetua. Exemplo disso foi a invasão de uma gráfica, capitaneada (e conduzida) por Melki Donadon para apreender, por conta própria, a edição impressa do Rondoniagora, que traz reportagem falando o que até os bagres do Madeira já sabem, que Melki é ficha suja, que usa a esposa como laranja para voltar ao comando do município e tem como irmãos o foragido, condenado por roubo Marcos Donadon e o apenado Natan Donadon, que usa tornozeleira em cumprimento a uma pena também por roubar dinheiro público.

Melki Donadon

Vem agindo com truculência há anos, já colocou sobrinho na prefeitura (que também foi condenado), já aprontou de tudo em Vilhena. Mas muita gente, principalmente quem vive nas regiões mais pobres da cidade, desconhece esse lado, já que Melki é campeão em populismo barato. O jornal acionou judicialmente para tentar reaver o material que foi “apreendido” sabe-se lá com que ordem, já que não foi apresentado nenhum documento de busca. Coisas de uma cidade que ainda se curva à uma família encalacrada com a justiça.

Fora do debate

O candidato Pimenta de Rondônia, que disputa a prefeitura de Porto Velho não vai participar do debate promovido pela TV Rondônia. Ele não pontuou o suficiente nas pesquisas Ibope (5%) e o TRE negou recurso.

Em Pimenta

Confúcio Moura esteve na cidade na manhã desta quinta-feira, mas aproveitou a visita para apoiar o prefeito Jean Mendonça, candidato à reeleição e adversário da candidata apoiada pelo PMDB, a dona de casa Juliana Roque. Após entrevista em uma rádio da cidade, Confúcio foi para uma caminhada com sua candidata. É a “arte de ser Confúcio”.

Clínica Mais Saúde informa – Casca de romã pode prevenir Alzheimer, diz estudo

A romã pode ajudar a prevenir o Alzheimer. De acordo com um estudo realizado por pesquisadores da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da Universidade de São Paulo (USP) em Piracicaba (SP), a casca da fruta é rica em substâncias que ajudam a combater sintomas da doença, como a falta de memória. Maressa Caldeira Morzelle, doutora em Ciência e Tecnologia de Alimentos, da Esalq/USP, explicou ao G1 que a casca da fruta, que geralmente é descartada, concentra a maior quantidade das substâncias que trazem benefícios à saúde, como a prevenção do Alzheimer. “A casca tem dez vezes mais dessas substâncias antioxidantes que a polpa”, explicou. Embora os animais do estudo tenham sido tratados com extrato da casca da romã, porque o gosto desagradável da casca poderia dificultar a ingestão pelos animais, a pesquisadora afirma que “as pessoas podem fazer suco ou chá com a casca” para usufruir dos benefícios da fruta. Como o efeito da substância é preventivo, Maressa recomenda começar a consumir a casca da romã ainda jovem. “O ideal é que as pessoas comecem a consumir a casca da romã o quanto antes, pois assim será cada vez menor a possibilidade de desenvolver o Alzheimer”, diz.

Natan Donadon tem pena reduzida e poderá frequentar cultos religiosos

Natan Donadon tem pena reduzida e poderá frequentar cultos religiosos

Natan Donadon pede para fazer visitas ao filho

O ex-deputado federal Natan Donadon, condenado a 13 anos e quatro meses de reclusão, foi transferido de Brasília para Vilhena no começo deste ano a fim de cumprir o restante de sua punição na Colônia Penal do município. No entanto, por conta do trabalho, Natan poderá usufruir o direito à remição de pena.

“Considerando as folhas de ponto, bem como a certidão do Oficial de Justiça de fls. 1297, comprovando o trabalho realizado, defiro o pedido de fls. 1291, determinando a realização de novo cálculo de pena, computando-se as remições comprovadas”, determinou o juiz de Direito Adriano Lima Toldo, da 2ª Vara Criminal de Vilhena em decisão tomada na última quarta-feira (20).

A remição da pena, conforme preconiza a Lei de Execução Penal (Lei 7.210/84), é uma forma de resgate de parcela da pena privativa de liberdade por meio do trabalho do preso que, assim, diminui o tempo de sua condenação. Essa redução se faz à razão de um dia de pena por três de trabalho.

CULTOS RELIGIOSOS AOS DOMINGOS

A defesa de Donadon também solicitou que Donadon pudesse participar de cultos religiosos.

O magistrado acatou o pedido, dizendo:

“Quanto a frequência a cultos religiosos, sendo salutar para a finalidade da execução, defiro o pedido, autorizando o apenado a frequentar cultos religiosos na Igreja Batista Manancial, situada na rua José Mendes, n. 896, bairro Jardim Eldorado, nesta cidade, somente aos domingos, no horário compreendido entre 19h30min e 21h30min, devendo aquela instituição religiosa remeter relatório mensal a este juízo quanto a efetiva frequência do apenado”, destacou.

A Justiça ainda avaliou a solicitação de saída temporária pelo condenado sob prexto de visitar um filho. Para obter a autorização, o membro expulso do PMDB deverá seguir recomendações do Poder Judiciário.

“Por fim, no tocante a saída temporária, informe a Defesa o endereço onde reside o filho que pretende visitar e onde o apenado poderá ser encontrado durante o possível benefício, em 5 dias, sob pena de indeferimento”, concluiu o juiz Adriano Lima.

 

Fonte: Rondoniadinamica

Marcos e Natan Donadon, Mário Calixto e outros terão bens leiloados

Notas exclusivas de Painel Político

O juiz Edenir Sebastião, da 2ª Vara da Fazenda Pública determinou a avaliação e penhora de bens em nome dos irmãos Marcos e Natan Donadon (ex-deputado estdual e ex-deputado federal, respectivamente), do ex-senador Mário Calixto (que está preso), Omar Miguel da Cunha, Euclides Fieri de Oliveira Júnior, Luiz Carlos Fioravanti e Gernir José Werlang.

Todos já foram condenados pela justiça por improbidade administrativa e desvios de recursos públicos em sucessivas ações judiciais. Mário Calixto Filho, proprietário do extinto jornal O Estadão do Norte, que durante três décadas foi o mais importante de Rondônia, está com todos os bens bloqueados e praticamente todos penhorados judicialmente. Ele cumpre pena em presídio federal, após ter ficado foragido, depois de ter empreendido fuga de um hospital particular.

Já o ex-deputado Marcos Donadon está foragido, desde que a justiça de Rondônia decretou sua segunda prisão, no mês passado. Natan Donadon cumpre prisão domiciliar em Vilhena, região sul do Estado.

Mandado de penhora foi publicado no Diário da Justiça
Mandado de penhora foi publicado no Diário da Justiça

Donadon consegue transferência para Vilhena pelo STF

Natan Donadon tem pena reduzida e poderá frequentar cultos religiosos

Em novembro de 2015, o juízo de Execuções Penais de Vilhena informou que havia vaga no município, para o cumprimento da pena em regime semiaberto

O Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou a transferência do ex-deputado federal, Natan Donadon (sem partido), para um presídio em Vilhena (RO), a cerca de 700 quilômetros de Porto Velho. Donadon foi condenado há 13 anos, quatro meses e 10 dias por formação de quadrilha e peculato em Rondônia. O ex-parlamentar cumpria pena no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília e chegou à cidade, onde a família reside, no sábado (2). Donadon é o primeiro parlamentar que no exercício do cargo teve prisão decretada pelo STF desde a Constituição de 1988.

Segundo o STF, a defesa fez o pedido de transferência à Vara de Execuções Criminais do Distrito Federal e teve que comprovar o vínculo familiar com o município e disponibilidade de vaga em unidade prisional.

Em novembro de 2015, o juízo de Execuções Penais de Vilhena informou que havia vaga no município, para o cumprimento da pena em regime semiaberto. Com isso, a mudança foi autorizada em março, pela ministra Cármen Lúcia.

Na ocasião, a ministra, embasada na Lei de Execução Penal (LEP), observou que “o local ideal para o cumprimento da pena é aquele próximo ao meio social do condenado, ou seja, onde residem a família e amigos, o que facilita sua reinserção à sociedade”.

Conforme o STF, após a transferência, o juízo de Execuções Penais local deve encaminhar mensalmente ao Supremo, um relatório circunstanciado sobre o cumprimento da pena de Donadon.

O advogado Cesar Stefanes explica que Donadon está cumprindo a pena no regime semiaberto na Colônia Penal em Vilhena e aguarda uma audiência que definirá o local de trabalho e outras restrições inerentes da pena.

Segundo Stefanes, Donadon já tem propostas de trabalho no município. “Estamos aguardando a Vara de Execuções Penais de Brasília enviar o processo dele para Vilhena, para que aconteça essa audiência”, resume.

Condenação
Segundo a acusação do Ministério Público Federal (MPRF), Donadon liderava um esquema que desviou R$ 8,4 milhões da Assembleia Legislativa de Rondônia, onde exercia o cargo de diretor financeiro, entre 1995 e 1998. Em junho de 2013, o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou recursos apresentados pela defesa e mandou prender o ex-deputado.

Em fevereiro de 2014, Natan teve o mandato cassado pela Câmara dos Deputados durante votação aberta em Brasília. Seis meses antes, em votação secreta, o plenário havia mantido o mandato de Donadon, que, na época, disse que “a justiça estava sendo feita”.

Em julho de 2015, Natan Donadon passou para o regime semiaberto. Desde então, ele trabalhava durante o dia em uma empresa de Brasília e retornava à unidade prisional para dormir. O ex-deputado não informou o local de trabalho.

Apesar da condenação, Donadon afirma que é inocente. “Quero deixar bem claro que sou inocente, que não cometi nenhum ilícito. Isso foi tudo um equívoco que acontece”, enfatizou em entrevista à Rede Amazônica, afiliada da Rede Globo, em dezembro de 2015.

Com informações do G1

No país da impunidade, ex-deputado de Rondônia condenado por roubo vai ser transferido para casa

Natan Donadon tem pena reduzida e poderá frequentar cultos religiosos

O ex-deputado federal Natan Donadon que está preso há pouco mais de 3 anos de uma sentença de 13 anos e 4 meses, aguarda ansioso sua transferência da Papuda para Vilhena, onde pretende “trabalhar” em uma loja de pesca de propriedade de seu cunhado Reinaldo Alevato e “se recolher em casa no período noturno”. Natan aguarda apenas um parecer do Procurador Geral de Justiça Rodrigo Janot, que segundo ele próprio informou, “deve ser positivo e ser dado nos próximos dias”.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Enquanto isso, os cofres públicos rondonienses sangraram um prejuízo de mais de R$ 8 milhões entre os anos de 1995 a 1998. O irmão de Natan, Marcos Donadon que era deputado estadual, também foi preso pelo mesmo crime. Na época, Marcos era presidente da Assembleia e Natan secretário-geral.

Coluna – Enquanto secretário recebe R$ 88 mil, sócio-educadores estão há quatro meses sem salário

Contratados por determinação da justiça, 150 sócio-educadores ainda aguardam entrada na folha de pagamento do Estado

Pois é

Ao invés de ovos, tomates e protestos, tivemos abraços carinhosos, afagos, entrevistas e sorrisos. Assim foi a recepção ao ex-deputado federal Natan Donadon em Vilhena no último sábado, quando visitou a cidade após obter uma autorização judicial depois de pouco mais de dois anos preso, condenado por roubar dinheiro da assembleia legislativa junto com seu irmão, que também cumpre pena pelo mesmo crime, Marcos Donadon, ex-deputado estadual. Como dissemos na coluna anterior, depois não adianta reclamar de político corrupto no Facebook. Alguém quer apostar que, não fosse a lei do ficha limpa tanto Natan quanto Marcos seriam eleitos novamente?

Em Guajará?

João Carlos Bumlai, amigo de Lula, preso na semana passada na Operação Lava-Jato alega ter ganho R$ 2 milhões em um sorteio de título de capitalização do Bradesco. Até aí nada demais, exceto pelo fato dele ter ganho em Guajará-Mirim, cidade que até onde se sabe, ele nunca passou nem sobrevoando. Ele foi “sorteado” em dezembro de 2012 e resgatou o prêmio em janeiro de 2013. Em dinheiro vivo.

“Papai chegou”

Pois é, foi com essa frase que os cerca de 100 militantes petistas recepcionaram o ex-presidente Lula no aeroporto de Rio Branco (AC), em uma chegada xoxa bem diferente do final da década de 90, quando o país estava em um frenesi da chamada “onda Lula”. Do aeroporto, o ex-presidente seguiu para um hotel onde passou a noite e na manhã desta segunda-feira foi à Brasiléia inaugurar o frigorífico Dom Porquinho. Por lá, um grupo de manifestantes aguardava Lula com faixas e bonecos do “PixulecO”, porém, a tal “juventude petista” chegou e partiu para a agressão. A inauguração terminou em confusão.

Na verdade

A inauguração do frigorífico era apenas um pano de fundo para que Lula avaliasse sua real situação e quem sabe, desse uma massageada no ego, que anda mais baixo que barriga de cobra. No Acre, Lula sempre foi visto como herói. Era calorosamente recebido. Visitou o Estado várias vezes quando presidente e deu dinheiro à rodo para que os Vianas tocassem o governo. Dessa vez foi diferente e ele sentiu o baque. Nem o Acre salva Lula. É o começo do fim.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Por lá

Prestigiando o ex-presidente está o vice-governador de Rondônia Daniel Pereira, que já foi uma estrela do PT. Daniel foi deputado estadual duas vezes pelo partido (1995 a 2002). Confúcio ia, mas não foi e mandou Pereira representa-lo.

Duas do Confúcio

O governador publicou na última sexta-feira no Diário Oficial do Estado a exoneração do coronel bombeiro Lioberto Caetano, da direção do DER. Em seu lugar assume Izequiel Neiva. O mesmo Diário já trouxe essa nomeação. Com isso, espera-se que o DER comece a funcionar de verdade, já que passou 9 meses completamente parado. Servidores da SEDAM também guardam expectativa que o atual secretário seja exonerado antes do final do ano, “seria um grande presente de natal que o governador nos daria”, disse um servidor do órgão. Esperança é a última que morre…

Outra

O governador enviou projeto de lei para a Assembleia reajustando em 50% a mais o valor do IPVA para 2016. O governo alterou a nomenclatura da potência dos veículos. Carros, antes, eram classificados como “cavalos de força” (hp = horse power), e passaram a cilindradas. Essa alteração permitiu um reajuste ano passado e vai permitir também para 2016. O projeto, porém, precisa de aprovação da Assembleia Legislativa, o que não vem a ser um grande empecilho, já que a atual legislatura aprova tudo que o governo manda.

Rebelde

Quem já se manifestou e disse que vai votar contra é o deputado estadual Léo Moraes, que não quer nem saber de aumento para a população, “ainda não vi, mas já antecipo que não vou aprovar tal reajuste. A sociedade não aguenta mais pagar contas do poder público”, disse o parlamentar. A “oposição” pode contar com certeza com dois votos, o de Léo e o de Hermínio Coelho. Já os demais…

Preço alto demais

O IPVA de Rondônia já está entre os maiores da Região Norte. Tocantins cobra 2% Pará,  2,5% Amapá, 3% Amazonas, 3% Roraima, 3% Rondônia, 3% Acre, 2%. Com esse novo reajuste. vamos estar entre os maiores do Brasil, nos igualando estados como o Rio de Janeiro e Minas Gerais, que possuem outra realidade econômica. Quem tem placa final 1 se prepara para a porrada já em janeiro.

R$ 88 mil

Foi quanto o secretário da SEJUS recebeu em pecúnia entre setembro e novembro deste ano. O pagamento não é ilegal, o problema é que apenas os coronéis de Confúcio (é, ele tem vários) estão conseguindo receber tudo quanto é direito. Os demais servidores dão de cara na porta e sequer são atendidos. Atualmente os coronéis de Confúcio comandam a SEDAM, SEJUS e Folha de Pagamento. Todos recebem salários de oficiais, mais uma gratificação pelo cargo de chefia. Isso dá, em média, a bagatela de R$ 23 mil por mês.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Enquanto isso

150 sócio-educadores que foram convocados por força de Ação Civil Pública tomaram posse há quatro meses e até hoje não receberam salário. Eles estão responsáveis pelas três unidades de internação masculina e feminina de adolescentes em conflito com a lei. E a gente sabe bem como funcionam essas unidades, em condições precárias. Em média, novos servidores demoram três meses para entrar na folha, mas isso já devia ter mudado. Falta de gestão na folha de pagamento que é comandada por um coronel.

Registro

Morreu no Hospital Universitário de Brasília a professora e pesquisadora aposentada da Universidade Federal de Rondônia Francisca Francinete Santos Perdigão. Ela também era  doutora pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Natual do Maranhão, Francinete lutava contra um câncer. Ela foi autora do livro Migrantes amazônicos: Rondônia : a trajetória da ilusão.

Improvável, mas não impossível

A ameaça do judiciário em promover eleições manuais em 2016 é uma pressão pesada contra o Congresso e contra o Palácio da Alvorada para que não sejam cortadas verbas do Judiciário. De acordo com Ricardo Lewandowski, ministro que preside o STF, o Tribunal Superior Eleitoral estaria licitando novas urnas eletrônicas, e não conseguirá concluir no processo caso seja mantido o contingenciamento em vigor. A grande questão é que, se o TSE não tem urnas eletrônicas, também não dispõe de urnas manuais suficientes para atender todo o país. Portanto fica claro que, se o orçamento do Judiciário for de fato reduzido, não teremos eleições em 2016, pois vão faltar urnas eletrônicas e manuais. Pouco provável que isso ocorra. Mas, como estamos no Brasil, tudo é possível…

Clínica Mais Saúde informa – Cientistas testam efetividade da aspirina na prevenção do câncer de cólon

Pesquisadores do Centro Nacional do Câncer do Japão e do Centro de Doenças de Adultos de Osaka iniciaram um estudo com 7.000 pacientes, o maior até o momento, para testar a efetividade da aspirina na prevenção do câncer de colón. Esse exame clínico já foi realizado com centenas de pessoas e a partir de agora se estenderá a outros 7.000 pacientes para dar sequência ao estudo dirigido pelo médico Hideki Ishikawa, da Universidade de Kioto, informou nesta segunda-feira o jornal “Yomiuri”. Participarão pacientes com idades entre 40 e 69 anos e que tenham sido submetidos previamente a uma intervenção cirúrgica para a retirada de um pólipo com altas possibilidades de mutação do câncer. Cerca de 25 % dos pacientes que passaram pela cirurgia para a retirada de um pólipo com mais de um centímetro de diâmetro poderia desenvolver câncer de cólon ou de reto, segundo dados da equipe médica que iniciou o estudo sobre a aspirina. Iniciada em outubro, está previsto que a pesquisa dure sete anos, quatro deles dedicados a realizar testes nos pacientes e outros três posteriores para analisar os resultados. Seria a primeira vez que se realiza um teste destas características com um remédio, que em princípio não é usado para tratar a doença que se procura prevenir. No entanto, alguns estudos já assinalaram os benefícios que a ingestão de aspirinas pode ter em alguns pacientes que sofrem ou têm risco de padecer determinados processos cancerígenos. Neste mesmo ano um grupo de cientistas britânicos das universidades de Newcastle e de Leeds demonstrou que tomar uma aspirina ao dia poderia ajudar pessoas que sofrem de sobrepeso a prevenir o desenvolvimento de câncer de cólon. Além disso, a ingestão de ácido acetilsalicílico poderia reduzir o risco de sofrer alguns tipos de câncer de pele ou as possibilidades de contrair câncer de estômago e intestino, segundo publicaram recentemente as revistas “Nature” e “Annals Of Oncology”.

Coluna – Condenado e preso por roubo, Natan Donadon será recebido com festa em Vilhena

População está sendo convocada para participar da chegada do primeiro deputado federal preso no mandato na história do Brasil

Era golpe

O plano de fuga montado por Delcídio Amaral para Nestor Cerveró era o típico golpe que político aplica nos incautos que confiam neles. Não tinha como dar certo. Primeiro porque Cerveró tem uma deficiência na face que não tem como ser corrigida. Com seu rosto estampando páginas de notícias por todo o mundo, seria facilmente reconhecido. Depois que, tão logo fosse considerado foragido, qualquer delação que ele viesse a fazer quando fosse capturado, perderia o valor. Delcídio estava armando uma cama de gato para seu ex-assessor na Petrobrás. Coisa de político safado mesmo.

Certeza de culpa?

Mal Delcídio foi preso, o presidente do PT Ruy Falcão emitiu nota anunciando que o partido não prestaria nenhum apoio ou solidariedade e já deu início a conversas sobre a expulsão do senador da legenda. Interessante essas avaliações de caráter por parte dos petistas. Aqui em Rondônia tivemos um prefeito do partido preso (Roberto Sobrinho) e a companheirada o aliviou. José Dirceu continua petista, assim como Vaccari e Genoíno. Será que é porque eles não foram gravados?

Vai falar

A mulher de Delcídio já avisou que quer passar o natal com o marido em casa. E vem pressionando para que ele “entregue geral”. A força tarefa da Lava-Jato não quer mais saber de Cerveró e companhia. Quer Lula, Dilma e Temer. Era Delcídio que vinha fazendo a “correria” pelo trio e por ele próprio. E agora, quem vai “conversar” com Delcídio? Será que vão mandar ele fugir para Cuba?

E o peixe?

Romário se enrolou todo. O baixinho que tinha feito um gol de letro contra Veja no caso da conta bancária na Suíça, afirmando na época que “nunca teve nenhuma relação com o banco”, agora diz que já teve conta lá sim no passado. O banco suíço pertence ao BTG, de André Esteves e na conversa entre o senador Delcídio e o banqueiro, eles falam que “limparam a barra” de Romário em troca de apoio a Eduardo Paes, pela prefeitura do Rio. Ficou pior, muito pior para o baixinho…

Tragédia

Um grave acidente ocorrido na tarde desta quinta-feira matou cinco pessoas que viajavam em um Honda Civic, com placas de Porto Velho. Morreram dois homens, uma mulher e duas crianças, sendo um bebê de colo. De acordo com a Polícia Rodoviária foi uma colisão frontal. Chovia forte na hora do acidente. A pergunta que fica é, até quando pessoas vão continuar morrendo nessa BR 364 por descaso do governo federal que não duplica a estrada?

[su_frame align=”right”]//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js // [/su_frame]E a Caerd?

Pois é. Pelo que noticiamos na última coluna já dá para ter uma idéia de como as coisas andam correndo soltas na Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia, que está quase falida e mesmo assim torra milhares de reais com viagens inúteis. E nem vamos falar dos altos salários que são pagos a toda a diretoria e servidores comissionados.

Vai na Prime

A Prime Espaço Gourmet produziu nesta sexta-feira linguiça de pernil com queijo Minas padrão. Tem ainda uma linha especial de carré de cordeiro e carnes de wagyu e bife ancho australiano. A Prime fica aberta nesta sexta até às 19h30min. É logo ali, na Jorge Teixeira, 2773, em frente aquele posto que sempre tem fila para comprar gasolina.

Confusão à vista

Servidores do Estado que a partir desta sexta-feira estão atendendo no “Tudo Aqui”, nome que rebatizou o Shopping Cidadão, estão revoltados com as normas que o governo quer implantar, entre elas a distribuição ilimitada de senhas de atendimento. Mas isso tem uma razão, não é que eles (os servidores) não queiram atender o público. O problema é que não foi feita nenhuma melhoria nas equipes. A quantidade de pessoal continua a mesma, e vários órgãos já estão sobrecarregados.

A Polícia Civil

Por exemplo, responsável pelo setor de identificação (expedição de carteiras de identidade), não consegue dar conta do grande volume e com a distribuição de senhas limitadas a coisa já está aperreada, sem limitação vai ficar ainda pior. Isso prova, mais uma vez, que planejamento nesse governo é uma lenda urbana.

Eita Brasil….

O brasileiro é o povo mais instável que conheço. Reclama da classe política o tempo todo, mas precisa de uma lei que o impeça de votar em político ladrão. Prova disso é que se não houvesse a lei do ficha limpa, muitas ratazanas ainda estariam na vida pública e seriam eleitas sem dificuldades. Mesmo assim, muitos políticos enrolados conseguem, através de manobras, garantir suas reeleições. Depois a turma vai para o Facebook e desce o pau, mas mesmo assim, vota no sujeito.

Agora olha essa

Em Vilhena está tendo uma enorme movimentação nesta sexta-feira, com direito a telefonemas por parte de pastores e lideranças locais, para levar uma multidão para recepcionar, neste sábado, o ex-deputado federal Natan Donadon, aquele que foi preso por roubar dinheiro da Assembleia Legislativa junto com seu irmão, o ex-deputado estadual Marco Donadon. Ambos puxam cadeia por causa da gatunagem e Natan estava recolhido no presídio federal da Papuda, conseguiu uma autorização para visitar Vilhena. Então amanhã a cidade vai estar em festa.

Pois é

O clã Donadon, que enriqueceu na vida pública, continua fazendo sucessores e já está de olho na prefeitura de Vilhena em 2016. Eles elegeram a esposa de Marco Antônio (pois é) e avaliam a possibilidade de colocar a mulher de Melki (que também tem problemas com a justiça) para disputar a prefeitura. Então depois nem adianta reclamar no Facebook.

Só para relembrar

Natan Donadon foi condenado pelo STF em 28/10/2010 à pena de 13 anos, 4 meses e 10 dias de reclusão, em regime inicialmente fechado, além de 66 dias-multa, por formação de quadrilha e peculato, crimes previstos nos artigos 288 e 312 do Código Penal. Os fatos ocorreram quando Donadon exercia o cargo de diretor financeiro da Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia e ele, juntamente com outros sete corréus, foi denunciado por desvios de recursos daquela Casa legislativa por meio de simulação de contrato de publicidade que deveria ser executado pela empresa MPJ Marketing Propaganda e Jornalismo Ltda. Em 26 de junho de 2013 o STF determinou a imediata prisão de Natan. Em 12 de fevereiro de 2014 a Câmara dos Deputados cassou o mandato de Donadon, que estava preso. Em 20 de julho deste ano ele conseguiu ir para o regime semi-aberto.

E agora Gurgacz?

O senador Acir Gurgacz que estava todo pimpão mês passado anunciando que havia encontrado a solução para os problemas financeiros do país, vai ter que rever seu discurso. A presidente Dilma Rousseff decidiu seguir a orientação do Tribunal de Contas da União (TCU) e vai fazer um novo contingenciamento do Orçamento de 2015. O governo deverá editar um decreto de programação financeira com um corte de R$ 10,7 bilhões nos gastos. Com isso, pela primeira vez, o país terá um quadro que os técnicos chamam de “shut down”, ou seja, a suspensão de todas as despesas discricionárias. Isso significa deixar de fazer, por exemplo, o pagamento de todos os serviços de água, luz, telefone, bolsas no Brasil e no exterior, fiscalização ambiental, do trabalho, da Receita e da Polícia Federal. A suspensão também atingirá gastos com passagens e diárias. Este ano, até outubro, governo federal já acumula um déficit primário de R$ 33 bilhões. No último relatório bimestral de receitas e despesas, o governo alertou para o fato de que seria preciso fazer um contingenciamento adicional de gastos de R$ 107,1 bilhões para garantir a meta oficial. No entanto, nesse momento, o valor que pode efetivamente ser contingenciado é de apenas R$ 10,7 bilhões.

 

Clínica Mais Saúde informa – Uma taça de vinho por dia pode retardar envelhecimento

Nada de intervenções cirúrgicas. Uma pesquisa mostrou que beber uma taça de vinho por dia pode retardar o envelhecimento e até colaborar para um “envelhecimento saudável”. As informações são do The Independent . De acordo com o estudo desenvolvido pela Universidade de Iowa, pessoas que consomem um ou dois copos de bebidas alcoólicas por dia envelhecem melhor que aquelas que bebem menos ou não ingerem álcool. “O consumo moderado de álcool foi associado ao processo de envelhecimento saudável”, afirmou o relatório da pesquisa. Em contraste, consumo excessivo ou reduzido da bebida pode estar ligado a um envelhecimento acelerado. Os pesquisadores também identificaram que fumar pode estar “associado ao processo de envelhecimento acelerado” e precoce. Liderado pelo médico Robert A. Philibet, o estudo ainda pretende entender o impacto do tabaco e álcool no DNA para monitorar as mudanças e usar o genoma (cromossosmos do código genético) como um indicador do envelhecimento.