Polícia identifica homem-bomba; negociações seguem

Polícia está usando robô para conversas

O homem que ameaçou explodir a Universidade Jorge Amado (Unijorge) na tarde deste domingo (24) já foi identificado.

Ele adentrou a Unijorge no início da tarde e ameaçou os candidatos que estavam na sala 711 da unidade. No mesmo local, policiais do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) tentam convencer o homem com as iniciais F. S. M. a se entregar. Outras informações indicam que o suspeito se chama Frank Costa.

Inicialmente, os próprios agentes tentavam conversar com ele, mas sempre colocava a mão em uma sacola onde estariam explosivos. Devido a ameaça, o BOPE passou a utilizar um robô para facilitar o diálogo.

Suposto homem-bomba prestou Exame da OAB 18 vezes e alega explosivos em mochila

OAB suspendeu exame em toda a Bahia

O suposto homem-bomba que ameaçou estudantes e bacharéis que prestavam o Exame de Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) teria feito a prova outras 18 vezes antes do episódio deste domingo (24), informa o Bahia Notícias.

O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) negocia a rendição do suspeito, que alega ter uma mochila com bombas e faz uma série de reivindicações – não há, todavia, detalhes sobre quais exigências seriam essas.

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) vai avaliar a situação deste domingo (24), quando seria realizada a 1ª fase do exame da ordem em Salvador, na Unijorge, para então agendar uma nova data para aplicação das provas.

Por volta das 13h, quando as provas começavam a ser distribuídas aos estudantes, um homem ameaçou explodir o local com bombas. “O Conselho Federal vai divulgar uma nova data, para ser visto se será mantida a data da segunda fase”, explicou Betha Nova, presidente da Comissão de Estágio e Exame de Ordem da OAB-Bahia.

A segunda fase está prevista para acontecer em setembro. Em entrevista no local do incidente, Betha ainda respondeu às críticas referentes à segurança durante as provas e atribuiu à Fundação Getúlio Vargas (FGV) a responsabilidade pelo processo. “Fiscalizamos efetivamente a aplicação do exame, se há alguma intercorrência.

Questões de logística não temos como passar”, acrescentou. Ainda não há novidades sobre as negociações da polícia com o homem, mas Betha garantiu que ele está sozinho, sem reféns, e não houve mortos.