PT reelege Gleisi como presidente e fala em aproximação com o centro político

Político – ::Painel Político:: - https://politico.painelpolitico.com

Deputada federal ficará no comando do partido por quatro anos; documento final de congresso deixa aberta possibilidade de assumir o “fora Bolsonaro”

A deputada federal Gleisi Hoffmann (PR) foi reeleita neste domingo (24) para comandar o PT por mais quatro anos durante congresso do partido realizado em São Paulo. A resolução final do encontro propõe a busca de setores do centro político e a necessidade de construir “uma maioria consistente na sociedade que não seja apenas eventual”.

Uma emenda ao texto incluída neste domingo permite que o partido, a depender das circunstâncias, assuma a defesa do impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Gleisi recebeu 71,5% dos votos dos 792 delegados na votação indireta. Os outros dois candidatos, a deputada Margarida Salmão (MG) e Valter Pomar, tiveram 16,8% e 11,8% dos votos, respectivamente.

Margarida e Pomar representavam correntes de esquerda . O deputado Paulo Teixeira (SP) desistiu da disputa na última hora para apoiar Gleisi .Desde que foi eleita pela primeira vez para comandar o partido em 2017, Gleisi acumulou uma série de conflitos com integrantes da corrente majoritária, a Construindo um Novo Brasil (CNB), da qual faz parte. A deputada também teve atritos com o candidato do partido à Presidência da República em 2018, Fernando Haddad .

Apesar das resistências, a recondução de Gleisi para mais um mandato à frente do PT foi bancada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Alguns caciques chegaram a articular o lançamento de Haddad para o posto, mas a ideia não se viabilizou.

Gleisi se manteve no cargo de comando do partido

Devido a impasses provocado por disputas por cargo de destaque, como o de tesoureiro, a definição dos demais integrantes da executiva foi adiada para as próximas semanas.No texto final do congresso, prevaleceu a linha de atuação defendida pela CNB.

Correntes de esquerda queriam a adoção da bandeira “fora Bolsonaro “, que foi rejeitada com o argumento de que, no momento, sera uma “palavra de ordem vazia” diante da falta de apoio popular.

Como uma forma de contemporizar com esses grupos, a própria CNB incluiu uma emenda que diz que “a partir da evolução das condições sociais e percepção pública sobre o caráter do governo da correlação de forças, a direção nacional do partido, atualizando a tática para enfrentar o projeto do governo Bolsonaro, poderá exigir a sua saída”.

Mesmo com a menção a busca de setores de centro, o documento aprovado pelos petistas não demonstra concessões a esse campo político. A reforma da Previdência , que teve adesão de políticos de centro, é chamada de “elitista e excludente”.

Os cortes de gastos públicos também são atacados.A resolução fala em necessidade da “mais ampla unidade da esquerda” e diz que a busca de outras alianças deve ser dar para temas como a defesa do Estado de Direito.

“Não há contradição entre consolidar a unidade dos progressistas e, ao mesmo tempo, buscar alianças mais amplas, até com personalidades e setores de centro, em prol do Estado de Direito e de outras causas que extrapolam o campo das esquerdas, como a defesa da universidade pública ou o combate à homofobia, entre outras. Sem falar, naturalmente, na luta pela liberdade de Lula”, diz o documento.

O documento vê a ampliação do campo como um caminho para voltar ao poder.

“Trata-se de construir uma maioria consistente na sociedade – que não seja apenas eventual, conjuntural, mas que se afirme como verdadeira hegemonia democrática de ideias e valores – se queremos chegar novamente ao governo federal com efetiva sustentação para promover as mudanças imediatas e históricas”, diz.

Com relação à eleição municipal de 2020, o partido diz que um deus objetivos será “derrotar a ultradireita” e que o povo terá a oportunidade de expressar nas urnas o seu descontentamento com o projeto de Bolsonaro.

“Procuraremos também construir alianças que permitam fortalecer o polo de oposição democrática, comprometido com a defesa dos direitos, da realização da justiça social, e da soberania do Brasil “.

Ao contrário dos encontros realizados no período em que estava no poder, o congresso encerrado neste domingo foi marcado pela contenção de gastos. Delegados de estados vizinhos a São Paulo tiveram que viajar de ônibus. Para que o partido não tivesse que pagar mais uma diária de hotel, muitos deles tiveram suas passagens marcadas para a tarde de domingo. Por isso na hora da proclamação do resultado, no começo da noite, havia pouca gente no salão da casa de eventos alugada pelo partido no centro da capital paulista.

Ao ser proclamada vencedora, Gleisi agradeceu a Lula pelo apoio e defendeu o discurso do ex-presidente após ser solto em que conclamava o povo a ir às ruas: “o povo vai ter que reagir (…) É nas ruas que o povo vai vencer essa pauta de retrocesso. Nós queremos lula percorrendo o Brasil. Nós queremos Lula presidente novamente”.

LEIA TAMBÉM

PT irá processar revista por capa com Marcos Valério citando Lula como mandante de crime

Político – ::Painel Político:: - https://politico.painelpolitico.com

Ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel foi executado a tiros depois de ser sequestrado em 2002

O Partido dos Trabalhadores (PT) anunciou, por meio de nota, que irá tomar as medidas cabíveis no âmbito da Justiça contra a revista Veja, seus proprietários, editores e o autor de matéria que ilustra a capa da publicação que começou a circular nesta sexta-feira (25). A matéria divulga trechos do depoimento do empresário Marcos Valério, no qual ele cita o ex-presidente Lula como um dos mandantes da morte do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel.

Na nota, o PT afirma que a capa da revista “enoja e ofende”, além de classificar a matéria publicada como “ação criminosa”. “A capa da Veja enoja e ofende. Brota no mesmo pântano onde nasceram tantas outras mentiras contra o PT e suas lideranças. Revela o desespero dos que não aceitam o fato de que a farsa judicial contra Lula está desmoronando”, diz trecho da nota, assinada pela presidente do Partido dos Trabalhadores, deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR).

A entidade argumenta que o depoimento de Valério é apresentado como novidade, mas na verdade ele foi prestado em 17 e 18 de outubro do ano passado e não teria gerado nenhum novo desdobramento.

De acordo com o Partido dos Trabalhadores, a publicação “esconde” dos leitores que até mesmo a Lava Jato não teria encontrado elementos suficientes para reabrir o caso e que há uma série de tentativas para incriminar o ex-presidente que já fracassaram.

Celso Daniel foi executado a tiros depois de ser sequestrado em 2002.

Veja abaixo a íntegra da nota do partido

Marcos Valério é um dos poucos que cumpre pena pelo mensalão

Nota do PT: Veja terá de responder por mais uma capa criminosa contra Lula

O Partido dos Trabalhadores e seus membros ofendidos por mais esta ação criminosa da revista Veja estão tomando, desde hoje, a medidas no âmbito da Justiça contra a publicação, seus proprietários, editores e o autor.

As mentiras reproduzidas como novidade na última edição da revista Veja já haviam sido vendidas pelo sr. Marcos Valério à Procuradoria Geral da República, em 2012, e foram repetidas à Lava Jato, em 2016, numa desesperada tentativa de envolver o ex-presidente Lula em mais uma falsa acusação. Em nenhum dos dois casos a impostura parou de pé, por ser história falsa, sem prova nem testemunho, apesar da obsessão macabra dos que tentam até hoje tirar proveito político do assassinato do prefeito Celso Daniel, em janeiro de 2002. Mas Veja foi longe demais, até para uma revista que sempre abusou de mentir sobre o PT, e terá de responder pelo crime que cometeu.

Veja é falsa desde a capa até o ponto final da matéria. Apresenta como se fosse “recente” um depoimento prestado por Marcos Valério em 17 e 18 de outubro do ano passado e que não gerou desdobramentos. Mente ao dizer que o caso Celso Daniel “foi reaberto” a partir daquele depoimento, pois nenhum novo procedimento foi gerado, até porque os supostos fatos narrados estariam prescritos. Omite que Valério fracassou em outras tentativas de chantagem. E, como é hábito no jornalismo gângster, publicou calúnias e falsidades sem dar chance de resposta aos ofendidos.

Veja esconde dos leitores que nem mesmo a Lava Jato, notória pela perseguição a Lula, encontrou elementos para reabrir o caso e que a “Operação Carbono 14” (lançada em 1º. de abril de 2016 com objetivo de envolver falsamente Lula e o crime de Santo André) foi o maior fracasso da perseguição movida por Sergio Moro e pelos procuradores no âmbito da Lava Jato. Das nove pessoas então acusadas com estardalhaço, cinco tiveram de ser inocentadas por Moro, porque simplesmente não havia crime a ser apurado, e as demais passaram a responder por outras acusações.

Veja esconde ainda que outra manobra frustrada para envolver Lula no caso, desta vez em 2017, foi revelada pelo site Intercept na série Vaza Jato. Em 13 de março daquele ano, Sergio Moro repassou a Deltan Dallagnol uma queixa da então deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), segundo a qual os promotores do Ministério Público de São Paulo “não estariam interessados” no caso de Marcos Valério. Foi em decorrência dessa intervenção indevida e ilegal da Lava Jato que os promotores de São Paulo ouviram Valério duas vezes, em 17 de abril de 2017 e em outubro de 2018, segundo nota oficial do MPSP. E nada disso transformou mentira em verdade.

A capa da Veja enoja e ofende. Brota no mesmo pântano onde nasceram tantas outras mentiras contra o PT e suas lideranças. Revela o desespero dos que não aceitam o fato de que a farsa judicial contra Lula está desmoronando, depois de cinco anos da mais sórdida e mais intensa campanha que já se fez nos meios de comunicação contra um líder político na história desse país.

O Partido dos Trabalhadores e seus membros ofendidos por mais esta ação criminosa da revista Veja estão tomando, desde hoje,  medidas no âmbito da Justiça contra a publicação, seus proprietários, editores e o autor da matéria. O mesmo ocorrerá a todos que reproduzirem a falsidade com intenção de caluniar. Da mesma forma que estamos certos de que a verdadeira Justiça virá para Lula, com a anulação da sentença parcial, injusta e ilegal de Sergio Moro, temos de acreditar que os crimes cometidos contra a verdade e a dignidade também serão punidos com o rigor da lei.

Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do Partido dos Trabalhadores

Brasília, 25 de outubro de 2019

Justiça eleitoral condena Haddad a 4 anos e 6 meses em semiaberto por caixa dois da UTC

Político - https://politico.painelpolitico.com

Ex-prefeito de São Paulo foi condenado por suposta falsidade ideológica eleitoral na campanha de 2012, em investigação que decorre da Operação Cifra Oculta

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) foi condenado por suposto caixa dois da UTC Engenharia na campanha eleitoral de 2012, quando foi eleito. A pena imposta pela Justiça Eleitoral, por falsidade ideológica eleitoral, é de 4 anos e 6 meses em regime semiaberto, segundo informações da Justiça. Cabe recurso.

A reportagem tenta contato com a defesa. O espaço está aberto.

O ex-prefeito foi denunciado por suposto caixa dois de R$ 2,6 milhões à UTC Engenharia. O promotor eleitoral Luiz Henrique Dal Poz, afirmou, em acusação, que o ex-prefeito ‘deixou de contabilizar valores, bem como se utilizou de notas inidôneas para justificar despesas’.

Os valores teriam sido repassados pela empreiteira diretamente às gráficas de Francisco Carlos de Souza, ex-deputado estadual e líder sindical conhecido no PT como ‘Chico Gordo’. Ele confessou que recebeu os pagamentos, mas disse que não eram destinados à campanha do ex-prefeito, e sim a outros candidatos petistas cujos nomes não revelou à PF.

A denúncia narra que R$ 3 milhões teriam sido negociados com o empresário Ricardo Pessoa, da UTC Engenharia, e depois repactuados para R$ 2,6 milhões. Além do empreiteiro, que é delator, o doleiro Alberto Youssef também citou as operações em depoimento.

As informações são do Estadão/Fausto Macedo

“Com o PT tinha um diálogo cabuloso”, diz líder do PCC em conversa grampeada

Politico - https://politico.painelpolitico.com

Áudios obtidos pela Polícia Federal no âmbito da Operação Cravada flagram criminosos criticando o Moro e elogiando a abertura com gestão anterior

A Polícia Federal grampeou, no âmbito da Operação Cravada, conversas entre membros da organização criminosa PCC. Os áudios obtidos pela investigação mostram um dos líderes da facção elogiando a abertura que o crime organizado tinha com o Partido dos Trabalhadores, logo após criticar a atuação do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. 

“Os caras tão no começo do mandato dos cara, você acha que os cara já começou o mandato mexendo com nois irmão. Já mexendo diretamente com a cúpula, irmão”, diz Alexsandro Roberto Pereira, conhecido como ‘Elias’. De acordo com a investigação, ele atua como espécie de “tesoureiro” do PCC e também participa da hierarquização da facção, sendo assim um dos líderes da organização.

“Com nois já não tem diálogo, não, mano. Se vocês estava tendo diálogo com outros, que tava na frente, com nois já não vai ter diálogo, não. Esse Moro aí, esse cara é um filha da puta, mano. Esse cara aí é um filha da puta mesmo, mano. Ele veio pra atrasar”, continua Elias, criticando a falta de abertura do crime organizado com o ministro da Justiça e Segurança Pública.

Logo após criticar Moro, o criminoso faz comentários elogiosos sobre o suposto “diálogo” que a facção teria com o PT .  “Ele começou a atrasar quando foi pra cima do PT. Pra você ver, o PT com nois tinha diálogo. O PT tinha diálogo com nois cabuloso, mano, porque… situação que nem dá pra nois ficar conversado a caminhada aqui pelo telefone, mano. Mas o PT, ele tinha uma linha de diálogo com nois cabulosa, mano”, explicou Elias, em conversa com  André Luiz de Oliveira, conhecido como “Salim.

Em nota, o Partido dos Trabalhadores negou as acusações e aproveitou para atacar a Polícia Federal e o ministro Sergio Moro:

“Esta é mais uma armação como tantas outras forjadas contra o PT, e vem no momento em que a Polícia Federal está subordinada a um ministro acuado pela revelação de suas condutas criminosas. Quem dialogou e fez transações milionárias com criminosos confessos não foi o PT, foi o ex-juiz Sergio Moro, para montar uma farsa judicial contra o ex-presidente Lula com delações mentirosas e sem provas. É Moro que deve se explicar à Justiça e ao país pelas graves acusações que pesam contra ele”, escreveu o partido.

Na última terça-feira (6), a Polícia Federal cumpriu 30 mandados de prisão e outros 55 de busca e apreensão São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Mato Grosso do Sul, Acre e Roraima no âmbito da Operação Cravada. De acordo com a investigação, o objetivo da operação é atacar o núcleo financeiro de uma das maiores facções criminosas do País, como é o caso do PCC . 

Intercept divulga novos trechos das trocas de mensagens entre Moro e Dallagnol

Politico - https://politico.painelpolitico.com

Na publicação, jornal afirma que mensagens são de “interesse público” e que divulgou apenas os trechos que basearam as revelações do último domingo

Depois da  reportagem divulgada no último domingo (9), sobre as  trocas de mensagens de integrantes da força-tarefa da Lava Jato e diálogos entre o procurador Deltan Dellagnol e o atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, entre 2015 e 2018, o Jornal The Intercept revelou, na noite desta quarta-feira (12), trechos estendidos da conversa .

Na publicação, o jornal afirma que as mensagens são de “interesse público” e que divulgou apenas os trechos que basearam as revelações do último domingo. Além disso, ressaltaram que não se trata do conteúdo completo da conversa entre Moro e Dallagnol porque outras apurações estão sendo feitas e alguns dos trechos são de cunho pessoal.

“Nossa missão é proteger a intimidade dos citados, publicando apenas o que é de interesse público”, afirmou o The Intercept.

Conversas entre Moro e Dallagnol

As conversas cobrem um conteúdo iniciado em 16 de outubro de 2015 até 11 de setembro de 2017. Os principais trechos, que mostram a relação de amizade entre o atual ministro da Justiça e o procurador da Lava Jato ganharam novos detalhes.

Em outubro de 2015, eles trataram sobre investigações envolvendo acusados no caso de Pasadena. Em uma das conversas, Moro revela que decretou “nova prisao de tres do odebrecht, tentando nao pisar em ovos. Receio alguma reacao negativa do stf. Convem talvez vcs avisarem pgr (sic)”, no que é respondido por Dallagnol: “show, ficou ótima a decisão”.

Em um dos trechos mais marcantes da reportagem, Moro teria tentado intervir na condução da Lava Jato, em fevereiro de 2016. “Olá Diante dos últimos . desdobramentos talvez fosse o caso de inverter a ordem da duas planejada (sic)”. 

“O problema é o risco de nos atropelarem em SP ou em BSB. Queríamos antes, mas tem a festa do PT… Uma semana pode fazer diferença para SP especialmente. Em BSB com o acordo feito às pressas e depoimentos do senador de madrugada receamos também que adiantem algo”, respondeu Dallagnol.

Já em março, Deltan cobre o ex-juiz de elogios, parabenizando-o pelo apoio popular que vinha recebendo após cada uma das decisões e operações da Lava Jato.

“Você hoje não é mais apenas um juiz, mas um grande líder brasileiro (ainda que isso não tenha sido buscado). Seus sinais conduzirão multidões, inclusive para reformas de que o Brasil precisa, nos sistemas político e de justiça criminal. Sei que vê isso como uma grande responsabilidade e fico contente porque todos conhecemos sua competência, equilíbrio e dedicação”, declara Dallagnol.

Na sequência, Moro responde: “Ainda desconfio muito de nossa capacidade institucional de limpar o congresso. O melhor seria o congresso se autolimpar mas isso nao está no horizonte. E nao sei se o stf tem força suficiente para processar e condenar tantos e tao poderosos”.

Outro dos pontos que recebeu novos dados foi o trecho que trata da crítica de Moro sobre o tempo sem operações da Lava Jato. Agora, Dallagnol aparece explicando o motivo da demora: “O problema é que as operações estão com as mesmas pessoas que estão com a denúncia do Lula. Decidimos postergar tudo até sair essa denúncia, menos a op do taccla pelo risco de evasão, mas ela depende de Articulacao com os americanos”.

Por fim, há maior detalhamento sobre as acusações da Odebrecht. Deltan lista 301 políticos brasileiros na relação, além de outrs 72 estrangeiros. “Tudo isso corrupção e lavagem ou muitos casos de cx2 (caixa dois)?”, questiona Moro.

“Para dizer, teria que olhar um a um. Não temos esse levantamento ainda. Intuitivamente, com base nas leituras e análises: 30% claramente propina: eles e nós reconhecemos 40% zona cinzenta: depende de diligências ou análises 30% claramente caixa 2 e nós concordamos. As doações via caixa 1 sem indícios de contrapartida não entram nisso. Ficam fora”, responde Dallagnol.

“Opinião: melhor ficar com os 30 por cento iniciais. Muitos inimigos e que transcendem a capacidade institucional do mp e judiciário. Reservado obviamente”, finaliza Moro.

Mara Gabrili

Mais uma das conversas que ganhou expansão foi a mensagem enviada pela deputada Mara Gabrili sobre uma possível testemunha do caso do assassinato de Celso Daniel, ex-prefeito de Santo André.

Agora, a mensagem mostra mais detalhes do texto enviado pela deputada e encaminhado por Moro a Dallagnol. Ela descreve uma visita ao Presidio de Contagem e uma conversa com Marcos Valério, que teria revelado detalhes do caso. Dallagnol finaliza o trecho da conversa dizendo que checará os fatos.

MPF critica decisões do STF 

Em outra conversa, de 16 de outubro de 2015, denominada ‘Chat MPF 2’, Dallagnol discute com outros procuradores da Lava Jato, que criticam decisões do STF.

“MPF STJ mantendo e STF soltando”, dispara o procurador Roberson Pozzobon, ao falar sobre a soltura de diretor da Odebrecht que acompanhava o ex-presidente Lula em viagens.

“Vergonha”, responde Diogo Castor de Mattos.

Na sequência da conversa, Deltan confirma soltura de Alexandrino e revela que já tinha outra denúncia a ponto de sair, afirmando que pediria a prisão com base em fundamentos adicionais.

“Caros, não acho que é o caso de ficarmos quietos com essa decisão. Se fossem traficantes, estariam presos indefinidamente, e essa situação é mais grave. Nada mudou, fundamentos permanecem, inclusive empresa que empregava corrupção sistematicamente. Não colaboram com as inv, não apresentaram contas do exterior etc. Caso fatiado e agora soltando em 4 meses? Creio que devemos fazer uma reação refletida, mas temos que reagir. Se continuarmos quietos, apanharemos como cachorro sem dono. Não estou pregando nada precipitado, mas podemos fazer uma reação por nota à imprensa, bem firme”, finaliza.

Com IG

[COLUNA] – Investigações do MP contra ex-Chefe da Casa Civil de Confúcio correm risco de prescrição

Politico - https://politico.painelpolitico.com

Inquéritos foram instaurados em 2017 e há quase um ano que Emerson Castro deixou de ter foro, mas procedimentos continuam com Procurador Geral de Justiça

Andando, mas parado

Desde 2017 que encontra-se em andamento no Ministério Público do Estado de Rondônia os Inquéritos Civis Públicos nº 2016001010010472, 2016001010010492 e 2016001010010491, bem como o Procedimento Investigatório Criminal nº 201600101003149 que investigam o ex-chefe da Casa Civil do governo de Rondônia Emerson Castro. Os procedimentos investigam enriquecimento ilícito, tráfico de influência e outros supostos desvios por parte do ex-agente público. No Ofício SEI nº 467/2019/GAB-PGJ encaminhado à PAINEL POLÍTICO na última segunda-feira, o Procurador Geral de Justiça, Aírton Pedro Marin Filho informou que “os feitos estão sob sigilo, decretado pelo órgão de execução (5ª PJ), por ocasião da instauração dos procedimentos, a fim de preservar as investigações, o que torna restrito o acesso ao seu conteúdo”.

O documento

Revela ainda que “Para a apuração dos fatos foram implementadas diligências tais como, dentre outras, a solicitação de cópia de processos administrativos para análise e oitiva de diversas pessoas (ao todo 29 depoimentos), cujos termos foram anexados no ParquetWeb, vinculados aos respectivos procedimentos”. O ofício foi encaminhado após nós solicitarmos, através da Ouvidoria, um esclarecimento sobre as investigações. Porém…

Não explicou

Emerson Castro não ocupa cargo de secretário de Estado desde quando Confúcio Moura renunciou ao governo, em 4 de abril do ano passado. Ou seja, há quase um ano que ele deixou de ser responsabilidade do Procurador Geral. Os procedimentos já deveriam ter sido distribuídos para a promotoria. Além disso, a esposa de Castro também é alvo de averiguações e ela nunca teve foro, portanto não deveria estar sob a responsabilidade do Procurador Geral. Os procedimentos foram instaurados pelo GAECO, o Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado, o que também é estranho. Mais complicado ainda é não ter tido um desfecho. Agora sabe o que é pior?

Eu conto

Daqui a pouco tempo os procedimentos podem caducar, ou seja, os supostos crimes investigados prescrevem e caso eles tenham ocorrido, o ex-chefe da Casa Civil escapa impune. Nesta terça-feira solicitamos do MP o histórico do andamento processual de todos os feitos e a identificação de quais dos feitos são relacionados a quem. O inquérito pode até ser sigiloso, sabe-se lá por nqual motivo, mas os andamentos não. Abaixo, o ofício encaminhado por e-mail pelo Ministério Público do Estado.

Ofício encaminhado pelo MP-RO

Ladeira abaixo

Falando em Ministério Público a gente lembra do prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves que integrou o Parquet por vários anos. Uma enquete colocada no ar nesta terça-feira pelo site Rondoniaovivo indicou, em menos de seis horas no ar, que o prefeito não seria reeleito se dependesse dos 3,5 mil votantes. 82% disseram que não votariam em Hildon em caso de reeleição. Um cenário bem diferente de 2017, quando o ex-promotor assumiu nadando em popularidade. Agora a correnteza empurra para uma queda sem precedentes.

Vivo e respirando

O PT de Rondônia deverá ser comandado pelo ex-deputado federal Padre Ton (que não é mais padre). Atualmente ele é vice-presidente estadual da legenda, que tem como presidente o deputado estadual Lazinho que vai se licenciar. Ton também vai mudar seu domicílio eleitoral para Porto Velho e disse que a proposta é ajudar o partido nas eleições de 2020. Em conversa rápida com a coluna, o dirigente declarou que a legenda ainda não tem, nem definiu nome para disputar a prefeitura da capital ano que vem. Com o fim das coligações majoritárias, a questão ainda está longe de ser definida internamente.

Deu ruim

Com a péssima repercussão que teve a notícia sobre a tal “fundação Lava Jato” para gerenciar recursos pagos pela Petrobrás ao governo americano, que por sua vez repassaria o dinheiro ao MPF do Paraná, a idéia miou. Mas o dinheiro está em uma conta judicial. O Ministério Público deveria repassar à União e esta distribuir aos Estados, isso sim, seria prestar um grande serviço ao país. O resto é populismo barato.

Comer nozes pode diminuir o risco de doença cardiovascular em diabéticos

Comer nozes pode diminuir o risco de doença cardiovascular (DCV) e de morte em pessoas com diabetes tipo 2, de acordo com um estudo publicado on-line no periódico Circulation Research. Os pesquisadores descobriram que níveis mais altos de consumo de nozes – especialmente os que dão em árvores, como nozes, castanhas de caju e amêndoas – estavam associados a maiores reduções do risco cardiovascular. “Nossos resultados fornecem novas evidências que embasam a recomendação de incluir nozes em padrões alimentares saudáveis para a prevenção de complicações das DCV e de mortes prematuras entre indivíduos com diabetes”, disse o primeiro autor, Dr. Gang Liu, Ph.D., da Harvard T.H. Chan School of Public Health, em Boston, Massachusetts, em um comunicado à imprensa. E, mesmo se as pessoas já comessem nozes antes do diagnóstico de diabetes, o aumento do consumo após o diagnóstico mostrou benefícios cardiovasculares. “Parece nunca ser tarde para melhorar a dieta e estilo de vida após o diagnóstico entre os indivíduos com diabetes tipo 2”, acrescentou Dr. Gang. As nozes fornecem uma excelente fonte de nutrientes saudáveis, como ácidos graxos insaturados, proteínas vegetais, fibras, minerais, vitaminas e fitoquímicos anti-inflamatórios.

Ex-ministro Antônio Palocci presta depoimento à PF em Curitiba

Politico - https://politico.painelpolitico.com

Depoimento faz parte de investigações abertas a partir da delação que ex-ministro fechou com a PF do Paraná

O ex-ministro Antônio Palocci presta depoimento à Polícia Federal (PF) na manhã desta sexta-feira (22), em Curitiba. A informação foi confirmada pela RPC.

Ele deve ser ouvido pelo delegado Filipe Pace. O depoimento faz parte de investigações que foram abertas a partir da delação que o ex-ministro fechou com a PF do Paraná.

Atualmente, Palocci mora em São Paulo. Ele saiu, de carro, da capital paulista com destino a Curitiba na quinta-feira (22). O retorno à capital paulista deve ser no sábado (23).

Palocci deve prestar depoimento à PF em Curitiba

Condenado em ações da Operação Lava Jato, Palocci deixou a cadeia em novembro de 2018. Ele estava preso em regime fechado desde a deflagração da 35ª fase, em setembro de 2016.

Delação de Palocci

O acordo de Palocci foi firmado com a PF no fim de abril de 2018 e homologado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

No termo de delação, o ex-ministro se comprometeu a pagar R$ 37,5 milhões como indenização pelos danos penais, cíveis, fiscais e administrativos dos atos que praticou.

Em outubro de 2018, às vésperas da eleição, o ex-juiz Sergio Moro retirou o sigilo de parte do acordo de delação do ex-ministro.

Com isso, foi tornado público o termo em que Palocci afirmou que Lula usou o pré-sal para conseguir dinheiro para campanhas do Partido dos Trabalhadores (PT) e que as duas campanhas de Dilma Rousseff para a Presidência custaram R$ 1,4 bilhão, mais do que foi declarado.

Em janeiro deste ano, em outro termo anexado a um inquérito, o ex-ministro relatou entregas de dinheiro em espécie de propina paga pela Odebrecht ao ex-presidente. Em uma declaração complementar, ele também disse que Dilma ‘deu corda’ para Lava Jato implicar Lula.

No fim de janeiro, em mais um termo da delação, Palocci disse que determinou que o Grupo Schahin usasse dinheiro de propina para patrocinar um filme sobre o então presidente, co-produzido por uma empresa da qual o jornalista Roberto D’Avila – da GloboNews – era sócio.

G1

PT protocola pedido de registro de candidatura de Lula à Presidência da República

Preso em Curitiba, ex-presidente pode ter o registro para concorrer negado por conta da condenação de 12 anos e um mês de prisão no caso do tríplex do Guarujá (SP)

O PT registrou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República nas eleições de outubro. O vice da chapa é o ex-ministro Fernando Haddad. Ao registrar a candidatura, o PT declarou que o ex-presidente tem R$ 7,9 milhões em bens.

Lula está preso na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba desde 7 de abril em função da condenação a 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro na ação penal do caso do triplex do Guarujá (SP).

Em tese, o ex-presidente estaria enquadrado no artigo da Lei da Ficha Limpa, que impede a candidatura de condenados por órgãos colegiados. No entanto, o pedido de registro e a possível inelegibilidade precisam ser analisados pelo TSE. O pedido funciona como o primeiro passo para que a Justiça Eleitoral analise o caso.

Rito

O pedido de registro de candidatura, cujo prazo para apresentação no TSE termina às 19h, não garante automaticamente ao candidato o direito de disputar o pleito.

Com fim do prazo, o tribunal vai publicar um edital para dar publicidade aos registros. Após a publicação, o Ministério Público Eleitoral (MPE), partidos e coligações poderão impugnar as candidaturas, alegando que candidato não poderá disputar as eleições em função de alguma inelegibilidade prevista na Lei da Ficha Limpa.

Após o eventual pedido de impugnação, o ministro-relator do pedido vai decidir se o registro será aceito ou não. O prazo para decisão é 17 de setembro.

Fonte: agenciabrasil

PCdoB desiste de candidatura à Presidência e faz acordo com o PT

A deputada Manuela D’Ávila, que deveria disputar como cabeça de chapa, vai estar ao lado de Fernando Haddad, escolhido como vice de Lula

O PCdoB desistiu da candidatura própria à Presidência da República, com a deputada estadual do Rio Grande do Sul Manuela D’Ávila, para se coligar ao PT nas eleições deste ano.

Na última quarta-feira (1º/8), a deputada chegou a ser confirmada pelo partido como candidata à Presidência da República. No final da convenção, entretanto, ela já havia adiantado que abriria mão de disputar caso houvesse unidade de outros partidos da esquerda que pretendessem concorrer ao pleito.

Nas negociações feitas nesse domingo (5/8) com o PT, ficou acordado que Manuela irá viajar o país com o candidato Fernando Haddad, escolhido para vice na chapa petista, para fazer campanha em nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, aclamado no sábado (4) como candidato.

Segundo a presidente do PCdoB, Luciana Santos, a decisão do partido foi tomada em nome da unidade. “Manuela disse que nunca foi óbice a qualquer tipo de unidade política. Nós estamos construindo a unidade política que foi possível construir no primeiro turno, com a participação e liderança de Lula. Isso por uma circunstância objetiva, até que se definam as pendências legais”, destacou Luciana.

A presidente do PT, Gleisi Hoffman, disse que a decisão de escolher um candidato a vice-presidente do próprio partido foi para garantir que a representação de Lula seja feita por um de seus membros. “[Isso foi decidido] na avaliação que fizemos para assegurar a manifestação do presidente Lula. E vamos com a candidatura de Lula até as últimas consequências: a vocalização de sua campanha será feita com um companheiro do PT”, afirmou.

Fonte: agenciabrasil

Papa Francisco abençoa ex-presidente Lula e escreve recado ao petista

Mensagem do líder da Igreja Católica foi escrita à mão, em um exemplar do livro “A Verdade Vencerá” – que narra caso sob a perspectiva militante do PT

Direto do Vaticano, o papa Francisco enviou uma pequena mensagem ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, nesta quinta-feira (3). O conteúdo do recado, escrito à mão, foi revelado na noite de ontem pela assessoria do Partido dos Trabalhadores (PT).

A mensagem foi escrita em espanhol, em um exemplar do livro A Verdade Vencerá – publicação assinada pelo próprio presidente Lula, que narra o seu caso sob a perspectiva petista – entregue ao pontífice pelo ex-ministro da Defesa Celso Amorim, que visitou o Papa Francisco ontem.

Em seu recado, o papa diz “A Luiz Inácio Lula da Silva, com a minha benção, pedindo-lhe para orar por mim, Francisco”. O encontro entre o líder da Igreja Católica e Celso Amorim aconteceu na Casa Santa Marta, residência de Francisco dentro do Vaticano.

Lula foi o tema do encontro com o papa Francisco

Reprodução/Facebook.O ex-presidente Lula recebeu o seguinte recado do Papa Francisco, nesta quinta-feira

O encontro não foi oficial. Mesmo assim, a assessoria do PT divulgou as fotos do momento na página oficial de Lula. Em um vídeo publicado em suas redes sociais, o ex-ministro narrou o encontro. De acordo com Amorim, sua visita ao líder da Igreja Católica durou cerca de uma hora e os grandes assuntos debatidos foram as situações política e jurídica do ex-presidente.

No vídeo, que também foi divulgado no Twitter oficial de Lula , Amorim afirmou que Francisco escreveu uma “mensagem espiritual” para o petista e que o Papa tem acompanhado a situação do ex-presidente “com interesse e preocupação”.

O ex-presidente Lula está preso desde o dia 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba, no sul do País. Condenado a 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, ele defende que sofre uma prisão política e busca ser candidato do partido às eleições de outubro. O papa Francisco não mencionou a candidatura do petista.

Com informações da Agência Brasil.