Silvio Santos pergunta a criança de oito anos se ela prefere sexo, poder ou dinheiro

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Dono do SBT viola mais uma vez o Estado da Criança e do Adolescente ao questionar uma criança se ela preferia “sexo, poder ou dinheiro”. Na semana, ele promoveu um desfile com crianças de maiô onde um dos critérios de avaliação era ter “as pernas mais bonitas”

Em uma nova violação do Estatuto da Criança e do Adolescente, o apresentador e dono do SBT, Silvio Santos, voltou a causar polêmica no quadro Bolsa Família, exibido em seu programa, ao perguntar a uma menina de 8 anos se ela preferia “sexo, poder ou dinheiro”. Na semana passada, Silvio Santos, que tem 88 anos, foi alvo de críticas por promover um desfile com crianças de maiô onde um dos critérios de avaliação era ter “as pernas mais bonitas”. 

A pergunta feita à jovem foi feita no momento em que o apresentador contava dinheiro. Virando-se para a criança, Silvio santos perguntou. “Prefere sexo, dinheiro ou poder?”. A mãe da criança ficou sem reação enquanto a garota exibiu um sorriso envergonhado. Já Silvio Santos caiu na gargalhada. 

Apesar do vídeo já circular na internet há alguns dias, o caso ganhou repercussão após o youtuber Felipe Netto divulgar o caso em suas redes sociais. “Um senhor de 88 anos pergunta para uma criancinha: ‘você prefere sexo, poder ou dinheiro?’ Na TV aberta! Adivinha quem não falou absolutamente nada? Crivella, Malafaia, Deputados do PSL, Família Bolsonaro, Psicóloga que falou q sou má influência. Silêncio”, questionou o influenciador digital. 

Confira o vídeo e a postagem de Felipe Neto sobre o assunto. 

Isis Valverde se comove com crime infantil e critica feminismo na web

Revista :: Tudo sobre tudo - https://revista.painelpolitico.com

No Instagram, atriz afirmou que teve pesadelos com o caso e que passou dias com o coração apertado. Rhuan Maycon foi morto pela própria mãe

Isis Valverde usou suas redes sociais para se pronunciar sobre o caso do menino Rhuan Maycon, morto pela própria mãe e sua companheira. O caso chocou o País nos últimos dias e a atriz, em seu Instagram, se pronunciou sobre o crime.

“Demorei dias para deglutir tanta maldade e desumanidade. Passei dias com um aperto no peito sem conseguir falar sobre o assunto. Me feriu a alma ler e escutar aqueles dois monstros falando sobre como massacraram esta criança com a maior frieza do mundo! Eu, sendo mãe, não consigo realizar como alguém conseguiu cometer algo tão obscuro como este assassinato”, escreveu Isis Valverde.

“Tive pesadelos envolvendo a história e hoje decidi escrever aqui uma homenagem a esta criança linda, que não escolheu nascer, não escolheu morrer, que não escolheu NADA. Espero que a justiça seja feita nos céus e na terra, afinal, nem um animal irracional mata sua cria. Não consigo imaginar que tipo de seres são estes que fizeram isto com esta indefesa, amedrontada criança. Quanta dor, quando medo este menino não sentiu”, refletiu a morena.

E a homenagem da atriz não parou por aí. “Deus receba esta alma com todos os louvores dignos de um ser de luz e que os céus nos ilumine e nos livre de criaturas monstruosas como as que ele conheceu. Amém! Rhuan Maycon , um anjo que passou pela terra”, finalizou.  

Ver essa foto no Instagram

Demorei dias para deglutir tanta maldade e desumanidade. Passei dias com um aperto no peito sem conseguir falar sobre o assunto. Me feriu a alma ler e escutar aqueles dois monstros falando sobre como massacraram esta criança com a maior frieza do mundo! Eu, sendo mãe, não consigo realizar como alguém conseguiu cometer algo tão obscuro como este assassinato. Tive pesadelos envolvendo a história e hoje decidi escrever aqui uma homenagem a esta criança linda, que não escolheu nascer, não escolheu morrer, que não escolheu NADA. Espero que a justiça seja feita nos céus e na terra, afinal, nem um animal irracional mata sua cria. Não consigo imaginar que tipo de seres são estes que fizeram isto com esta indefesa, amedrontada criança. Quanta dor, quanto medo este menino não sentiu! DEUS receba esta alma com todos os louvores dignos de um ser de luz e que os céus nos ilumine e nos livre de criaturas monstruosas como as que ele conheceu. Amém !!! RHUAN MAYCON, um anjo que passou pela terra ??❤️???

Uma publicação compartilhada por isis valverde (@isisvalverde) em

Nos Stories, a atriz continuou comentando o caso e acabou criando uma polêmica. Ela compartilhou uma imagem que mostra o símbolo do feminino onde uma mão segura Rhuan, uma crítica ao feminismo. Ela foi questionada na web, antes de apagar a imagem: “O feminismo matou ele? Não entendi seu stories”, comentou uma seguidora. “Uma tragédia absurda dessas e você ainda é cretina de ficar fazendo politicagem”, condenou outro. 

Isis Valverde apagou a imagem (divulgada acima) e não se pronunciou mais sobre o assunto.

MP processa Ministro da Educação por declaração que universidade só faz balbúrdia

Politico - https://politico.painelpolitico.com

A ação busca responsabilizar as falas consideradas ofensivas do chefe do MEC

O Ministério Público Federal ingressou com uma ação civil pública na Justiça Federal do Rio Grande do Norte contra o ministro da Educação, Abraham Weintraub, e a União por danos morais coletivos.

Segundo o MPF, a ação busca responsabilizar as falas consideradas ofensivas do chefe do MEC desde que ele assumiu a pasta, em abril. A ação pede R$ 5 milhões em caso de condenação e será analisada pela 10ª Vara Federal de Mossoró.

Os procuradores que assinam a ação ressaltaram entre as muitas declarações de Weintraub, uma dada em entrevista no dia 30 de abril, quando ele disse que “universidades que, em vez de procurar melhorar o desempenho acadêmico, estiverem fazendo balbúrdia, terão verbas reduzidas”.

A ação foi divulgada nesta quinta-feira (30), dia em que estudantes decidiram sair às ruas do país contra os cortes promovidos na área educacional.

Outro lado

O Ministério da Educação informou por meio de nota que não foi comunicado oficialmente sobre a ação. “Até porque ela está com data de hoje. Portanto, sequer foi distribuída a uma das varas da Justiça Federal de Natal (RN). Em pesquisa no site da Justiça Federal do Rio Grande do Norte, não consta nenhuma ação judicial ainda contra o ministro da Educação”, disse a pasta.

Para o MEC, a ação não foi sequer despachada pela Justiça. “Isso surpreende e quiçá denota o caráter político da medida, já que os veículos de comunicação dela tiveram conhecimento antes mesmo do suposto demandado e da ação ter sido formalmente protocolizada perante a instância judicial competente”.

Após polêmica, PM-PR exclui termo ‘masculinidade’ de edital para concurso público

Retificação publicada na noite desta segunda-feira (13) trocou o termo por ‘enfrentamento’ e editou a descrição. Especialistas haviam considerado critério discriminatório e subjetivo.

Após polêmica, a Polícia Militar do Paraná (PM-PR) publicou, às 19h50 desta segunda-feira (13), retificação do edital para concurso público, que tem 16 vagas para cadete, trocando o termo “masculinidade” por “enfrentamento”.

A corporação informou, no início da noite, que faria a substituição do termo no edital.

“A Polícia Militar do Paraná esclarece que está promovendo o ajuste no termo que gerou a polêmica, para ‘enfrentamento’, sem prejuízo à testagem psicológica necessária à definição do perfil profissiográfico exigido para o militar estadual”, diz nota.

Concurso da PM do Paraná tem ‘masculinidade’ como critério em avaliação psicológica; como estava antes da retificação (Foto: Reprodução)

Na descrição do termo também houve alteração. A PM-PR retirou o trecho “tampouco demonstrar interesse em histórias românticas e de amor”. A primeira parte da descrição foi mantida no edital.

O termo “enfrentamento” é definido na retificação como “capacidade de o indivíduo em não se impressionar com cenas violentas, suportar vulgaridades e de não emocionar-se facilmente”.

Retificação de edital foi publicada às 19h50 desta segunda-feira (10); ‘masculinidade’ foi trocada por ‘enfrentamento’ (Foto: Reprodução)

A nota da PM ainda diz que, em nenhum momento, tem adotado posturas sexistas, discriminatórios e machistas e destacou que depois de 164 anos de instituição tem uma mulher no comando, a coronel Audilene Rocha.

Ainda de acordo com a polícia, o autor do instrumento de avaliação psicológica, o Dr. Flávio Rodrigues Costa, esclareceu que o teste não tem conotação de diferenciação de gênero, sexo ou qualquer forma discriminatória.

A PM também informa que o autor lembrou que o teste foi “aprovado e validado pela comissão que avalia os instrumentos de avaliação existentes no mercado. O autor reforçou também que o Conselho Federal de Psicologia (CFP) jamais validaria o teste caso ele fosse discriminatório e se não atendesse todos os requisitos de respeito à dignidade da pessoa humana. O autor informou ainda que o mesmo instrumento já foi utilizado em outras instituições de segurança pública”.

Também por meio de nota, o Governo do Paraná declarou que não admite postura discriminatória e determinou que a PM fizesse mudanças no edital.

A polêmica

O edital foi divulgado na última quinta-feira (9) e foi alvo de nota de repúdio da Aliança Nacional LGBTI+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais, Travestis e Intersexuais) e do Grupo Dignidade.

As entidades pediram a anulação do edital e afirmam que a exigência de “masculinidade” desconsidera a possibilidade de mulheres se candidatarem às vagas ou quer que elas tenham características masculinas, o que consideram discriminatório.

Podem concorrer às vagas homens e mulheres, com idade até 30 anos. No entanto, o número de vagas preenchidas por mulheres não pode ultrapassar 50% do total, devido a uma lei estadual.

Especialistas ouvidos pelo G1 também consideraram o critério de avaliação discriminatório e falaram sobre a dificuldade de uma análise objetiva da característica, conforme está descrita no edital.

Outro item que chama a atenção no edital é a exigência de um nível baixo de amabilidade, descrita no edital como “a capacidade de expressar-se com atenção, compreensão e empatia às demais pessoas, buscando ser agradável, observando as opiniões alheias, agindo com educação e importando-se com suas necessidades”.

Manifestações

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Paraná informou, nesta segunda, que vai pedir a modificação ou retirada do termo “masculinidade”, que aparece descrito no anexo II do edital como “capacidade de o indivíduo em não se impressionar com cenas violentas, suportar vulgaridades, não emocionar-se facilmente, tampouco demonstrar interesse em histórias românticas e de amor”.

Segundo o edital, a “masculinidade” deve ser apresentada em um grau maior ou igual a “regular”.

A governadora Cida Borghetti (Progressista) determinou, também nesta tarde, a correção dos termos do edital. Ela ressaltou que não admite qualquer postura discriminatória em atos de instituições estaduais.

Primeiro posicionamento da PM

Antes de informar que vai alterar o edital, a PM havia dito, em nota divulgada na manhã desta segunda, que foi dada, por parte de alguns setores da sociedade, uma interpretação equivocada ao critério “masculinidade” e que o objetivo é “avaliar a estabilidade emocional e a capacidade de enfrentamento, aspectos estes extremamente necessários para o dia a dia da atividade policial militar”.

A corporação tambem defendeu “que a característica (masculinidade) tem essa denominação por opção do autor do instrumento psicológico, e sua descrição, constante no referido Edital, também foi extraída do instrumento de avaliação psicológica em questão. Essa característica, como dito, faz parte do instrumento, juntamente com outras sete características também presentes no edital supracitado”.

Ainda conforme a PM, este teste é empregado desde 2013 e é comum em outras instituições de segurança pública. A corporação afirma que o resultado mínimo exigido independe de gênero e está “dentro da média da população brasileira”.

Na mesma nota, a polícia diz que “não compactua e não tolera comportamentos e posicionamentos discriminatórios de qualquer natureza”.

Fonte: g1

Loja faz jaqueta em resposta à usada por mulher de Trump em visita à fronteira

Roupa da primeira-dama, com frase “I really don’t care, do U?” (Eu realmente não me importo, você se importa?”.

Uma fabricante americana de roupas criou uma jaqueta em resposta à usada pela primeira-dama dos EUA, Melania Trump, à fronteira dos EUA como México nesta quinta-feira (21).

A jaqueta de Melania trazia, nas costas, a frase “I really don’t care, do U?” (Eu realmente não me importo, você se importa?” e provocou críticas, no contexto da crise migratória entre os dois países.

A Wildfang criou uma peça com a inscrição inversa: “I really care, don’t U?” (Eu realmente me importo, você não”?

As imagens ganharam as redes sociais e a jaqueta, segundo a empresa, logo se esgotou.

A Wildfang afirmou que o dinheiro arrecadado será doado para a RAICES – The Refugee and Immigrant Center for Education and Legal Services, uma organização que está empenhada em uma campanha para encerrar a separação de famílias na fronteira mexicana.

Loja faz jaqueta em resposta à usada pela primeira-dama dos EUA em visita à fronteira mexicana (Foto: wearewildfang/Instagram)

 

A primeira-dama dos EUA, Melania Trump, embarca no Air Force One na base de Andrews, para viajar ao Texas, na quinta-feira (21) (Foto: AP Photo/Andrew Harnik)

Fonte: g1

 

Campanha com o slogan ‘Só tenha os filhos que puder criar’ gera polêmica em RS

Secretária Municipal de Saúde, Fabiana Saldanha, defende que as pessoas opinem e se posicionem sobre o tema. Presidente do Conselho Regional de Medicina do RS diz que apoia a iniciativa e reforça importância de discutir planejamento familiar.

Uma campanha lançada pela Prefeitura de Quaraí, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, gera polêmica principalmente devido ao slogan adotado pela Secretaria Municipal da Saúde para abordar o tema planejamento familiar. Um outdoor foi fixado ao lado do hospital da cidade e um banner foi publicado na página da prefeitura no Facebook, com a frase “Só tenha os filhos que puder criar”.

Conforme a secretária municipal da Saúde, Fabiana Saldanha, o objetivo da campanha era contribuir para a reflexão sobre o assunto.

“Num primeiro momento, a frase escolhida era mesmo para ser impactante, a intenção é essa, impactar para que não passe batido. Estamos buscando trazer essa discussão, para que ter filho seja um ato pensado, responsável.”

A ideia surgiu em uma conversa entre a secretária e o ex-prefeito da cidade, Ricardo Gadret (Solidariedade), que renunciou ao cargo para concorrer às eleições. O vice Mário Raul da Rosa Corrêa assumiu. Segundo Fabiana, em novembro de 2017 já foi possível botar a campanha na rua.

Além do slogan principal, o banner diz: “Não tem condições emocionais, pessoais e econômicas? Pense bem antes de ter filhos! #AEscolhaÉSua”. Para o presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul (Cremers), Fernando Matos, a campanha é bem-vinda.

“O Cremers vê com muito bons olhos essa campanha, que incentiva o planejamento familiar. Hoje o código de ética médica dá muita ênfase à autonomia do paciente, os médicos são obrigados a respeitar a maneira de pensar do paciente, por isso a campanha não tem nenhum problema, ela faz com que as pessoas pensem a respeito”, afirma.

A campanha repercutiu ainda mais após a publicação de uma foto do outdoor no Facebook pela artesã Sinara Fernandez, de 50 anos, natural de Quaraí, que mora no Litoral Norte gaúcho. Em menos de 10 dias, o post superou a marca de 125 mil compartilhamentos, além de mais de 10 mil curtidas e 2 mil comentários.

Ela conta que estava na cidade para cuidar da irmã, que fez cirurgia, viu o outdoor ao lado do hospital e resolveu registrar, com o celular.

“Tirei a foto porque achei ótima essa campanha. É um exemplo a ser seguido por todos.”

Mas nem todos os comentários nos posts da campanha são favoráveis. “Se todos tivessem acesso à educação e saúde de qualidade… A vida seria bem menos complicada. Quem é pobre não deve ter filhos?”, indaga um dos comentários.

“Acredito que antes de fazer uma campanha dessas é necessário garantir acesso à saúde de qualidade para toda a população, além de investir numa campanha de conscientização a respeito de como se prevenir isso e aulas de educação sexual na escola”, diz outra mensagem.

De acordo com a secretária da Saúde de Quaraí, seis meses depois de a campanha ser lançada, o objetivo foi atingido, apesar das polêmicas. Ela salienta que até mesmo outros municípios entraram em contato com a prefeitura para saber como tinha sido a receptividade e como havia sido realizada a campanha.

“Tinha gente que dizia que estávamos querendo controlar quantos filhos poderiam ter, mas nós não queremos isso, só buscamos promover o diálogo. A intenção não é esterilizar ninguém, mas que tenham conhecimento e possam escolher o método contraceptivo que vai usar ou se é o momento certo para ter filhos”, diz Fabiana.

Campanha foi lançada pela prefeitura em novembro de 2017, e segue nas as redes sociais neste ano (Foto: Reprodução/Facebook)

A promotora da Infância e Juventude de Porto Alegre, Cinara Vianna Dutra Braga, se diz favorável à campanha lançada em Quaraí. Ela avalia que a partir de uma frase forte é possível chamar a atenção das pessoas para um tema importante, e assim é possível orientá-las e educá-las.

“Eu parabenizo o município de Quaraí. É uma forma de educação, uma abordagem sobre o controle de natalidade, que as pessoas precisam entender que podem gerar tantos filhos quanto queiram, não acho que seja errado, mas devem saber quantas crianças podem prover. É impactante, mas é real”, observa.

“Acho errado a política como é na China, que proíbe um determinado número de filhos. A questão é educar e orientar as pessoas, não proibir.”

A prefeitura garante que promove diálogos com a população para orientar a respeito do planejamento familiar e, sempre que preciso, encaminha as pacientes a um médico ginecologista para verificar a melhor forma de evitar uma gravidez indesejada.

Ainda conforme o município, as consultas não demoram mais que uma semana para serem realizadas, e a rede municipal de saúde fornece diu, pílulas anticoncepcionais, camisinhas, laqueadura, pílulas do dia seguinte, entre outros métodos contraceptivos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

“Algumas pessoas começaram bastantes agressivas em relação à campanha, e com o passar dos dias foram mudando a sua opinião. Esse tema é impactante, e as pessoas vão assimilando aos poucos. Hoje tem muito mais gente a favor do que no início”, defende a secretária da Saúde de Quaraí.

Fonte: g1/rs

Trump reembolsou advogado por pagamento à atriz pornô

O presidente havia negado conhecer a origem do dinheiro repassado a Stormy Daniels, mas, em entrevista, seu advogado Rudolph Giuliani desmentiu a versão

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reembolsou seu advogado pelo pagamento de 130.000 dólares feito à atriz pornô Stephanie Clifford, conhecida profissionalmente como Stormy Daniels, dias antes das eleições de 2016, afirmou nesta quarta-feira (2) Rudolph Giuliani, ex-prefeito de Nova York e recém-integrado à equipe de defesa do presidente. Anteriormente, Trump havia dito que não sabia qual era a origem do dinheiro que foi repassado à atriz.

Em entrevista à rede Fox News, Giuliani, que se juntou à equipe de defesa de Trump na investigação sobre a Rússia no mês passado, disse que o dinheiro usado para pagar Michael Cohen (também advogado de Trump e quem negociou o silêncio da atriz) foi “canalizado pelo escritório de advocacia, e o presidente fez o reembolso”.

Questionado se Trump sabia do acordo, Giuliani disse: “Ele não sabia sobre as especificidades do acordo, até onde eu sei. Mas ele sabia sobre o arranjo geral, que Michael resolveria as coisas dessa forma, como eu também resolvo questões assim para meus clientes. Eu não os sobrecarrego com todos os detalhes que aparecem. Eles [os clientes] são pessoas ocupadas”, afirmou.

A declaração de Giuliani contradiz o pronunciamento feito por Trump há algumas semanas, em que ele disse não saber do pagamento feito a Daniels, como parte de um acordo para que ela não tornasse público um caso que teria tido com Trump. Na ocasião, o presidente também afirmou não saber da origem do dinheiro e negou qualquer relação com Daniels.

Ainda nesta quarta-feira, em entrevista ao jornal The Wall Street Journal, Giuliani insinuou que, apesar de o presidente ter reembolsado Cohen, o advogado teria feito o pagamento à atriz sem o conhecimento de Trump.

Procurado novamente pelos jornalistas após a transmissão da Fox, Giuliani reforçou que Trump reembolsou o advogado, mas que isso não seria ilegal. “Não há violação de financiamento de campanha, não há crime de nenhuma forma”. Questionado sobre o conflito de sua declaração com a explicação dada anteriormente por Trump, ele disse que isso também não era um problema.

A legislação de financiamento de campanhas nos Estados Unidos restringe a uma doação máxima de 5,4 mil dólares por indivíduo para a campanha de um candidato a cada ciclo eleitoral. No caso de autofinanciamento, não há limite. A Lei de Campanha Eleitoral Federal define contribuição como “qualquer coisa de valor” com a intenção de influenciar a eleição.

A rigor, os fatos apresentados por Giuliani não necessariamente absolveriam o presidente de possíveis violações. Nenhuma lei limita os gastos dos candidatos em suas campanhas, mas se Trump pagou Clifford para proteger sua candidatura, ele poderia ser obrigado a divulgar isso como uma despesa de campanha, segundo especialistas consultados.

Além disso, se Cohen forneceu esse recurso de forma antecipada, o movimento poderia ser considerado uma contribuição, que excederia o limite legal e teria também de ter sido divulgado.

Procurado, Cohen não respondeu a um pedido de entrevista. O advogado é investigado por fraude bancária e possíveis violações de financiamento de campanha. Ele nega ter cometido irregularidades. No mês passado, agentes do FBI vasculharam o escritório de Cohen e apreenderam diversos materiais relacionados ao caso da atriz.

A Casa Branca também foi procurada, mas disse que não se pronunciaria e que as perguntas deveriam ser encaminhadas aos advogados do presidente, que não fizeram novos comentários.

Stormy Daniels busca que a justiça anule o acordo de confidencialidade firmado com Cohen para manter em sigilo sua relação com o magnata republicano. Ela assegura ter tido uma relação com Trump em 2006 e 2007, quando ele já estava casado com Melania e o filho dos dois era um bebê.

No fim de março, a atriz revelou detalhes de sua suposta relação com o atual presidente em uma entrevista à CNN, e afirmou que, em 2011, quando tentava vender sua história à revista Touch, foi ameaçada por um desconhecido em um estacionamento em Las Vegas. Daniels apresentou uma ação contra Trump na segunda-feira por difamação, depois que ele negou que ela teria sido ameaçada por um homem que o representava em 2011.

(Com Estadão Conteúdo e AFP)

Fonte: veja

Natalie Portman recusa prêmio de U$ 1 milhão e recebe carta de apelo de ministro israelense

A atriz se recusou a comparecer à premiação no país por conta de “eventos recentes”; ministro pediu para que não deixe “o lado negro da força vencer”

A atriz vencedora de Oscar Natalie Portman tem dado o que falar em Israel. Após sua recusa a receber um prêmio de US$ 1 milhão do Genesis Prize em Israel , o Ministro de Segurança Pública e Assunstos Estratégicos do país, Gilad Erdan, divulgou em seu twitter uma carta endereçada à atriz fazendo um apelo para que ela não deixe “o lado negro da força vencer”, em referência à trilogia de “ Star Wars ”.

Na carta para Natalie Portman , o ministro afirma estar muito desapontado com a decisão da atriz e afirma que ela estaria sendo influencia pela “campanha midática de desinformação e mentiras sobre Gaza orquestrado pelo grupo terrorista Hamas”. Além disso, o ministro ainda afirma querer convidá-la pessoalmente para ir à Israel e até mesmo fazer uma tour na fronteira de Gaza.

Erdan argumenta que a imprensa traz os fatos destorcidos e ainda critica a campanha BDS (Boicote, Sanções e Desinvestimentos), a qual muitos artistas já se veicularam, chamando-a de antissemita. Ao fim da carta ele ainda cita o personagem de “Star Wars”. “Anakin Skywalker, um personagem que você conhece muito bem de ‘Star Wars’ enfrentou um processo similar. Ele começou a acreditar que os cavaleiros de Jedi eram maus e que as forças do Lado Negro eram os defensores da democracia. Eu peço a você para não deixar o lado negro da força vencer”, escreve.

Polêmica de Natalie Portman

Natalie Portman como Jackie no filme homônimo; atriz afirmou não concordar com BDS
Divulgação

Natalie Portman como Jackie no filme homônimo; atriz afirmou não concordar com BDS

Apesar de ter nascido em Israel, a atriz Natalie Portman se recusou a participar da cerimônia do Prêmio Gênesis no país para receber US$ 1 milhão devido aos “eventos recentes” no país, em possível referência aos ataques na faixa de Gaza. O prêmio é concedido desde 2014 a diversos profissionais por sua excelência na carreira e que “inspiram outros por meio de sua dedicação à comunidade judaica e aos valores judeus”. Ainda que se negue a comparecer no evento, Portman revelou que não apoia a campanha BDS no país.

Do IG e Agências

Mulheres que usam calça jeans geram bebês transexuais, diz professor

“O governo está ponderando iniciar uma ação legal contra ele “, disse, em comunicado, a ministra da Saúde, K K Shailaja

Um professor da universidade Sree Sankaracharya University of Sanskrit, no estado indiano de Kerala, tem causado polêmica ao declarar que crianças transexuais são geradas por mulheres que usam calças jeans e camisas porque elas se vestem “como homens”.

De acordo com o jornal The Times of India, Rajith Kumar fez os comentários preconceituosos durante uma aula de “conscientização” para os seus estudantes. “Se a mãe usa jeans e camisas, se vestindo como homem, ela vai gerar filhos transgêneros”, afirmou.

O homem foi ainda mais longe com sua discriminação, ao dizer que crianças portadoras de autismo e paralisia cerebral “nascem de pais que não tem bom caráter”. A repercussão fez com que ele sofresse ações legais do governo de Kerala.

Kumar “não se desculpou pelas suas declarações controversas até agora. O governo está ponderando iniciar uma ação legal contra ele “, disse, em comunicado, a ministra da Saúde, K K Shailaja. “Ele tem propagado superstições e fazendo comentários contra mulheres continuamente”, disse ela. De acordo com o The Hindu, há 4,8 milhões de transgêneros na Índia, o que representa 0,4% da população de 1,3 bilhão de pessoas.

Jovem afirma que está grávida de padre Reginaldo Manzotti

O nome do Padre Reginaldo Manzotti está envolvido em uma grande polêmica. Com mais de seis milhões de seguidores no Facebook, a página do sacerdote foi invadida com diversos comentários sobre a acusação de que ele teria engravidado uma jovem de 21 anos. A informação foi divulgada pelo programa “Fofocalizando”, nesta segunda-feira (08).

A denúncia foi feita pela jovem para um jornal do norte de Minas Gerais. A assessoria do padre nega as informações. Já a jovem diz que vai provar a gravidez com exames de DNA assim que a criança nascer.

Por nota, o padre nega que conheça a moça e afirma ainda que exerce seu sacerdócio de forma primorosa e fiel.

Fonte: metropoles