Protagonizada por família negra, campanha de O Boticário é alvo de ataques racistas

Vídeo lançado pela empresa brasileira de cosméticos já tem quase 20 mil “descurtidas” e comentários indignados: ‘modinha afro’

O comercial do Dia dos Pais da marca de cosméticos O Boticário, parece ter causado incômodo na internet. O vídeo, protagonizado por uma família negra, já reúne quase 20 mil deslikes. Nos quase 4 mil comentários da gravação, divulgada no canal da empresa no Youtube, diversos usuários expõem, indignados, o motivo pelo qual desaprovam a propaganda.
“Porque não tem nenhuma pessoa branca no comercial? Não é direitos iguais?”, alegou um internauta. “Na boa, essa modinha de afro em comercial já passou, muda para sustentabilidade ou outra modinha qualquer”, disse outro.
Há também manifestações de apoio à peça publicitária. “Brancos sempre tiveram representações em qualquer mídia e esfera da sociedade. Em nossas vidas, não muda nada um comercial com uma família negra porque já somos representados em 99% deles, mas para quem é negro faz sim diferença, isso é representatividade”, defendeu um usuário. “Tanto comercial que só aparece gente branca por ai e ninguém fala nada, depois vem dizer que não é racismo né?”, argumentou outra.

Brasil tem baixa representatividade de negros na publicidade

Um levantamento realizado em 2017 pelo Instituto Locomotiva com 2020 pessoas negras, revela que apenas 6% dos entrevistados se sentem adequadamente representados pelas propagandas de TV. Os dados contrastam com outra investigação conduzida pelo mesmo instituto também no ano passado, cujos cálculos mostram que a comunidade negra brasileira movimenta cerca R$ 1,62 trilhões de reais.
Nas contas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população brasileira que se declara preta ou parda chega a 112,6 milhões de pessoas – ou  54% dos brasileiros.

Assista à campanha:

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=-9tTjYmnVLE]

Fonte: diariodepernambuco

Novo golpe do WhatsApp forja cupom de desconto da rede “O Boticário”

Se você recebeu alguma mensagem recente no WhatsApp prometendo um cupom de desconto para compras na rede O Boticário, tome cuidado pois é golpe. Criminosos estão utilizando a marca para roubar dados pessoais dos usuários do aplicativo.

Segundo a empresa de segurança ‘Psafe’, mais de 250 mil usuários já receberam o link malicioso em apenas dois dias. No entanto, nem todos foram infectados.

De acordo com o UOL, os usuários devem responder a um questionário para ganhar o vale-presente. Ao final, devem compartilhar o link com 10 contatos.

“Depois de compartilhar com 10 amigos, irá aparecer o botão ‘baixar vale-presente’ basta clicar e confirmar seus detalhes na próxima página”, diz o texto do golpe.

Em seguida, os golpistas induzem os usuários a baixarem aplicativos maliciosos e a se cadastrarem em serviços de SMS pagos, que consomem créditos do celular.

A rede ‘O Boticário’ negou a veracidade do cupom de desconto e disse que vai tomar as providências cabíveis em relação à ação fraudulenta.

Fonte: 24horasnews

O Boticário indenizará cliente que sofreu reação alérgica a perfume

O Boticário indenizará cliente que sofreu reação alérgica a perfume

Irritações na pele evoluíram para formação de bolhas, pus e queimadura de segundo grau.

O Boticário foi condenado a indenizar em R$ 10 mil por danos morais uma cliente que, após utilizar perfume da marca, passou a sofrer reações alérgicas e irritações graves na pele. A decisão é da juíza Kerla Karen Ramalho de Castilho Magrini, da 2ª vara judicial de Promissão/SP.

A autora relata que após a utilização do produto passou a sofrer reações alérgicas e irritações graves na pele como descamações que posteriormente evoluíram para formação de bolhas, pus e queimadura de segundo grau.

Segundo a magistrada, documentos médicos e as perícias realizadas comprovaram a reação alérgica devido ao uso do produto, demonstrando nexo causal.

“Portanto, em razão das complicações experimentadas pelo uso do perfume fabricado pela requerida, configurado restou o dano moral experimentado pela requerente.”

Processo: 0003818-17.2010.8.26.0484
Veja a decisão.

Fonte: migalhas.com

Foro estabelecido em contrato de franquia pode ser alterado quando reconhecida hipossuficiência da franqueada

Juiz do PR acolheu exceção de incompetência manejada por cinco franqueadas da rede O Boticário.

“É válida a cláusula de eleição de foro estabelecida em contrato de franquia, exceto quando reconhecida a hipossuficiência da parte ou da dificuldade de acesso à justiça.”

Reforçando entendimento do STJ, o juiz substituto Daniel Alves Belingieri, da 22ª vara Cível de Curitiba/PR, acolheu exceção de incompetência manejada por cinco franqueadas da rede O Boticário.

De acordo com os autos, embora conste no contrato de franquia cláusula de eleição de foro em Curitiba/PR para dirimir eventuais litígios entre as partes, as lojas são situadas em outros Estados (MG e ES). O Boticário tem sede em São José dos Pinhais/PR, e as franqueadas em Iúna/ES, Ibatiba/ES, Lajinha/MG, Mutum/MG e Munis Freire/ES.

Em razão da distância, o magistrado concluiu ser “óbvia a dificuldade de acesso ao Judiciário e do exercício da ampla defesa às excipientes, porquanto evidente que o deslocamento e a estada dos representantes legais das excipientes neste Foro Central para acompanhamento e comparecimento aos atos processuais é medida por demais onerosa”.

“Portanto, se efetivamente mantido o foro eleito no contrato, ver-se-á dificultado o pleno acesso às excipientes ao judiciário, restando fatalmente comprometida a garantia do seu direito à plena defesa, de modo que, dada a manifesta hipossuficiência econômica e também técnica da parte excipiente frente à excepta, é de se reconhecer a nulidade da cláusula.”

O escritório Cabral Gomes & Thronicke Advogados Associados atua no caso representando as franqueadas.

Processo: 0010812-61.2015.8.16.0194

Veja a sentença.

Fonte: migalhas.com