Operários presos há 3 dias em mina de carvão no Peru são resgatados com vida

Revista :: Tudo sobre tudo - https://revista.painelpolitico.com

Eles estavam presos a mil metros de profundidade e sobreviveram graças a um tubo de ventilação.

Os quatro funcionários presos após o desmoronamento de uma mina de carvão no Peru na última quinta-feira (31), foram resgatados com vida na noite deste domingo (3). Eles estavam presos a mil metros de profundidade e sobreviveram graças a um tubo de ventilação que não sofreu danos após o desmoronamento, informaram as autoridades.

De acordo com a REUTERS, os mineiros apresentavam quadro de desidratação porque só dois dias após o colapso na mina Pampahuay, que foi possível entregar água e alimentos através do tubo de ventilação.

Logo após o resgate, eles transferidos a um hospital da região, confirmou o ministro de Minas e Energia, Francisco Escodes, no Twitter.

Fonte: noticiasaominuto

Francês é encontrado na região serrana do Rio após sete dias perdido

O resgate, feito pelo Corpo de Bombeiros, durou cerca de 7 horas. Ele estava em um local de difícil acesso na mata da Serra dos Órgãos

Após cinco dias de buscas, o turista francês Marc Meslin, 22 anos, foi localizado na terça-feira (7/8) na região conhecida como Vale da Morte, entre os municípios de Petrópolis e Teresópolis, na região serrana do Rio.

Ele foi encontrado por equipes do Corpo de Bombeiros, integrantes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e da Federação de Esportes de Montanha do estado. O resgate durou cerca de 7 horas.

A operação de buscas no Parque Nacional da Serra dos Órgãos começou sexta passada (3/8) e contou com bombeiros de cinco unidades operacionais (Grupamento de Teresópolis, de Petrópolis, do Alto da Boa Vista, de Magé e do Grupamento de Operações Aéreas), além de cães da corporação.

Encontrado lúcido, Marc Meslin foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros em um local de difícil acesso. O turista saiu para fazer uma trilha sozinho, na quarta (1º/8), mas o primeiro contato feito por ele, pelo celular, ocorreu apenas dois dias depois, quando as buscas foram iniciadas. A vítima ficará em observação em uma unidade hospitalar da região serrana.

Fonte: agenciabrasil

Prédio cai na Índia deixando pelo menos três mortos e vários desaparecidos

As quedas de prédios são comuns em todo país, especialmente durante a temporada de moções

Um prédio em construção de seis andares perto de Nova Délhi caiu com pelo menos 12 trabalhadores, que podem estar presos entre os escombros – informou a imprensa local nesta quarta-feira (18).

Equipes de resgate com mais de 100 homens e cães farejadores trabalham para tentar encontrar os operários, que estavam dentro do prédio quando ele despencou, disse a Press Trust of India (PTI), citando o chefe dos Bombeiros regional, Arun Kumar Singh.

Três corpos foram retirados dos escombros até o momento. O agente Kumar Singh apontou que vários socorristas foram chamados ao local da queda, em Greater Noida, cidade a leste da capital, de acordo com a PTI. “Não sabemos exatamente quantos estão presos lá dentro. Acreditamos que 12 pessoas possam estar sob os escombros”, completou Singh.

Este é o mais recente acidente de construção que acontece na Índia, onde a aplicação de normas de segurança costumam ser frouxas e é comum o uso de materiais de baixa qualidade. As quedas de prédios são comuns em todo país, especialmente durante a temporada de moções, entre junho e setembro.

Pelo menos 18 pessoas morreram em maio, quando um viaduto despencou no norte da Índia, soterrando veículos e passageiros sob toneladas de concreto.

Fonte: diariodepernambuco

Meninos presos em caverna na Tailândia terão alta nesta quarta-feira

Em média, os garotos perderam 2 quilos, mas recuperaram parte do peso e apetite, segundo o ministro da Saúde, Piyasakol Sakol.

Os 12 garotos de um time de futebol, de 11 a 16 anos, que ficaram presos em uma caverna, por mais de duas semanas, em Tham Luang, na Tailândia, terão alta médica amanhã (18). Eles passaram os últimos dias internados em Chiang Rai isolados dos demais pacientes, usaram máscaras por algum tempo e foram submetidos a uma série de exames.

Em vídeo, divulgado pelas autoridades tailandesas, as crianças e os adolescentes demonstram recuperação física e psicológica, também fazem brincadeiras e dizem o que estão com vontade de comer. Todos ainda estão com as roupas hospitalares e no quarto exclusivo para eles.

Os depoimentos são rápidos, mas repletos de sorrisos. Perguntados pelo entrevistador o que estavam ansiosos para comer, os jovens mencionaram os mais distintos pratos.

Pipat Photi, de 15 anos, disse que gostaria de comer porco crocante e arroz de porco assado; Duangpetch Promtep, de 13, seguiu o colega. Outros disseram que eestavam querendo sushi e bifes.

Em média, os garotos perderam 2 quilos, mas recuperaram parte do peso e apetite, segundo o ministro da Saúde, Piyasakol Sakol.

A imprensa tailandesa informa que festas e cerimônias religiosas foram realizadas em celebração ao resgaste dos jovens e do treinador após 17 dias na caverna. Segundo a imprensa tailandesa, a alta médica foi confirmada.

*Com informações da Deutsche Welle, agência pública de notícias da Alemanha.

Fonte: agenciabrasil

Resgate na Tailândia: Como plano de Elon Musk acabou em acusação de pedofilia e ameaça de processo

De um lado o bilionário dono de uma empresa de exploração espacial que, no ano passado, mandou um foguete ao espaço com um carro da Tesla dentro. Do outro, um mergulhador inglês que teve participação importante no resgate dos meninos presos numa caverna da Tailândia.

Nos últimos dias, o que começou como uma crítica pontual acabou gerando uma polêmica que pode acabar nos tribunais. Tudo teve início quando Elon Musk, CEO da Tesla e da SpaceX, apresentou a ideia de resgatar os 12 adolescentes e seu treinador de futebol usando um minissubmarino.

A ideia não chegou a ser posta em prática. Os jovens e o treinador foram salvos mais de 15 dias depois de entrarem numa caverna em Chiang Rai, numa operação que envolveu mergulho pelos corredores escuros e estreitos da caverna.

Os jovens foram e transportados por uma equipe internacional de mergulhadores. Todos estão bem, em observação no hospital, e devem receber alta nesta quinta-feira.

Após o resgate, o mergulhador Vernon Unsworth classificou de “manobra publicitária” a ideia de Musk de usar um submarino. O britânico teve papel-chave na operação de salvamento ao fazer um mapeamento da caverna.

Ele entrou lá quando os meninos ainda estavam desaparecidos e repassou informações sobre a estrutura e os pontos de alagamento. Também teria ajudado a selecionar, para atuar no resgate, um grupo com os maiores especialistas em mergulho do mundo.

Em entrevista à imprensa, Unsworth afirmou que o submarino sugerido pelo bilionário não “teria absolutamente chance alguma de funcionar” no emaranhado da caverna Tham Luang. Musk chegou a enviar o protótipo à Tailândia, mas as autoridades envolvidas no resgate rejeitaram a ideia.

Bilionário reage com agressividade

A reação de Musk à declaração de Unsworth fugiu das expectativas. Em uma mensagem no Twitter, ele se referiu ao mergulhador como “pedo guy”, diminutivo em inglês para homem “pedófilo”.

“Nós vamos fazer (um vídeo mostrando) o minissubmarino entrando na caverna 5 sem problemas. Desculpe, cara pedófilo, você pediu por isso”, disse o empresário em sua conta do Twitter.

Quando começou a ser questionado pela rede social sobre o fato de ter se referido ao mergulhador como “pedo”, o bilionário ainda questionou a relevância de Unsworth para o resgate.

“Nunca vi esse britânico expatriado que vive na Tailândia em nenhum momento quando estávamos na caverna”, afirmou. Pouco depois, o empresário apagou todos os tuítes que faziam referência ao mergulhador.

Unsworth disse ao Canal 7, da Austrália, que não havia lido todos os tuítes de Musk, só ouvido falar deles. Perguntado se tomaria providências legais contra o empresário, ele afirmou: “Sim. Isso não acabou. Acho que ele me chamou de pedófilo. Isso mostra que tipo de pessoa ele é”.

O britânico, que passa alguns meses na Tailândia a cada ano, se voluntariou para participar das buscas pelos meninos – de idades entre 11 e 17 anos – e o treinador de futebol deles, de 25 anos. Os esforços terminaram no dia 10 de julho, com uma operação bem-sucedida.

Vernon Unsworth (à direita) foi atacado por Musk depois de dizer que a proposta do bilionário para o resgater dos jovens era uma manobra publicitária.

O submarino que chegou atrasado

Musk tinha proposto usar um “microssubmarino, de tamanho infantil”, com tecnologia desenvolvida pela sua empresa de exploração espacial, a SpaceX.

O bilionário chegou a viajar para a Tailândia com o protótipo. Mas os responsáveis pelo resgate declinaram a oferta. Antes de Unsworth, o chefe da operação de salvamento, Narongsak Osotthanakorn, já tinha sido alvo da insatisfação de Musk pela rejeição do minissubmarino.

O empresário questionou, também pelo Twitter, se Osotthanakorn realmente estava à frente dos esforços para salvar os meninos, ao dizer que o tailandês estava sendo chamado “incorretamente de chefe da operação de resgate”.

Na época, Musk compartilhou uma troca de e-mails com o especialista britânico Richard Stanton, que integrava a equipe de resgate e quem, segundo Musk, realmente estaria chefiando as operações.

Elon Musk chegou a enviar o minissubmarino para o norte da Tailândia. Mas a proposta foi rejeitada pelo chefe da operação de resgate, que também virou alvo de tuítes do bilionário – Reuters

Repercussão negativa

Os tuítes de Musk criticando o mergulhador britânico geraram reações de quem participou da operação de resgate na caverna. Claus Rasmussen, um instrutor de mergulho dinamarquês, chamou os ataques de “inapropriados” e elogiou o trabalho de Unsworth no resgate.

“Ele foi um dos principais vetores em permitir que tudo fosse feito e em esclarecer para nós, mergulhadores, o que estava acontecendo”, contou à AFP.

Ações filantrópicas

O fundador da Tesla é famoso por investir em ações humanitárias com um bom potencial para atrair a atenção do público.

No ano passado, ele recebeu agradecimentos do governador de Porto Rico por montar um sistema de energia solar capaz de fornecer eletricidade para um hospital infantil após a passagem de um furacão.

Apesar de ter colhido elogios com a oferta do submarino, alguns questionaram suas motivações.

“Elon Musk é conhecido por buscar as manchetes, mas, para ser honesto, ele só se envolveu neste caso depois de receber uma enxurrada de mensagens de seus fãs no Twitter”, disse o repórter de tecnologia da BBC, Rory Cellan-Jones.

“O fato é que o know-how das empresas de Musk com exploração espacial e com escavação de túneis se mostrou irrelevante desta vez, e isto é um lembrete de que o super-herói da tecnologia nem sempre está à altura do que pensam os fãs”, diz ele.

Fonte: bbc

Resgate na Tailândia: o mergulhador médico australiano que ficou com meninos na caverna até o final

Richard Harris, que combinava duas especialidades extremamente úteis nesse caso, estava de férias na Tailândia e se ofereceu para integrar equipe de resgate; ele avaliou e cuidou das crianças antes que elas fossem retiradas.

Foi uma combinação rara de talentos que levou o médico australiano Richard Harris às cavernas Tham Luang na Tailândia.

Quando os 12 meninos do time de futebol Wild Boars e o técnico foram localizados em uma caverna nove dias após seu desaparecimento, o anestesista interrompeu suas férias na Tailândia e se voluntariou para ajudar.

O médico, especialista em prestar socorro em cavernas, conseguiu chegar ao local onde os meninos estavam para avaliar suas condições de saúde e ficou com eles por três dias.

Foi sob sua supervisão que as crianças que estavam mais debilitadas foram escolhidas para sair primeiro da caverna.

Harris, conhecido como Harry, foi uma das últimas pessoas da equipe de resgate a deixar a caverna.

Só que o alívio e a comemoração, ao menos para ele, foram interrompidos pela chegada de uma notícia triste: a de que seu pai morrera logo após o resgate ter acabado.

Harris trabalha para o Serviço de Ambulâncias da Austrália do Sul (MedSTAR), equipe de médicos e socorristas especializados em resgates de emergência. Andrew Pearce, do MedSTAR, diz que o luto de Harris e sua família ganharam proporções ainda maiores por causa da demanda física e emocional da operação de resgate dos meninos na caverna.

Harris é reconhecido internacionalmente por seu trabalho como socorrista em cavernas; ele recebeu a triste notícia da morte do pai após o resgate dos meninos na Tailândia (Foto: Richard Harris/Facebook)

“Tem sido uma semana cheia de altos e baixos”, disse Pearce, pedindo privacidade neste momento. “Harry é um homem gentil e tranquilo que não pensou duas vezes para se voluntariar nessa missão.”

Parte essencial

Segundo o governo australiano, Harris foi requisitado pelo governo tailandês para se juntar à missão de resgate, após sugestões de mergulhadores britânicos.

“Ele foi uma parte essencial do resgate”, disse a ministra de Relações Exteriores da Austrália, Julie Bishop.

“[Os australianos] têm ajudado muito, especialmente o médico”, disse o líder da missão de resgate, o governador da província de Chiang Rai, Narongsak Osotanakorn, a um jornal australiano há alguns dias. Ele se referiu a Harris como “o melhor”.

Meninos presos em caverna na Tailândia são vistos em frame de vídeo registrado por equipes de resgate (Foto: Thai Navy Seal/Divulgação via Reuters)

“Ele é brilhante com crianças e se certificaria de que elas estivessem preparadas da melhor maneira possível para a perspectiva de mergulho pelas cavernas”, disse ela. “Ele era a pessoa perfeita para apoiá-las.”

Nas redes sociais, muitos conterrâneos de Harris destacaram seu trabalho na missão e até pediram que ele fosse nomeado o Australiano do Ano, a maior honraria civil do país.

Mergulhos profissionais

O experiente mergulhador, que também é fotógrafo subaquático, completou várias expedições em cavernas na Austrália, Nova Zelândia e China.

Uma delas terminou em tragédia: em 2011, uma colega e amiga, Agnes Milowka, ficou sem ar durante um mergulho em uma caverna no sul da Austrália e morreu.

Bishop disse que Harris, que mora na cidade de Adelaide, também é conhecido pelas autoridades por seu trabalho com equipes de emergência em desastres naturais na região do Pacífico.

“Ele é um australiano extraordinário e certamente fez uma grande diferença no esforço de resgate na Tailândia”, disse ela.

A ministra também elogiou seu parceiro de mergulho, Craig Challen, um veterinário de Perth.

A dupla fez parte de uma equipe de 20 australianos, incluindo policiais e mergulhadores da Marinha, que auxiliaram na operação.

Infográfico mostra como foi organizado o resgate de grupo preso em caverna na Tailândia (Foto: Karina Almeida, Juliane Monteiro e Betta Jaworski/G1)
 Fonte: g1

Marinha confirma resgate de todos os presos em caverna da Tailândia

Quatro meninos e o técnico foram os últimos a deixar a caverna Tham Luang, no norte do país. Operação desta terça foi complicada pela chuva.

Os 12 meninos e o treinador de futebol dos mesmos estão salvos, apontou a Marinha em mensagem publicada no Facebook

Fonte: agenciabrasil

Chega a oito o número de meninos resgatados de caverna na Tailândia

Quatro jovens, além do treinador, permanecem presos no local; famílias devem começar a visitar garotos salvos

Outros três meninos que estavam presos dentro de uma caverna na Tailândia foram resgatados nesta segunda-feira (9), somando oito garotos salvos até o momento, informou um membro da equipe de socorro que testemunhou o fato à emissora americana CNN. Um menino já havia sido retirado do local mais cedo e outros quatro na tarde de ontem (8), reduzindo o número de pessoas que ainda estão presas dentro da montanha para cinco – quatro garotos e o treinador.

Segundo as autoridades, o resgate foi encerrado por hoje e será retomado amanhã (10). Os socorristas precisam fazer essa pausa para conseguir descansar e repor o oxigênio e o equipamento necessário para dar continuidade à operação.

Todos os meninos resgatados estão sendo levados a um hospital na cidade próxima de Chiang Rai. Eles devem permanecer de quarentena no local até que o risco de contrair infecções passe.

Segundo veículos de imprensa tailandeses, os médicos estão considerando permitir que os parentes visitem os garotos com a proteção de uma parede de vidro, para evitar qualquer tipo de contaminação por contato físico ou pelo ar.

Os nomes dos garotos resgatados ainda não foram divulgados oficialmente em respeito aos parentes dos jovens que continuam presos na caverna. O chefe da operação de resgate, Narongsak Osottanakorn, informou que uma coletiva de imprensa será realizada ainda hoje.

Fonte: veja

Chefe da equipe de resgate confirma saída de 4 meninos de caverna na Tailândia

Nove pessoas ainda estão na caverna, e o nível de oxigênio é o principal problema para elas. A previsão de mais chuvas na região pode ser outro complicador na retomada das operações.

Quatro meninos foram resgatados neste domingo (8) do complexo de cavernas de Tham Luang, ao norte da Tailândia, após 15 dias presos. A informação é de Narongsak Osatanakorn, ex-governador da província de Chiang Rai, que está dirigindo a operação.

A Reuters, citando uma autoridade local que faz parte da equipe de salvamento, chegou a falar em seis garotos resgatados, mas isso não foi confirmado pelas autoridades locais e depois foi corrigido pela própria agência. As identidades dos meninos não foram divulgadas.

Narongsak também informou que os jovens foram retirados com máscaras de oxigênio e levados ao hospital em segurança. Segundo ele, uma nova operação de resgate deve acontecer apenas depois de dez horas de preparação dos socorristas, o que ocorreria por volta das 21h (horário de Brasília). Essa previsão, no entanto, pode ser estendida. A principal tarefa é repor os tanques de oxigênio.

Uma chuva torrencial atingiu a região logo após o final das buscas.

Algumas áreas tiveram os níveis de água esvaziados, o que aliviou a caminhada dos meninos. Houve relatos contraditórios com relação à ordem de saída dos integrantes do grupo. Segundo a BBC, as famílias estão aguardando notícias no hospital.

Nove pessoas ainda estão na caverna, e o nível de oxigênio é o principal problema para elas. A previsão de mais chuvas na região pode ser outro complicador na retomada das operações.

Doze garotos, entre as idades de 11 e 16 anos, e seu treinador, de 25 anos, estavam havia 15 dias em uma caverna na região norte do país.

As equipes de resgate entraram na caverna às 10h deste domingo no horário da Tailândia (0h no Brasil). Segundo o site do jornal “The Guardian”, 13 mergulhadores estrangeiros e cinco da Marinha tailandesa estavam envolvidos na missão. Todos saíram do resgate em segurança.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tuitou em sua conta oficial que o governo norte-americano está ajudando a Tailândia a tirar as crianças da caverna:

“Muito corajosas e talentosas pessoas”, disse, sem mencionar nomes.

Dia D

Pouco depois da entrada da equipe na caverna, na madrugada deste domingo, a Marinha tailandesa postou em sua página no Facebook uma foto com os dizeres:

“Nós, a Marinha tailandesa, junto com a equipe internacional de mergulhadores, estamos prontos para trazer o time de futebol para casa!”.

“Hoje estamos mais prontos. Hoje é o dia D”, disse Narongsak Osatanakorn. Os 12 meninos e seu treinador de futebol têm uma janela de dois a três dias para serem resgatados. Isso porque a previsão é de fortes chuvas nos próximos dias, o que pode dificultar a operação de resgate e até mesmo alagar a região da caverna onde eles aguardam socorro.

“Depende do tempo, depende dos níveis da água. Se algo mudar, nós paramos. Mas espero que a operação termine dentro dos próximos dias”, disse Narongsak.

A previsão era a de que o grupo não teria que mergulhar. “Embora existam algumas partes um pouco difíceis, nas quais temos que nos curvar ou engatinhar, é possível dizer que podemos apenas atravessar”, disse Narongsak.

Segundo ele, isso seria possível porque as equipes conseguiram reduzir o nível da água dentro da caverna em 30 cm.

O governo tailandês chegou a publicar um gráfico detalhando o passo a passo do resgate:

1. Dois mergulhadores acompanham cada menino, com máscaras de oxigênio e atado a um deles pela cintura.

2. O trio vai guiado por uma corda.

3. Em passagens estreitas, os mergulhadores soltam os tanques de suas costas e os rolam lentamente enquanto guiam o garoto. Assim, os meninos nunca estarão sozinhos, como se temia anteriormente.

4. Eles, então, caminharão da câmara 3, que foi drenada, até a entrada da caverna em que o grupo entrou.

Eles exploravam o local em 23 de junho para comemorar o aniversário de um dos garotos do time quando foram surpreendidos pela inundação da caverna devido a forte chuva. No dia 2 de julho, mergulhadores britânicos conseguiram chegar pela primeira vez até eles.

Fonte: uol

Mergulhador morre sem oxigênio em caverna na Tailândia onde meninos estão presos

Saman Kunan, de 38 anos, era ex-integrante do grupo de elite da Marinha, e morreu enquanto retornava de uma expedição que levou suprimentos aos meninos.

Um ex-mergulhador da Marinha tailandesa que participava dos esforços de resgate dos meninos que estão em uma caverna inundada na Tailândia morreu nesta quinta-feira (5).

Saman Kunan, de 38 anos, levou suprimentos para o grupo de 13 pessoas, mas ficou sem oxigênio quando retornava para a entrada da caverna Tham Luang. O ex-integrante do grupo de elite da Marinha era triatleta e tinha se voluntariado a participar da operação de resgate.

“Após ter entregue uma reserva de oxigênio, ficou sem ar em seu retorno”, declarou o vice-governador da província de Chiang Rai, Passakorn Boonyaluck. “Perdeu a consciência no caminho de volta, seu companheiro de mergulho tentou ajudá-lo e carregá-lo”, revelou o oficial da Marinha Apakorn Yookongkaew.

A morte de um militar experiente deixa claro os riscos do resgate dos 12 meninos, que têm entre 11 e 16 anos, e do técnico, de 25 anos. Alguns não sabem nadar e todos terão que aprender noções básicas de mergulho.

O grupo, que está preso desde 23 de junho, foi encontrado por dois mergulhadores britânicos após nove dias de intensas buscas, aglomerados sobre uma rocha a cerca de 4 km da entrada da caverna.

“A morte deste especialista mergulhador serve para mostrar a dificuldade dos trabalhos de resgate. Apesar desta morte, não vamos parar de trabalhar para resgatar o grupo”, afirmou uma fonte do gabinete do governador da província de Chiang Rai, onde está localizada a caverna.
O corpo de Kunan será levado para a cidade de Sattahip, no sudeste do país, onde será realizado o funeral. Ele será cremado.

O nível de oxigênio na câmara de ar onde os meninos estão, na caverna, caiu para 15%. O nível normal é de 21%. Por isso, as equipes decidiram levar oxigênio ao local, segundo a BBC.

“O mergulho é sempre cheio de riscos. Ele pode ter desmaiado, fazendo-o se afogar, mas temos que esperar pela autópsia”, disse o vice-almirante da Marinha, Aphakorn Yookongkaew. “Apesar de termos perdido um homem, seguimos com fé em nossa missão”, declarou.