Destroços do avião que caiu com Teori são levados para perícia em Angra dos Reis

Destroços do avião que caiu com Teori são levados para perícia em Angra dos Reis

Gravador de voz da aeronave já foi recuperado na última sexta-feira; material retirado do mar está sendo entregue à Aeronáutica, para investigação.

A parte principal do avião PR-SOM, que caiu no mar de Paraty na última quinta-feira (19) e matou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, foi retirada da água na noite deste domingo (22) e segue ainda nesta segunda (23) para o município de Angra dos Reis, no sul fluminense.

A carcaça da aeronave foi içada pela empresa AGS, contratada pela proprietária do avião, o grupo hoteleiro Emiliano, com o uso de um guindaste em uma balsa. Segundo a assessoria do grupo, a empresa continua buscando partes menores do avião que se espalharam pelo mar.

Todo o material retirado do mar está sendo entregue à Aeronáutica, para que seja feita a investigação sobre o acidente. Os destroços serão levados de barco até o município até Angra e, de lá, seguirá por estrada até a Base Aérea do Galeão, onde o material será analisado pela Comissão de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

O gravador de voz do avião já tinha sido recuperada na última sexta-feira (20), um dia depois do acidente.

Relembre o acidente

O avião caiu no mar de Paraty na tarde de quinta-feira (19), durante uma tentativa de pouso no aeroporto da cidade. Cinco pessoas estavam a bordo e morreram na queda. Além do ministro do STF, estavam no avião o piloto Osmar Rodrigues; o dono do grupo Emiliano, o empresário Carlos Alberto Filgueiras; a massoterapeuta do empresário, Maíra Panas; e a mãe dela, Maria Panas.

A aeronave era um Beechcraft King Air C90GT, registrado com o prefixo PR-SOM. O equipamento estava registrado na Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) em nome da empresa Emiliano Empreendimentos e Participações Hoteleiras e foi adquirido pelo grupo em outubro de 2015.

O avião, um turbo-hélice com capacidade para transportar sete pessoas, tinha Certificado de Aeronavegabilidade válido até abril de 2022. A data de validade da IAM (Inspeção Anual de Manutenção) seria em abril deste ano.

Fonte: ig.com

Dono de avião que caiu com Teori era sócio de André Esteves, do BTG Pactual

Dono de avião que caiu com Teori era sócio de André Esteves, do BTG Pactual

Ministro do Supremo que morreu no acidente aéreo havia revogado a prisão domiciliar do banqueiro no ano passado; queda da aeronave matou outros 4.

Dono do avião que caiu na última quinta-feira (19) com o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki, o empresário Carlos Alberto Fernandes Filgueiras – dono do grupo hoteleiro Emiliano – era sócio do banco BTG Pactual em um empreendimento imobiliário. A instituição financeira era presidida até o fim de 2015 pelo banqueiro André Esteves, que já foi preso em ação da Operação Lava Jato e teve a prisão revogada justamente por Teori.

Amigo de Teori , Figueiras era sócio de Carlos Daniel Rizzo da Fonseca na empresa Forte Mar Empreendimentos e Participações S.A, que, de acordo com o jornal “O Globo”, é proprietária do prédio ocupado pelo Hotel Emiliano na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. De acordo com a Jucesp (Junta Comercial do Estado de São Paulo), Fonseca integra o quadro societário do BTG Pactual.

A Forte Mar Empreendimentos e Participações possui capital de R$ 116,7 milhões, informa a Jucesp. Ainda de acordo com o “Globo”, Filgueiras tinha participação de 10% no quadro societário da empresa.

Em abril do ano passado, o STF revogou a prisão domiciliar de André Esteves, que cumpria a medida cautelar desde dezembro de 2015. Com a decisão – que foi tomada justamente por Teori Zavascki, que era o relator da Lava Jato no Supremo –, o banqueiro voltou a ter autorização para trabalhar no banco.

A amizade entre o ministro e o empresário Carlos Alberto Fernandes Filgueiras tem outro ponto que levanta suspeita: ele era dono da J. Filgueiras Empreendimentos e Negócios Ltda. De acordo com a Revista Fórum, a empresa pretendia construir um complexo hoteleiro na Fazenda Itatinga, em Paraty, mas teve a licença prévia indeferida pela secretaria de Meio Ambiente do Rio de Janeiro em outubro de 2016. A revista informa que o empresário era réu no Supremo, sob acusação de crime ambiental, em razão de construções irregulares na Ilha das Almas, onde fica a fazenda. É de se esperar que um ministro do STF não se relacione com empresários que possuem dívidas com o Judiciário.

Em 2009 o procurador da República Fernando Amorim Lavieri já havia investigado possíveis danos ambientais na região da fazenda, localizada em área de manguezal. A fazenda fica na Área de Proteção Ambiental (APA) Cairuçu, de preservação federal.

Acidente

Filgueiras e o ministro do STF morreram no voo que partiu do aeroporto Campo de Marte, em São Paulo, com destino a Paraty, no Rio de Janeiro. Outras três pessoas estavam no avião e também não resistiram: a massoterapeuta Maíra Lidiane Panas Helatczuk, 23 anos; a professora Maria Hilda Panas Helatczuk, 55, mãe de Maíra; e o piloto da aeronave, Osmar Rodrigues.

O avião que transportava Teori era um Beechcraft King Air C90GT, registrado com o prefixo PR-SOM. O equipamento estava registrado na Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) em nome da empresa Emiliano Empreendimentos e Participações Hoteleiras e foi adquirido pelo grupo em outubro de 2015. A aeronave, um turbo-hélice com capacidade para transportar sete pessoas, tinha Certificado de Aeronavegabilidade válido até abril de 2022. A data de validade da IAM (Inspeção Anual de Manutenção) seria em abril deste ano.

Fonte: ig.com

Retirada do avião será feita por empresa particular

Retirada do avião será feita por empresa particular

A operação de resgate será mais complexa do que se supunha, segundo o Cenipa.

Uma empresa particular será responsável pelo resgate dos destroços do avião que caiu no mar na quinta-feira (19), a menos de dois quilômetros de Paraty, no Rio, matando o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki e mais quatro pessoas.

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão da Aeronáutica responsável pela principal investigação sobre as causas do acidente, fez as primeiras intervenções e constatou que a operação de resgate será mais complexa do que se supunha.

“Nossa primeira missão sempre é resgatar as vítimas, o que concluímos ontem (sexta, 20). A segunda prioridade é encontrar o gravador de voz, o que também já fizemos, e a terceira é estabilizar a aeronave, evitando que as condições para a retirada dela piorem”, contou o tenente-coronel aviador Edson Amorim Bezerra, responsável pela investigação sobre a queda do avião.

“Ontem (20) instalamos boias e fizemos a amarração do aparelho, que está ancorado. Por conta das boias e do movimento da maré, hoje (21) o avião flutuou totalmente, perdendo o contato com o fundo do mar”, contou Bezerra.

“Durante essa operação verificamos que a retirada do avião será complexa, porque ele está num local muito raso, onde a profundidade é de apenas três metros”, afirmou.

“Se fosse uma operação simples, a própria Aeronáutica faria o resgate. Poderíamos usar um navio que está perto e a Petrobras nos ofereceu, mas ele não chega no local onde o avião está, devido à profundidade. Nesses casos é preciso contratar uma empresa especializada, e cabe ao dono do avião arcar com o custo. A seguradora já contratou uma firma sediada no Rio, cujos agentes devem chegar a Paraty ainda na tarde deste sábado (21). A empresa vai estudar o caso, montar um plano de retirada que será submetido à Marinha e ao Cenipa e então o resgate será feito”, explicou o responsável pela investigação.

Por enquanto a operação de resgate da aeronave está parada e não há prazo para que ela seja retomada.

A retirada efetiva pode demorar dias. Enquanto isso, a Marinha vigia a área ao redor de onde o avião está e impede a navegação nesse trecho.

Quando o avião for resgatado, será encaminhado para a Base Aérea do aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro.

Segundo o tenente-coronel, o gravador que registra as conversas do piloto foi encaminhado para Brasília, onde seu conteúdo será analisado. Ele diz ainda não poder avaliar qual é a causa mais provável da queda. “Estamos numa etapa preliminar, seria muito prematuro dizer qualquer coisa”, afirmou.

Fonte: exame.com

Temer vai indicar substituto de Teori após definição de relator

Temer vai indicar substituto de Teori após definição de relator

Presidente fez a declaração durante o velório do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, em Porto Alegre.

O presidente Michel Temer afirmou na tarde deste sábado que só vai indicar o substituto de Teori Zavascki no Supremo Tribunal Federal (STF) “após a indicação de um novo relator”. Caberá à presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, redistribuir o processo da Operação Lava Jato, que Teori relatava. A ministra já indicou que deve redistribuir o processo entre os atuais dez integrantes da Corte.

A declaração de Temer foi dada em Porto Alegre, durante o velório de Teori Zavascki, que ocorre na sede do tribunal Regional federal da 4ª Região (TRF-4). O presidente registrou seu pesar pessoal e de todo o governo pela morte de Teori e disse que se trata “de uma perda lamentável para o país, o poder Judiciário e a classe política”.

“Ele era um homem de bem. O Brasil precisa cada vez mais de homens com a competência moral e profissional de Teori”, acrescentou Temer.

O ministro das Relações Exteriores, José Serra, também fez um breve pronunciamento, lembrando que tinha uma boa relação com Teori, com quem se reuniu diversas vezes para discutir questões relacionadas ao processo legislativo. “Foi um exemplo em todas as funções que ocupou”, disse o tucano.

Além de Serra, acompanharam o presidente os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, da Justiça, Alexandre de Moraes, do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Os governadores José Ivo Sartori (PMDB), do Rio Grande do Sul, e Geraldo Alckmin (PSDB), de São Paulo, também compareceram ao velório.

Fonte: veja.com

Teori não sofria ameaças sérias, diz Paulo Odone

Teori não sofria ameaças sérias, diz Paulo Odone

Segundo o ex-deputado estadual gaúcho e amigo do ministro do STF, ele pretendia homologar as delações da Odebrecht em pouco tempo.

O ex-deputado estadual gaúcho Paulo Odone, amigo do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki por mais de 40 anos, disse hoje que ele não sofria ameaças sérias em função da sua atuação na Operação Lava Jato.

“Se teve pressões, foi radicalismo de redes sociais, tanto de direita como de esquerda. Fizeram protestos em frente ao edifício dele, ameaças de morte para ele e os filhos, mas era bobagem, passou rápido. Alguém sempre vai reclamar, se sentir prejudicado, mas ele dizia que não podia pensar nisso, que seu papel no Supremo era aplicar a lei e preservar a Constituição. Ele dizia que tomava suas decisões independentemente do nome que estava no processo e que faria assim até o fim”, comentou ao chegar para o velório do amigo, que ocorre na sede do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre.

Segundo ele, Teori tinha dito que pretendia homologar as delações da Odebrecht em pouco tempo. “Ele dizia que sua função era examinar se as formalidades da delação estavam de acordo com a lei e que ia ficar com isso poucos dias na sua mesa”, comentou.

Odone reconheceu que, com a mudança na relatoria, deve haver um atraso nessas homologações, mas pediu celeridade no processo. “É claro que, com a troca de relator, não será a mesma coisa. O Teori tinha intimidade com o caso, se comunicava com a sua equipe mesmo durante as férias. Mesmo assim, é bom que essa homologação seja rápida”.

Fonte: exame.com

Novo ministro será sabatinado por investigados na Lava Jato

Câmara começa a discutir reformas trabalhista e da Previdência

Temer escolherá um nome e submeterá sua decisão a uma sabatina da CCJ do Senado, seguida de votação em plenário.

O novo ministro do Supremo Tribunal Federal, que substituirá o ministro Teori Zavascki, que morreu na queda de um avião na última quinta feira (19) em Paraty, será sabatinado pelo Senado, que tem diversos membros investigados na Operação Lava Jato.

Se optar por seguir o processo padrão para nomeação de um ministro, o presidente Michel Temer escolherá um nome e submeterá a sua decisão a uma sabatina da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, seguida de uma votação em plenário.

Segundo “Brasil Post”, oito integrantes da CCJ são alvos da força-tarefa que investiga o esquema de corrupção na Petrobras. São eles: Romero Jucá (PMDB-RR), Benedito de Lira (PP-AL), Ciro Nogueira (PP-PI), Edison Lobão (PMDB-MA), Valdir Raupp (PMDB-RO), Humberto Costa (PT-PE), Lindbergh Farias (PT-RJ) e Gleisi Hoffmann (PT-PR).

Porém, a composição da comissão pode mudar a partir de fevereiro. Além do mais, Temer já cogita deixar a decisão de quem será o substituto de Teori nas mãos do STF.

Fonte: noticiasaominuto

OAB quer redistribuição da Lava Jato antes de indicação de Temer

Teori via poucas provas para muitos delatores na Lava Jato

Para a entidade, aguardar a nomeação do sucessor do ministro pelo presidente “servirá apenas para agravar o ambiente político-institucional do país”.

Um dia após a morte do ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no STF, o presidente nacional da OAB Claudio Lamachia afirmou que é “imperativo” que o Supremo redistribua imediatamente os processos da operação.

Para o presidente da entidade, aguardar a nomeação do sucessor do ministro pelo presidente Michel Temer (PMDB) para que os processos sejam redistribuídos “servirá apenas para agravar o ambiente político-institucional do país”.

“O próprio ministro Teori Zavascki, ao nomear uma força-tarefa, durante o recesso do Judiciário, para dar seguimento à homologação das delações da Odebrecht, demonstrou firme determinação em não postergar matéria de tal relevância. E é essa a expectativa da sociedade”, disse Lamachia em manifestação divulgada na tarde desta sexta-feira, 20.

Como relator da Lava Jato na Corte, Teori homologou 24 acordos de colaboração antes da Odebrecht e concentrava em seu gabinete a maioria das investigações contra políticos com prerrogativa de foro decorrentes da operação iniciada na Justiça Federal em Curitiba.

O presidente da OAB ainda afirmou, sem citar nomes, que os “condutores do rito de nomeação”, em referência ao Executivo e ao Legislativo, “têm alguns de seus integrantes mencionados nas delações”.

“Optar por essa alternativa é dar margem a controvérsias e questionamentos, que não contribuem para a paz social”, segue Lamachia.

Cabe a Temer o papel de indicar o novo ministro do STF, cujo nome precisa ser sabatinado e aprovado pelo Senado, que pode decidir se acata ou não o indicado pelo presidente da República. A rigor, contudo, Temer não tem um prazo para escolher o sucessor de Teori.

O sucessor de Teori herda automaticamente todos os processos do gabinete do ministro. Contudo, a possibilidade de a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, redistribuir os processos relativos à Lava Jato com base no regimento interno do Supremo – que prevê a redistribuição em casos “excepcionais” – vem sendo aventada no meio político.

Fonte: exame.com

Vídeo mostra momentos após a queda de avião com Teori Zavascki

Piloto do avião de Teori disse que esperaria fim da chuva para pousar, afirmam técnicos

Ministro do STF morreu em acidente aéreo na tarde desta quinta-feira (19).

Imagens feitas a partir de uma lancha da Capitania dos Portos em Paraty (RJ) mostram os primeiros momentos após a queda de avião que matou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki e outras quatro pessoas.

A assessoria de comunicação da Infraero informou que a aeronave decolou às 13h01 da quinta-feira do Campo de Marte, em São Paulo, com destino a Paraty, e caiu a dois quilômetros de distância da cabeceira da pista do aeroporto da cidade fluminense.

A área de Paraty havia registrado chuvas durante a madrugada, mas amanheceu com tempo nublado. Entre as 13h e as 14h, começou a chover, em termos meteorológicos, de forma moderada. Foi registrada uma precipitação de 10,8 milímetros no período aproximado uma hora.

As cinco pessoas a bordo morreram. Agora, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal vão investigar as circunstâncias da queda.

O ministro Teori Zavascki era o relator de ações sobre a Lava Jato no Supremo Tribunal Federal. Em 2015 e 2016, foi responsável por alguns dos desdobramentos mais importantes da operação.

Fonte: ig.com

Cenipa encontra caixa de gravação de voz de avião de Teori

Cenipa encontra caixa de gravação de voz de avião de Teori

Segundo o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), o aparelho será encaminhado para a sede do órgão, em Brasília.

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) encontrou, no início da tarde desta sexta-feira, 20, um aparelho de gravação de voz do avião que caiu ontem em Paraty e matou o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, e outras quatro pessoas.

Segundo informações do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão da Aeronáutica que investiga a queda do avião, o aparelho será encaminhado para a sede do órgão, em Brasília, para ser analisado.

O Comando da Aeronáutica enviou a Paraty (RJ) uma equipe de militares especializados em investigação de acidentes aeronáuticos. Os dois primeiros chegaram ao local às 20h30 de ontem (19). No total são sete militares da Aeronáutica responsáveis pela investigação.

Esses profissionais vão atuar na chamada “fase de ação inicial”, que consiste na coleta de dados no local do acidente. Para isso, a equipe analisa os destroços, busca indícios de falhas, levanta hipóteses sobre o desempenho da aeronave nos momentos finais do voo, fotografa detalhes e retira partes da aeronave para análise, se for o caso.

A investigação prosseguirá com a fase de análise dos dados e levará em conta diversos fatores contribuintes, sejam materiais (sistemas da aeronave e projeto, por exemplo), humanos (aspectos médicos e psicológicos) ou operacionais (rota, meteorologia, etc).

Ao longo dos trabalhos, outros profissionais (pilotos, engenheiros, médicos, psicólogos, mecânicos, etc.) poderão se integrar à comissão, conferindo o caráter de multidisciplinaridade à investigação.

Não é possível estabelecer prazo para o término das investigações, que varia de acordo com a complexidade de cada ocorrência.

A Aeronáutica, por meio do Cenipa, é o órgão responsável para conduzir as investigações de acidentes com aeronaves no País. O resultado da investigação é divulgado somente após a conclusão do Relatório Final, que é publicado pelo Cenipa.

A investigação realizada pelo órgão tem como finalidade a prevenção de acidentes aeronáuticos. O relatório final irá identificar os fatores que contribuíram para o acidente e elaborar as recomendações de segurança. A Polícia Federal vai conduzir sua investigação paralelamente.

Fonte: exame.com

Campanha pede Sergio Moro no STF

Empresária que pediu para Moro 'limpar país' é alvo da Lava Jato

Morte de Teori Zavascki toma as redes sociais.

O juiz Sergio Moro está nos assuntos mais comentados do Twitter brasileiro. Em menos de uma hora, 24 mil comentários foram postados pedindo que ele substitua Teori Zavascki como ministro do Supremo Tribunal Federal.

Zavascki faleceu na tarde desta quinta (19) vítima de um acidente aéreo em Paraty, no litoral sul do Rio. Ele era relator da Lava-Jato no STF.

Já Odebrecht recebeu ainda mais menções. Em 60 minutos, foram 90 mil postagens. A Lava-Jato prepara a homologação das delações feitas pela empreiteira, prevista para fevereiro.

Fonte: veja.com