Com lutas canceladas, lutadora da UFC vende nudes online

Painel Político - https://revista.painelpolitico.com

Após ver suas lutas serem canceladas por conta do novo coronavírus, a lutadora do  UFCCindy Dandois , lançou uma conta no OnlyFans, site que entrou em evidência por ser usado para a venda de “nudes” online.

Com 35 anos, ela assinou com o UFC em 2017 e desde então também luta pelo Bellator. Mas, após a devastadora pandemia, a atleta se voltou para esse outro meio de ganhar dinheiro.

Ao lado de uma foto de lingerie, a belga anunciou o lançamento de sua conta em sua página no Twitter, no fim de semana. 

Ela escreveu: “Perdi minha academia durante esse confinamento de Covid, nenhuma ajuda de nosso governo e lutas foram canceladas, me deixando com grandes problemas financeiros. Criei o Only Fans para poder arrecadar o dinheiro para reabrir a academia”, revelou.

Sua primeira luta no UFC aconteceu há três anos em Nashville, quando foi derrotada por Alexis Davis, por decisão unânime. Porém, atualmente, ela está em uma série de de quatro vitórias, tendo, na última luta, derrotado Eleni Mytilinaki, em Atenas.

Dandois possui uma carreira com 16 vitórias e 5 derrotas e perdeu apenas três de suas últimas 14 lutas nos últimos cinco anos.

Claudia Gadelha, do UFC, assume namoro com ring girl do Ultimate

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Claudia Gadelha, que tem luta marcada para o primeiro UFC do ano, dia 18 de janeiro, assumiu namoro através das redes sociais

A lutadora do UFC Claudia Gadelha está namorando a ring girl da organização Camila Oliveira . Há algum tempo as duas vinham compartilhando fotos e vídeos no Instagram, mas nas festas de final de ano, que passaram juntas, responderam alguns seguidores que questionaram o namoro.

Em um post no último dia 25 de dezembro, Camila posou ao lado de Claudia Gadelha e se declarou. “Obrigada por fazer de 2019 um dos melhores da minha vida. com muitos aprendizados e momentos incríveis. Te vejo em Vegasm vibrando amor e paz”, escreveu.

A lutadora, que volta ao octógono contra Alexa Grasso no UFC 246, dia 18 de janeiro, em Vegas. A última luta de Claudia Gadelha foi no UFC 239, quando ela venceu Randa Markos por decisão.

Continue lendo…

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Ring Girls do UFC falam de vida fora do octógono e episódios de assédio

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Camila Oliveira e Luciana Andrade estarão no UFC São Paulo, no próximo sábado (16), dessa vez sem Jhenny Andrade, que está fora pela gravidez

No próximo sábado (16), acontece no Ginásio do Ibirapuera o UFC São Paulo, e isso significa que os atletas do card, entre eles os brasileiros Maurício Shogun e Ronaldo Jacaré, devem estar prontos para suas respectivas lutas, mas engana-se quem pensa que só os atletas precisam se preparar para o grande dia. As ring girls – que, convenhamos, são uma atração à parte de qualquer evento do Ultimate – também se esforçam para fazer bonito no octógono.

Neste ano, o trio de ring girls brasileiras estará desfalcado em São Paulo já que Jhenny Andrade está grávida e de licença. Mas Camila Oliveira e Luciana Andrade já estão prontíssimas para animar o UFC, pelo menos é isso que elas contam em entrevista ao iG Esporte.

Camila, que foi a primeira ring girl brasileira contratada pelo Ultimate, conta que há um ano sua dieta é constante e não apenas nos dias que antecedem o evento. “A única coisa diferente que faço é diminuir a quantidade de carboidratos que como na semana anterior ou do evento”, explicou. Luciana também diz que a dieta e o treino são constantes na sua vida, mas não é muito fácil de seguir. “Nem sempre acontece, mas a gente tenta”.

Mulheres no UFC

camila oliveira
Reprodução/InstagramCamila Oliveira

Quando pensamos em mulheres dentro do UFC, um esporte com público predominantemente predominante masculino, imaginamos que elas podem sofrer algum tipo de assédio e realmente com Camila já aconteceu. “Eu sofri uma vez, logo no começo, por parte do público. Eu estava passando e um cara gritou palavras feias e fez gestos horríveis. Me incomodou, o segurança foi até ele e avisou que ele seria retirado da arena se não parasse. Desde então, nunca mais aconteceu. Os fãs são muito respeitosos”, comentou ela. 

Luciana conta que sim, existe assédio, mas com ela nunca foi nada exagerado. “Tanto os fãs quanto a equipe do UFC sempre foram muito respeitosos comigo e, felizmente, nunca passei por qualquer situação humilhante ou constrangedora”.

O UFC foi responsável por despertar em Camila a paixão pelo muay thai e foi aí que ela começou a praticar a luta, mas aos 9 anos ela já fazia capoeira e sempre gostou de lutas, tanto, que não pensou duas vezes antes de fazer o teste para se tornar a primeira Octagon Girl brasileira.

O mesmo aconteceu com sua companheira de trabalho, contratada pelo Ultimate há cinco anos. “Eu nasci em Curitiba, que é uma cidade considerada a meca do MMA: Anderson, Shogun, Wanderlei e outros nomes vieram de lá. Então, sempre gostei de assistir lutas e faço isso desde a época do Pride”, explicou.

Luciana Andrade
Reprodução/InstagramLuciana Andrade

As duas também guardam muitos momentos marcantes dentro do UFC, por exemplo, o UFC 198, que aconteceu em Curitiba, foi marcante para Luciana pelo fato de ter acontecido em sua cidade. Já para Camila, ser a primeira ring girl do país pesa muito. “Acredito que pesa o fato de ter sido a primeira Octagon Girl brasileira, ter aberto a porta no Brasil. Daqui a um tempo vou querer parar, me aposentar e é importante ter esse marco e poder incentivar outras meninas”.

Recentemente, quando o UFC foi em Melbourne, na Austrália, a prefeita da cidade quis banir as ring girls para que elas não participassem do evento. Para Camila, “mulher tem que estar onde ela quiser estar”, mas ela respeita todas as opiniões. “Esse modo de proteger não acho certo, estão me julgando sem saber se quero trabalhar com isso”, explicou.

“Ninguém me falta com respeito aqui dentro. É um trabalho que me sustenta e me permite ajudar a minha família. E foi como o Dana disse, nós vamos ficar e estamos apenas fazendo nosso trabalho, como todo mundo. O UFC me ajudou a conquistar meu espaço no mundo”.

camila oliveira
Divulgação/UFCCamila Oliveira

Luciana relembrou que na Fórmula 1, as Grid Girls também foram banidas, mas cita que as pessoas desconhecem a realidade do trabalho das mulheres e de suas remunerações. “Estamos em 2019 e ainda tem gente tentando nos dizer o que devemos fazer, onde devemos trabalhar, como devemos nos vestir”, opinou ela.

“Eu entrei no UFC sabendo quais seriam as minhas funções como embaixadora da marca e não me sinto desrespeitada ou explorada de forma alguma. Se as condições de trabalho fossem qualquer coisa menos do que corretas eu não estaria no UFC há cinco anos”, continuou.

“Eu acho que temos outras formas de empoderar e proteger as mulheres. Como embaixadoras do UFC, somos tão importantes quanto qualquer outra pessoa envolvida e eu fico muito feliz em trabalhar para uma organização que me respeita e me defende desse tipo de comentário. O UFC me abriu muitas portas, me proporcionou momentos incríveis – já conheci cidades em 17 países diferentes”, finalizou.

Vida fora do octógono

Luciana Andrade
Reprodução/InstagramLuciana Andrade

Camila vive hoje em Las Vegas, onde estuda em uma escola de inglês durante a semana. Além do UFC, ela também faz muitos trabalhos como modelo e com parcerias através do Instagram. “É um jeito que eu encontrei que funciona com a minha vida, que é muito corrida, tem muitas viagens. Dessa forma, posso trabalhar de qualquer lugar”, explicou.

Perto de Camila, está Luciana, que vive hoje em Los Angeles. Lá, ela atua como diretora de uma empresa de softwares. Quando não está com as outras ring girls nos eventos do Ultimate ela passa o tempo com a família e os amigos. Do IG Esportes

LEIA TAMBÉM

Chris Weidman é nocauteado por Dominick Reyes em menos de dois minutos no UFC Boston

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Em estreia nos meio-pesados, ex-campeão dos médios e algoz de Anderson Silva não resistiu a força do rival e caiu ainda no primeiro round

A estreia de Chris Weidman na divisão de meio-pesados (até 93.1 kg.) não foi da forma que o ex-campeão dos médios (até 83.9 kg.) esperava. Em menos de dois minutos de luta, o algoz de Anderson Silva foi brutalmente nocauteado por Dominick Reyes. O combate foi a atração principal do UFC Boston, realizado na noite desta sexta-feira (18), nos EUA.

Com o resultado, Reyes se mantém invicto no MMA com 12 vitórias em 12 apresentações e pode subir ainda mais no ranking da divisão, atualmente ele é o quarto na classificação. Por outro lado, a fase de Weidman não é boa. O ex-campeão da categoria de baixo acumula a quarta derrota nas últimas cinco lutas.

Após o triunfo, Dominick Reyes não perdeu a oportunidade de desafiar Jon Jones pelo cinturão da categoria. “Ei Jon (Jones), não quero nenhum favor, eu quero aquele cinturão. Vamos lá”, disse ainda no octógono.disse o lutador ainda no octógono

D. Reyes vence Weidman no UFC Boston. Foto: Reprodução/Instagram @domreyes24

A luta

Visivelmente maior e mais forte, Reys tentou ditar o ritmo da luta logo nos primeiros movimentos. Ele chutou a base de Weidman duas vezes e fez com que o ex-campeão buscasse o clinch. Chris até conseguiu derrubar o rival, mas Dominick bateu no chão e se levantou rápido.

Weidman ainda manteve o adversário no clinch, mas no momento em que Reys soltou a pegada, a diferença de força ficou evidente. Chris soltou um soco reto, mas o golpe de encontro entrou em cheio. Weidman foi ao chão e ainda tentou se defender com uma pedalada, mas Dominick conseguiu passar a guarda e com alguns socos por cima chegou ao nocaute técnico a 1m43s de disputa.

VEJA O NOCAUTE

Resultados do UFC Boston

CARD PRINCIPAL

Peso meio-pesado (até 93kg.): Dominick Reyes derrotou Chris Weidman por nocaute a 1m43s do R1

Peso pena (até 65,7kg.): Yair Rodriguez derrotou Jeremy Stephens na decisão unânime dos juízes (29-28 29-28 29-28)

Peso pesado (até 120,2kg.): Greg Hardy derrotou Ben Sosoli na decisão unânime dos juízes (29-28 29-28 29-28)

Peso leve (até 70,3kg.): Joe Lauzon derrotou Jonathan Pearce por nocaute técnico a 1m33s do R1

Peso mosca (até 56,7kg.): Maycee Barber derrotou Gillian Robertson por nocaute técnico a 3m04s do R1

Peso médio (até 83,9kg.): Darren Stewart derrotou Deron Winn na decisão dividida dos juízes (29-28 28-29 29-28)

CARD PRELIMINAR

Peso pena (até 65,7kg.): Charles Rosa finalizou Manny Bermudez com uma chave de braço a 2m46s do R1

Peso mosca (até 56,7kg.): Molly McCann derrotou Diana Belbita na decisão unânime dos juízes (30-26 30-26 30-26)

Peso pena (até 65,7kg.): Sean Woodson derrotou Kyle Bochniak na decisão unânime dos juízes (30-27 30-26 30-27)

Peso galo (até 61,2kg.): Randy Costa derrotou Boston Salmon por nocaute técnico a 2m15s do R1

Peso meio-médio (até 77kg.): Sean Brady derrotou Court McGee na decisão unânime dos juízes (30-27 29-28 30-27)

Peso médio (até 83,9kg.): Brendan Allen finalizou Kevin Holland com um mata-leão a 3m38s do R2

Peso pesado (até 120,2kg.): Tanner Boser derrotou Daniel Spitz na decisão unânime dos juízes (30-27 30-27 30-27)

Do Superlutas

Belfort anuncia que luta contra Uriah Hall será a última da carreira

Vitor Belfort, após mais de 20 anos no MMA, vai parar. Na tarde desta quinta-feira (11), o lutador brasileiro anunciou que o combate deste fim de semana contra o jamaicano Uriah Hall, válido pelo UFC St. Louis, será o último da carreira.

A partir da próxima semana, o “Fenômeno” se dedicará a novas atividades ligadas à modalidade, mas longe da dura rotina de um atleta profissional de MMA (Artes Marciais Mistas).

“Vou começar segunda-feira [15], quando começo a abrir as franquias da academia. Estou investindo no meu negócio. É hora de descansar meu corpo e abrir as academias. Estou focado na minha segunda jornada”, afirmou o lutador brasileiro em conversa com jornalistas.

Aos 40 anos, Belfort se dedicará agora a sua própria academia, a Belfort Lifestyle. O lutador tem planos de expandir o conceito de seu novo negócio e afirma que apenas uma oferta muito interessante o faria voltar ao octógono.

“Muito dinheiro, muito dinheiro [para voltar]. Bota milhões nisso. Vou estar sempre treinando, me dedicando às pessoas. Vou estar sempre preparado. Gosto de fazer isso, é meu estilo de vida. Mas tem que ser muito interessante, estou muito insatisfeito com essa decisão. Falar de 10 milhões para cima. Começar a conversa aí”, prosseguiu.

Sobre a carreira, o ex-campeão meio-pesado e peso-pesado do UFC disse não se importar com a maneira em como será lembrado pelas próximas gerações.

“Fiz o meu melhor. Errei, acertei. Chegou o momento de passar em transição para a segunda jornada. Como vou ser lembrado, na realidade, é como o próximo vai lembrar de como você era. O princípio de tudo é estar satisfeito com você mesmo”, completou.

Com informações da Folhapress.

Lutador do UFC dá spoiler de ‘Star Wars’ e é ameaçado de morte

O lutador Colby Covington, que compete nos pesos meio-médios do UFC  (77kg), esteve em um programa de rádio nos Estados Unidos onde falou sobre a confusão em que se meteu com os fãs de “Star Wars”.

Tud0 começou há cerca de 10 dias, quando o lutador, atual número três no ranking, contou o final do último filme da série, “Star Wars – Os Últimos Jedi”, nas suas redes sociais, e começou a receber ameaças de morte dos fãs – alguns ameaçaram até mesmo apelar para que o Estado Islâmico resolvesse o “assunto”.

O lutador, o mesmo que disse odiar o Brasil quando esteve aqui para o UFC São Paulo para enfrentar Demain Maia, afirmou que fez “um favor” aos fãs de revelar o fim do filme.

“Vamos ser honestos. ‘Star Wars’ é para nerds e virgens. Eu fiz um favor. Eles deveriam estar me agradecendo e não me mandando ameaças de morte. E não, não assisti o filme. Eu estava transando”, disparou o lutador. “Todas as pessoas que me odeiam são virgens, então é fácil destruir as suas vidas patéticas. Fala sério. Eu não tenho duas horas e meia para gastar na p… da minha vida com um filme retardado como esse”.

Segundo Covington, muitas pessoas ameaçaram jogar bombas em sua casa, que fica no Oregon, Estados Unidos.

Fonte: esportefera.com

Estrela do UFC, Ronda Rousey tem fotos nuas vazadas na internet

Casa de Ronda Rousey é assaltada por grupo de skatistas nos EUA

Imagens que estão circulando pela internet são de bastidores de um ensaio sensual que ela fez para revista ESPN Body Issue, em 2015

Ronda Rousey voltou a ser assunto no mundo do MMA . Não pela sua performance dentro do octógono, mas sim pelo vazamento de algumas fotos nuas, tiradas em 2015, quando posou para a revista “ESPN Body Issue” – as imagens que estão circulando pela internet são de bastidores, que não foram divulgadas para o público naquela época.

A ex-campeã do UFC ainda não se pronunciou sobre o assunto, mas isso não deve incomodar muito. Quando fez essa sessão de fotos, Ronda Rousey disse que decidiu tirar a roupa para a revista por medo que seu ex-namorado divulgasse suas fotos íntimas.

“A melhor maneira de lidar com o assunto? Vou tirar fotos nua e vou publicá-las do meu jeito. Se for para as pessoas não gostarem de mim, então que não gostem da forma que eu quiser. Vou ser a pior e mais fantástica vilã que eles já viram”, disse a lutadora à rádio SiriusXM na ocasião.

“A verdade é que se houvesse mais fotos minhas em algum lugar, elas poderiam vir à tona a qualquer momento. Informação é o maior poder hoje em dia. Se eu revelar tudo sobre o assunto, não haverá mais nada com que eu tenha que me preocupar. Prefiro que as pessoas saibam dessas coisas por mim a que saibam mais tarde, por outra pessoa”,  finalizou a musa do UFC .

Fora dos holofotes

Com um cartel de 12 vitórias e duas derrotas dentro do MMA, Ronda Rousey está afastada do octógono do UFC desde dezembro do ano passando, quando enfrentou e perdeu da brasileira Amanda Nunes em disputa pelo título do peso-galo – ela foi nocauteada em apenas 48 segundos de luta. Antes, a norte-americana já havia perdido o cinturão no combate diante de Holly Holm.

Ex-UFC, Tim Hague morre após ser nocauteado

Ex-UFC, Tim Hague morre após ser nocauteado

O ex-lutador canadense do UFC Tim Hague faleceu neste domingo após ser nocauteado em uma luta de boxe, em Edmonton, no Canadá, na última sexta-feira. Hague foi encaminhado ao hospital logo após o combate contra o ex-jogador de futebol americano Adam Braidwood, mas não resistiu à hemorragia cerebral.

Durante a luta, Hague sofreu uma série de golpes durante a luta, porém o árbitro só encerrou o combate quando o canadense caiu desacordado no ringue.

“É com incrível tristeza e dor no coração que informo a morte de Tim hoje. Ele foi cercado por sua família, ouvindo suas músicas favoritas. Iremos sentir muito a falta dele”, escreveu a irmã de Tim Hague, Jackie Neil.

Hague teve cinco aparições no UFC. Depois de vencer na sua estreia, o canadense acabou derrotado em outras quatro lutas antes de se desvincular do principal torneio de artes marciais mistas. Ao todo ele entrou em ação no octógono 34 vezes e possui um cartel de 21 vitórias e 13 derrotas.

Além de lutador, Tim Hague também era professor em uma escola no Canadá. Em comunicado oficial, a École Bellevue School, instituição onde ele trabalhava, escreveu: “Era um professor amado. Seus alunos o amavam e ele era parte importante da comunidade da escola”.

Fonte: veja.com

Belfort confirma aposentadoria e quer última luta no Rio; não viu? assista a luta completa

Ex-campeão do UFC reflete após acumular terceira derrota consecutiva por nocaute

O feômeno está perto de seu último ato no MMA. Depois de ser nocauteado por Kelvin Gastelum na luta principal do UFC Fight Night Fortaleza, neste sábado, Vitor Belfort confirmou que sua próxima luta representará sua despedida do esporte, lamentou o revés contra o americano e revelou que pretende fazer sua última apresentação no Rio de Janeiro, dia 3 de junho, pelo UFC 212.

“Não tive paciência, fui muito afoito. Estava muito bem preparado, meu time treinou bastante. Eu estava bem, confiante que ia nocautear. Temos que nos reinventar, mas acho que chegou a minha hora de encerrar o meu capítulo como lutador profissional. O corpo não é mais a mesma coisa. São mais de 14 cirurgias no corpo ao todo. Deixei tudo ali, não foi da melhor forma, fico triste, mas faz parte. (Vou parar de lutar) a não ser que eles (UFC) criem uma organização só das lendas. Fazer treinamento para cinco rounds é muito sacrificante para o meu corpo. Ele me conectou bons golpes. Não tenho o mesmo corpo”, avaliou Vitor, buscando respostas para o terceiro revés consecutivos no evento.

Belfort diz ainda que gostaria de se apresentar no UFC 212, dia 3 de junho, no Rio de Janeiro (RJ). Ele quer uma despedida digna para sua carreira.

“Acho que fui muito afoito, estava com sede de vitória. Quando levantei da primeira queda, não tive paciência. Estava querendo ganhar a luta. Tenho só uma luta do contrato. Não queria enfrentar brasileiro, não. Queria finalizar minha carreira profissional. Ver o MMA onde chegou… É triste não poder dar a vitória a seu povo, mas Já era algo decidido na minha cabeça (aposentadoria), só não tinha anunciado ainda. Acho que o UFC deveria criar uma categoria das lendas. Sei o quanto é difícil, não é fácil. Sem sacrifício, não há glória. Saio com o sentimento de que deixei escorregar… Paguei o preço. O Kelvin foi o vencedor mas eu fui muito afoito”, concluiu.


Vitor Belfort vs Kelvin Gastelum Luta completa… por painelpolitico

Brasileira Amanda Nunes massacra Ronda Rousey no 1º round no UFC; veja a luta

Pelo triunfo conquistado em apenas 48 segundos, Amanda levou o cheque-extra de 50 mil dólares (cerca de R$ 170 mil)

O suspense durou pouco. Amanda Nunes não deu chances para Ronda Rousey e logo no primeiro round deu cabo da americana, favorita para o combate. Disposta a trocar em pé com a brasileira, a judoca se abriu e, mesmo sendo canhota, usou base de destra. A partir daí foi um passeio para a brasileira, que em menos de um minuto nocauteou a rival com precisos e duros diretos.

Afoita, Ronda caminhou para sempre e logo de cara recebeu potentes golpes da baiana, que dançou ao redor do ringue e atacou seguidamente. Ronda, resistente, precisou ser salva pelo árbitro, que interrompeu o confronto para preservar a saúde da ex-campeã, que mais uma vez foi derrotada.

“Estou feliz. Tenho um time atrás de mim. Incrível como a America Top Team me colocou em um outro level.É inacreditável. É a minha hora, eu sou a campeã. Esqueçam a Ronda Rousey, eu estou aqui. Amanda Nunes! “, narrou a brasileira.

Em novembro do ano passado, Ronda perdeu o cinturão para Holly Holm, se afastou da mídia e ficou meses sem se pronunciar. Ao fazê-lo, ela afirmou que que chegou a pensar em se aposentar tamanha a  depressão pela derrota. Nesta semana, a judoca se recusou a falar com a imprensa e deixou claro que não estava dispostas a se distrair antes do confronto. Mas a tática não deu certo.

Pelo triunfo conquistado em apenas 48 segundos, Amanda levou o cheque-extra de 50 mil dólares (cerca de R$ 170 mil), mesma quantia destinada a Alex Garcia, que nocauteou Mike Pyle também no primeiro assalto.

Para finalizar, a organização do UFC anunciou que Cody Garbrandt e Dominick Cruz receberam, cada um, o cheque de 50 mil dólares por terem protagonizado a melhor luta da noite.

Veja a luta na íntegra:

Vídeo 1 – Narração em português (Portugal)

Vídeo 2 – Em inglês