Sobrinha de Moro sofre sequestro relâmpago no Paraná; ministro não comentará o caso

Político - https://politico.painelpolitico.com

Segundo a polícia, a sobrinha de Moro estava com o namorado no carro dele, estacionado, quando um homem e uma mulher fizeram a abordagem

A sobrinha do ministro Sergio Moro, da Justiça e Segurança Pública, foi vítima de um sequestro relâmpago em Maringá, na região norte do Paraná, na noite desta segunda-feira (17). Ela estava com o namorado, que foi agredido com chutes na cabeça e teve de ser encaminhado ao hospital. Já ela teve seus pertences roubados, inclusive o celular, após ser feita de refém pelos assaltantes no início da fuga, conforme as informações repassadas pela PMPR (Polícia Militar do Paraná).

Procurado pela reportagem, Moro disse que não vai comentar o caso. Vale lembrar que o ex-juiz federal nasceu na cidade e é formado em Direito na UEM (Universidade Estadual de Maringá).

Segundo a polícia, a sobrinha de Moro estava com o namorado no carro dele, estacionado, quando um homem e uma mulher fizeram a abordagem. O rapaz foi jogado na rua e recebeu pontapés antes de ser deixado para trás pelos suspeitos. Ele foi atendido pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), que cuidou das agressões na cabeça e no tórax. Depois, ele acabou indo para o Hospital Santa Rita.

Já a sobrinha de Moro foi mantida como refém pela dupla de assaltantes no banco de trás. Ela tentou se jogar do carro em movimento, mas não conseguiu e seguiu à mercê da dupla. Contudo, o assaltante entrou em uma estrada de terra e bateu o carro em um barranco. Os assaltantes pegaram o celular e outros pertences dela, mas optaram por não a levarem junto ao fugirem a pé.

Os suspeitos não foram localizados até a tarde desta terça-feira (18), sendo que a investigação vai sendo feita pela Polícia Civil. Entretanto, o celular e os documentos pessoais do rapaz foram encontrados perto do local onde o carro foi abandonado. Via ParanaPortal

||+destaques

Ladrões sequestram motorista, roubam carga de cerveja avaliada em R$ 300 mil e são presos

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Motorista passou a noite amarrado e sendo ameaçado por dois suspeitos armados em uma região de mata. A carga de cerveja foi descarregada em uma distribuidora

Quatro homens foram presos na manhã desta quinta-feira (31), no Bairro Jardim Glória, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, suspeitos de sequestrar motorista e roubar o caminhão que ele dirigia com uma carga de cerveja avaliada em R$ 300 mil. O sequestro ocorreu na quarta-feira (30).

De acordo com a Polícia Militar, o motorista foi abordado pelos criminosos enquanto transportava a carga.

Ele foi levado para uma região de mata às margens da Rodovia dos Imigrantes (BR-070), em Cuiabá, onde ficou amarrado e sendo ameaçado por dois suspeitos armados até ser encontrado pelos policiais nesta quinta-feira.

Caminhão roubado foi encontrado no galpão de uma distribuidora — Foto: Brígida Mota/TVCA

A polícia contou que estava fazendo rondas no Bairro Jardim Glória quando viu o caminhão roubado entrando em um galpão de uma distribuidora.

No local, os suspeitos descarregaram as caixas de cerveja. Ao sair do galpão, um dos suspeitos que conduzia o caminhão foi abordado e, durante entrevista, confessou o roubo.

O suspeito também informou onde estava a vítima. Além dele, outros dois suspeitos de participação no sequestro e o dono da distribuidora foram presos em flagrantes.

Via G1

Leia também

Filho simula sequestro para enganar pai e acaba detido

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Investigadores conseguiram interceptar ligações e ouvir a negociação do suposto resgate

Um homem de 37 anos, procurou a polícia nesta sexta-feira (20) após receber a ligação telefônica de um grupo que anunciava o sequestro do filho, um adolescente de 15 anos, em Sobradinho, no Distrito Federal. No entanto, a investigação apontou que o jovem foi o responsável por forjar o crime.

A Polícia Civil conseguiu interceptar ligações e ouvir a negociação do suposto resgate. Nas gravações é possível escutar o pai fazendo um apelo aos suspeitos para que o jovem fosse solto.

De acordo com a Polícia Civil, os supostos sequestradores pediam dinheiro para que o garoto fosse resgatado. Segundo o delegado-chefe Laércio Carvalho, da 35ª Delegacia de Polícia (Sobradinho 2), os suspeitos queriam R$ 3 mil para libertá-lo.

Horas de negociação

De acordo com o delegado, a equipe de policiais acompanhou o pai no resgate, quando perceberam a participação do jovem, “pelo comportamento calmo”.

“O garoto não demonstrava nenhum nervosismo. Não havia sinais de que havia passado por qualquer trauma. Após questionamentos [da equipe], antes mesmo de chegar na delegacia, o grupo confessou que forjaram [o sequestro].”

Os agentes da 35ª DP e da Divisão de Repressão a Sequestro (DRS) acompanharam toda a negociação que durou cerca de oito horas. O contato do pai com a delegacia foi às 17h30 de sexta-feira. Por volta de 1h30 da madrugada deste sábado, os policiais chegaram até o endereço indicado pelo grupo, em Planaltina de Goiás (GO).

“O próprio filho juntamente com o grupo teria simulado a situação com a finalidade de extorquir o próprio pai”, afirmou o delegado.

O crime forjado incluiu até mesmo um falso cativeiro. De acordo com a Polícia Civil, um dos integrantes do grupo pediu “emprestada” a casa de um amigo afirmando que fariam uma festa.

Detidos

Junto ao adolescente que fingiu ser vítima, foram detidos outras cinco pessoas, com idades entre 16 e 23 anos, sendo dois deles menores de 18 anos. Os adolescentes foram encaminhados à Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), sendo submetidos à medida de internação. Os demais foram presos, inicialmente, na carceragem da 35ª Delegacia de Polícia (Sobradinho II).Todos os envolvidos devem responder pelo crime de extorsão, que prevê pena de até 12 anos – com exceção dos menores, pois a lei prevê internação máxima de 3 anos. Os adultos podem responder ainda por corrupção de menores, que pode resultar em uma pena de até quatro anos.

Pecuarista brasileiro é sequestrado e morto na fronteira após pedido de 100 mil dólares de resgate

Revista - https://revista.painelpolitico.com

Mulher e filho do produtor rural foram libertados pelos criminosos. Ministério Público do Paraguai diz que não houve tempo para negociação

O pecuarista brasileiro Adilson Belho dos Santos foi morto na tarde desta sexta-feira (26) em Capitán Bado, município vizinho de Coronel Sapucaia (MS), região de fronteira com o Paraguai. De acordo com o Ministério Público do Paraguai, o assassinato ocorreu após criminosos sequestrarem o produtor rural e a família dele e exigirem 100 mil dólares de resgate.

O promotor Hugo Volpe, informou que um grupo armado e encapuzado invadiu a fazenda do pecuarista e sequestraram ele, a esposa e um filho do casal. De acordo com o promotor, não houve tempo para negociação e os bandidos decidiram liberar a mulher e o jovem, porém, mataram o pecuarista e fugiram.

Volpe disse que quando a polícia entrou no caso, o pecuarista já havia sido assassinado. O promotor falou ainda que não poderia informar se os suspeitos foram localizados nem outros detalhes sobre o crime para não prejudicar as investigações.

O corpo foi encontrado pela polícia em uma região de mata. Já a esposa da vítima, Librada Romero, de 47 anos, foi liberada. Ainda não há detalhes sobre o paradeiro dos suspeitos, conforme o site Porã News.

O filho do casal, de 25 anos, também havia sido sequestrado pelos bandidos, mas foi solto no decorrer do dia para que providenciasse cem mil dólares equivalente a soltura do casal. Contudo, ele procurou a Comissaria da Polícia Nacional em Capitán Bado e relatou o crime. 

Capitán Bado, no Paraguai, onde casal de brasileiros foi sequestrado (Foto: Capitán Bado News)

Sequestro

O sequestro foi praticado por grupo de cinco a seis bandidos fortemente armados. Eles invadiram a Estância Belo, a 50 quilômetros de Capitán Bado, por volta das 05 horas e fugiram levando a família. Em seguida os sequestradores libertaram o rapaz para que ele providenciasse o dinheiro do resgate.

Dominada pelo narcotráfico e crimes de pistolagem, a região de Capitán Bado também enfrenta onda de sequestros, principalmente de pecuaristas que moram em fazendas distantes da cidade, no meio da mata.

[Coluna] – Suspeita de favorecimento e apadrinhamento em ações milionárias no TJRO vai parar na Corregedoria

Politico - https://politico.painelpolitico.com

Servidor do TJ estaria manipulando ações para favorecer empresa de noiva; corregedor disse que “providências já estão sendo tomadas”; entenda o caso

A coisa tá realmente feia

Estão sequestrando professor em Rondônia. Realmente a crise está braba mesmo. Só bandido burro que sequestra uma professora achando que vai conseguir dinheiro. A vítima foi a ex-presidente do Sindicato dos Servidores em Educação, Claudir Mata. De acordo com informações da Polícia Militar, a professora Claudir foi abordada no portão da escola por dois bandidos no momento em que chegava para trabalhar. De posse de uma arma de fogo, os criminosos anunciaram o assalto e vendaram a professora, que foi levada dentro do próprio carro a um cativeiro localizado na estrada da Rima, após a Vila Princesa, na margem direita da BR-364. Ela ficou amarrada um tempo, conseguiu escapar e chamar a polícia. Ninguém foi preso.

Primeiro os meus

Circula desde a semana passada um documento que foi encaminhado ao Corregedor do Tribunal de Justiça de Rondônia contendo graves acusações contra um servidor envolvido em ações de recuperação judicial. O documento, que não tem assinatura, afirma que o rapaz teria induzido um magistrado a favorecer sua noiva em ações milionárias que tramitam no TJRO. A noiva do rapaz montou uma empresa que está sendo indicada para intervir em empresas que estão em recuperação, como a Três Marias e o Grupo Gonçalves. Mas, além do favorecimento explícito, os que compõe a tal empresa são ainda acadêmicos de administração ou contábeis.

Com a palavra o Corregedor

O corregedor do Tribunal de Justiça de Rondônia, desembargador José Jorge informou através da assessoria de imprensa que “recebeu o documento e que todas as providências já estão sendo tomadas para apurar.”

O caso é realmente grave

Empresas em recuperação judicial exigem cuidados redobrados. São ações que movimentam milhões e mexem com a rotina de fornecedores, bancos e principalmente de empregados. Para cuidar de questões tão delicadas é preciso ter cautela. Além disso, o fato do rapaz ter induzido o magistrado para favorecer seu grupo é de uma frieza e certeza de impunidade absurda. Pior é achar que tal manobra passaria despercebida. Como costuma dizer meu amigo Amadeu Machado, “Rondônia é terra de muros baixos”. Só não entende que é novo por essas bandas ou tem menos de 30…

O advogado

Da Três Marias em Rondônia (empresa que está em Ação de Recuperação Judicial) Edson Piacentini preferiu não se manifestar, “a 3M não tem nada a declarar”, afirmou.  O presidente da OAB de Rondônia, Elton Assis afirmou que “vai verificar o caso”, que ele classificou como “extremamente grave”.

Duas curiosidades

Sobre o tal documento. A primeira é o termo “sem mais delongas” que teria sido usado pelo magistrado em seu despacho para trocar os administradores judiciais, cá entre nós uma frase inusitada quando se trata de questão tão complexa quando o assunto são números. Outra é que o documento mostra que a “vice-presidente” do grupo disputou as eleições 2018 para o cargo de deputada estadual.

Falando em mudanças

O Singeperon está trocando seus advogados e deve fechar contrato com Vinicius Miguel Raduan, que foi candidato à governo em 2018.

E já que o assunto é recuperação judicial

A Odebrecht, um dos maiores conglomerados empresariais do país formalizou nesta segunda-feira o pedido de recuperação judicial no valor de R$ 65,5 bilhões. O processo envolve R$ 51 bilhões de dívidas passíveis de reestruturação. Outros R$ 14,5 bilhões são compostos sobretudo por dívidas lastreadas em ações da Braskem e não passíveis de reestruturação.

Novo Desembargador

Tomou posse em cerimônia informal, na sexta-feira, 14, na sala da Presidência do TJRO , o magistrado José Antonio Robles como desembargador do Tribunal de Justiça de Rondônia, cadeira que estava vaga desde a aposentadoria do desembargador Péricles Moreira Chagas. Em breve discurso, Robles lembrou do desembargador Cássio Rodolfo Sbarzi Guedes, já falecido, que, quando presidente, o nomeou como juiz auxiliar, e com o qual atuou na mesma sala em que agora toma posse como desembargador. “Todos aqui sabem do carinho que eu tinha por ele, por isso sinto demais a ausência dele nesse momento”, lamentou. Cássio realmente faz falta. Era um grande magistrado e pessoa muito querida. Boa e justa a lembrança de Robles.

Jovens sobreviventes de AVC enfrentam risco de morte em longo prazo

Novas descobertas se somam ao número cada vez maior de evidências sobre o risco de morte em longo prazo entre os jovens que sobrevivem a um acidente vascular cerebral (AVC). Os resultados mostram que o risco de morte se manteve alto até 15 anos depois de um primeiro AVC isquêmico ou hemorrágico entre pacientes cujo primeiro episódio ocorreu dos 18 aos 49 anos de idade. Tanto os homens como as mulheres que sobreviveram por pelo menos 30 dias depois de um AVC isquêmico tiveram risco 5,1 vezes maior de morte durante uma média de 9,3 anos de acompanhamento, em comparação com a população geral. Os sobreviventes em curto prazo de um AVC hemorrágico tiveram maior risco de morte – 8,4 vezes maior do que o da população geral. “Cerca de 10% a 15% de todos os AVC ocorrem em adultos jovens, dos 18 aos 50 anos”, disse Jamie Verhoeven, BSC, estudante de medicina no Donders Institute for Brain, Cognition, and Behaviour, and Radboud University Medical Centre, na Holanda. “Sabemos também que a incidência está aumentando, tornando este subgrupo ainda mais importante no momento.” Jamie apresentou os achados na 5th European Stroke Organisation Conference (ESOC) 2019. O estudo foi simultaneamente publicado on-line em 23 de maio no periódico JAMA.

Mulher inventa ter sido sequestrada por motorista de aplicativo porque queria “ficar um tempo só”

Revista :: Tudo sobre tudo - https://revista.painelpolitico.com

Vendedora teria inventado crime porque queria passar um tempo fora de casa. Ela foi encontrada após entrar em contato com um amigo do marido

A vendedora Eliane de Oliveira Santos, de 23 anos, que estava desaparecida desde o dia 24, foi encontrada na noite deste domingo (26), após entrar em contato com um amigo do marido e informar que esperava ao lado de um terminal de ônibus em Embu Guaçu, região metropolitana de São Paulo.

Segundo o marido dela, o cozinheiro Jair Alves da Silva, de 38 anos, a vendedora disse que queria passar um tempo fora de casa e por isso inventou a história do sequestro.

De acordo com a RecordTV, há oito meses Eliana já havia saído de casa sem dar notícias à família e ido para a casa de uma amiga em Carapicuíba. 

O caso

Na última sexta-feira (24), a vendedora acionou um carro pelo aplicativo da 99 para voltar da casa da irmã, que fica a dois quilômetros de onde mora.

Segundo o marido, quando estava no carro, Eliane Santos mandou uma mensagem que dizia que o motorista havia passado o destino e seguia outro caminho.  

Durante o percurso, ela afirmou que o motorista a ameaçou de morte caso a Polícia fosse acionada. Ele estaria armado e queria roubar o celular dela.

Jair procurou a polícia logo depois de sair do trabalho. Ele tentou ligar diversas vezes para o celular da esposa, mas não havia sinal. Na madrugada de domingo (26) uma pessoa atendeu a chamada. Ao fundo, o marido ouviu uma mulher gritar por socorro.

Um boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia de Itapecerica da Serra no último sábado (25).

Em nota, a 99 informou que recebeu a denúncia do marido de Eliane, mas que “a última viagem realizada pelo perfil cujos dados foram informados aconteceu antes do desaparecimento, no dia 11 de maio de 2019”. 

R7

Mulher pula de carro em movimento em SP após sofrer sequestro e estupro; vídeo

Vítima foi abordada por um homem, abusada e pulou depois que o bandido ameaçou matá-la.

Uma mulher foi vítima de sequestro-relâmpago e estupro na Zona Leste de São Paulo no início da manhã desta quinta-feira (9). Ela saltou do carro em movimento em uma rua do bairro da Vila Esperança, na região da Penha, depois que o bandido ameaçou matá-la.

Uma câmera de segurança registrou o momento em que a mulher abre a porta do passageiro e pula do carro em movimento. Em seguida, o motorista de um outro carro que vinha no sentido contrário parou para socorrer a moça.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=vJx694DOQuc]

Segundo relato de testemunhas, a mulher gritava em desespero e apresentava ferimentos nas mãos e nas pernas.

A vítima contou à polícia que chegava ao trabalho dirigindo seu carro quando foi abordada pelo assaltante, que a roubou e assumiu o volante. Ele seguiu pelo bairro até um local deserto e a obrigou a tirar a roupa. Neste momento, ele a estuprou.

Em seguida, ele disse que queria mais dinheiro e que iria fazer o saque e depois a ameaçou de morte. Foi neste momento que ela abriu a porta do carro e se jogou pela porta do passageiro.

Ferimentos

Os policiais militares a levaram para o Hospital Ermelino Matarazzo, onde passou por atendimento específico para vítimas de violência sexual.

Ela sofreu ferimentos nas mãos, nos braços e no quadril por conta da queda do carro.

O carro dela foi encontrado 800 metros adiante do ponto de onde ela se jogou, após ter batido contra outro carro estacionado no local.

O caso foi registrado no 24º DP (Ponte Rasa).

Fonte: g1

Ex-miss do Paraná e namorado PM acusados de sequestro são incluídos na lista da Interpol

Miss e namorado são acusados de sequestrar empresário em agosto de 2017

A ex-miss Pinhais Karina Cristina Reis e o namorado dela, o policial militar Janerson Gregório da Silva, já estão com os nomes inseridos no sistema da Polícia Federal que impede a saída deles do país e também na lista vermelha da Interpol.

A inclusão foi determinada pelo juiz substituto Siderlei Ostrufka Cordeiro, da 2ª Vara Criminal de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Na ordem, emitida na semana passada, o magistrado afirma que o Estado deve arcar com todos os custos necessários para a extradição do casal na hipótese de prisão no exterior. Mas a conta-salário do soldado, por meio da qual ele recebe os vencimentos como integrante da Corporação, segue liberada.

Logo depois da fuga do acusado do Batalhão de Guarda, em Piraquara, ainda na Grande Curitiba, a PM pediu o bloqueio dos recursos. Mas, argumentando que isso extrapolaria a jurisdição do Juízo por ser uma providência “alheia à normatividade legal e processual penal”, nenhuma medida foi tomada. Com isso, mesmo sendo foragido, o militar continua recebendo normalmente a remuneração, que sai dos cofres do governo do estado.

O soldado foi preso em flagrante no fim de agosto do ano passado e fugiu no dia 4 de junho. A informação chegou à Justiça por meio da defesa da mãe dele, Sueli de Fátima Gregório da Silva, que também responde ao processo, mas em liberdade. A mulher morava com o filho em uma casa no bairro Jardim Botânico, em Curitiba. E foi para lá que Janerson e Vinícius Camilo da Silva, amigo e vizinho dele, levaram o empresário que havia sido rendido em São José dos Pinhais.

Já a ex-miss Pinhais, que também foi presa em flagrante suspeita de ser a mentora da ação criminosa, tinha conseguido um habeas corpus em outubro de 2017 e era monitorada por tornozeleira eletrônica. No dia 2 de junho, no entanto, a modelo – que chegou a ficar entre as semifinalistas do concurso Miss Paraná 2017 – rompeu o dispositivo. Desde então, a moça desapareceu e o empresário que foi vítima do sequestro e que estava fora do Brasil cancelou o retorno ao país por medo de vingança.

A BandNews tenta há vários dias, mas não consegue contato com o advogado do casal. No momento, apenas Vinícius Camilo seque atrás das grades.

Em 29 de agosto de 2017, a vítima foi atraída para uma suposta reunião com clientes. As investigações apontam que o empresário foi rendido pelo militar e o amigo e levado para a casa de Janerson, em Curitiba. Um resgate de R$ 200 mil foi pedido, mas o montante não chegou a ser pago. Antes disso, a polícia rastreou o veículo da vítima e chegou até Janerson, que contou onde era o cativeiro.

Quando foi encontrado pelas equipes, o empresário estava amarrado, vendado e amordaçado no porta-malas de um segundo automóvel que estava na garagem do imóvel. À polícia, Janerson admitiu a participação no crime e disse que precisava de dinheiro, mas eximiu a mãe e a namorada de qualquer envolvimento no caso.

A Secretaria de Segurança Pública conduz um procedimento interno sigiloso para apurar de que forma o soldado escapou do Batalhão de Polícia de Guarda. A possibilidade de facilitação não está descartada, especialmente porque, depois dele, mais dois agentes que estavam presos conseguiram escapar.

Fonte: paranáportal

Meninas de 13 e 15 anos participam de sequestro relâmpago de pastora em Teresina

Uma pastora foi sequestrada na porta da igreja onde realizaria um culto e passou cerca de meia hora em poder dos bandidos, até que o carro onde seguiam colidiu contra um bloqueio de pista. Um homem foi preso e duas adolescentes de 13 e 15 anos foram apreendidas, suspeitos de participar do crime. Um quarto membro do grupo conseguiu fugir.

O sequestro aconteceu no bairro Lourival Parente, zona sul de Teresina, na noite de quarta-feira (27). O capitão Mota, do Batalhão Rone (Rondas Ostensivas de Natureza Especial), conta que o bando formado por dois homens e as duas adolescentes havia roubado um automóvel na cidade de Timon, no Maranhão, e um pneu do veículo furou próximo à igreja. “Abandonaram o carro e pegaram o primeiro que viram pela frente”, conta o capitão Mota.

Pessoas que estavam na igreja testemunharam o crime e acionaram a Polícia Militar. “Acreditamos que queriam sacar o dinheiro e ficar com o carro. Eles deram a entender que passariam na casa dela para pegar mais dinheiro”, comentou o capitão Mota. A pastora ficou em poder dos sequestradores por cerca de meia hora enquanto andavam pelos bairros Vamos Ver o Sol e Parque Piauí.

Ao alcançar a rodovia BR 343 o carro foi localizado por uma guarnição do Moto Rone, que iniciou a perseguição. Os bandidos então perderam o controle do veículo sob o viaduto da avenida Miguel Rosa e colidiram em um bloqueio de via feito de concreto. O carro ficou bastante avariado e os policiais fizeram a abordagem do grupo.

Um homem de 25 anos foi preso, e duas adolescentes, de 13 e 15 anos, foram apreendidas. As duas meninas são irmãs, e primas do rapaz que foi preso. Os policiais encontraram um revólver calibre 38 com os sequestradores. Um quarto membro conseguiu fugir, mas foi identificado pelos policiais.

A pastora vítima de sequestro foi encaminhada para o Hospital de Urgências de Teresina para exames.

Fonte: g1

Empresário sequestra cachorro para exigir dinheiro de dívida em Curitiba

A frase “a gente morre e não vê de tudo” nunca fez tanto sentido para os policiais do 13º Distrito Policial de Curitiba. Eles conseguiram solucionar, nesta quarta-feira (6), o sequestro do Fred, um cachorrinho da raça Shih-tzu, que aconteceu na noite de terça.

Segundo o delegado Gerson Machado, tudo começou quando a dona do animal, uma mulher de 33 anos que mora no Tatuquara, teve um desentendimento com o dono de uma floricultura, localizada em Colombo. “Ela foi fazer compras no estabelecimento e levou várias flores e vasos, totalizando R$ 1,2 mil. Mas, na hora de pagar, a cliente teve um desacordo com o proprietário”, explicou ele.

Como forma de retaliação, na noite de ontem, o comerciante, 46, teria invadido a casa da mulher com outros dois comparsas e tomado de volta todos os objetos que ela havia levado da loja. “Ele ainda aproveitou para furtar o cachorro dela e, ao chegar em casa, passou a telefonar e a enviar mensagens fazendo ameaças. O homem dizia que, se ela não pagasse por tudo, ele mataria o cão”, completou Machado.

Diante dos telefonemas, a dona do animal registrou Boletim de Ocorrência (B.O.) na delegacia. Os investigadores, então, foram com a mulher até a floricultura, onde encontraram o comerciante e resgataram o cachorrinho. “O homem foi autuado por receptação qualificada e tentativa de extorsão. Na verdade, ele se precipitou, pois tinha todo o direito de receber o dinheiro, mas deveria exigir isso dentro dos meios legais e não com as próprias mãos”, finalizou o delegado.

Apesar do susto, ninguém se machucou na situação e o pequeno Fred voltou para casa feliz da vida. A Polícia Civil deve, agora, trabalhar para concluir o inquérito do caso.