Menino de 2 anos cai do segundo andar de prédio em Vitória

Um menino de dois anos caiu do segundo andar de um prédio, no bairro São Pedro, em Vitória, na sexta-feira (17). Os pais estão de mudança do Rio de Janeiro para a Bahia e pararam para descansar na casa de uma tia, quando aconteceu o acidente.

A criança foi internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Infantil de Vitória e, segundo a família, a previsão da equipe médica é que o menino seja transferido para o quarto nesta segunda-feira (20). No entanto, não foi descartada a possibilidade de uma cirurgia no baço da criança.
Segundo a mãe da criança, o menino havia acabado de jantar, quando resolveu brincar com a cortina. Ele acabou se desequilibrando e caiu.

“Ele estava se escondendo atrás do blecaute, que estava fechado. Eu o chamei, mas ele foi para trás de novo. Estava meio aberto e, naquele vão, ele foi lá pra baixo. Eu ouvi muitos gritos na rua e o procurei, mas ele não estava do meu lado. Então, eu paralisei e já o vi no chão. Não gosto nem de pensar nessa cena”, falou Fabiana Oliveira.

Foi o pai que levou o filho para o pronto socorro, sem esperar a chegada do Samu. Para ele, foi um momento de descuido de todos. “Ainda mais ele, que é muito rápido, tem que estar com a atenção 24 horas por dia, sem tirar o olho. Numa possível distração, acontece o que aconteceu”, disse.

Com a queda, o menino teve sangramento no baço e precisou receber transfusão de sangue. Segundo a família, ele está fora de perigo.

G1/ES

Livro infantil sugere casamento entre pai e filha e prefeitura de Vitória diz que vai retirar obras das escolas

Livro infantil sugere casamento entre pai e filha e prefeitura de Vitória diz que vai retirar obras das escolas

A Prefeitura de Vitória decidiu, nesta quarta-feira (17), retirar das salas de aula o livro “Enquanto o sono não vem”, que sugere o matrimônio entre um pai e a filha. A obra de José Mauro Brant, da Editora Rocco, está no Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC), segundo o Ministério da Educação.

A polêmica surgiu das reclamações de profissionais de educação no Espírito Santo. O livro infantil é distribuído pelo Ministério da Educação (MEC) a escolas públicas do Brasil.

No livro, há um conto que fala do pedido de casamento de um pai para uma das filhas e, no final, ela acaba morrendo presa por não aceitar o pedido. O G1 entrou em contato com a editora do livro, que ainda não se manifestou.

A professora Fernanda Appel ficou surpresa com o tipo de abordagem. Para ela, o conto pode até afastar crianças da leitura. “Se na história existe isso, pode achar que é uma coisa normal. Ela tenta denunciar, mas não é atendida. Cadê o encantamento? A criança nessa fase está no conto de fadas”, analisou.

Livro

O livro “Enquanto o sono não vem” é destinado a alunos de primeiro ao terceiro ano, entre 6 e 8 anos. Nele o conto intitulado “A triste história de Eredegalda” fala de um rei que pede uma das três filhas em casamento.

A proposta do pai é que a mãe da menina seja criada deles. Ao recusar o convite do pai, a história conta que a menina é presa em uma torre, onde passa sede. Ao pedir à mãe e às duas irmãs para beber água, ela não recebe ajuda por ameaças de morte do pai.

No final ela acaba aceitando o convite do pai para se casar, mas ele resolve fazer um desafio com três cavaleiros: o que chegasse primeiro com um jarro d’água ganharia a mão da filha. Essa oferta, no entanto, não é explicada na história. O conto mostra que a menina morreu antes.

Vitória

A Prefeitura de Vitória informou, na tarde desta quarta-feira (31), que os livros serão remetidos ao MEC com um parecer técnico pedagógico.

Delegado

Para o titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), Lorenzo Pazolini, a abordagem surpreende negativamente e não deve ser levada a crianças. “Muitas dessas viveram ou presenciaram cenas de abuso. E reviver isso dentro da sala de aula traz um sofrimento com consequências dentro e fora da sala. É claro que é um conto, mas a mente de uma criança é vasta”, ressalta.

MEC

O Ministério da Educação (MEC) confirmou a presença do livro no Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC), mas disse que o processo foi realizado na gestão anterior, em 2014. Na nota, o MEC diz que está revendo todo o processo de seleção dos livros visando a melhoria da qualidade da educação e não citou o livro específico.

Fonte: g1/es

Mulher é estuprada dentro de provador de loja no Centro de Vitória

Vítima de 29 anos é amiga da proprietária e estava abrindo a loja. Homem também roubou objetos de valor e causou prejuízo de cerca de R$ 10 mil, segundo a dona.

Uma mulher de 29 anos foi estuprada por um homem dentro da loja onde trabalhava, no Corredor Criativo Nestor Gomes, no Centro de Vitória, na manhã desta quinta-feira (6). O homem roubou produtos e causou um prejuízo de cerca de R$ 10 mil à proprietária. A polícia foi acionada, mas o suspeito não foi encontrado.

O crime aconteceu por volta das 10h da manhã, no momento em que a mulher, amiga da dona, abria a loja. A proprietária contou que o homem anunciou o assalto e levou a vítima para dentro do provador para cometer o abuso.

“O rapaz chegou na loja, entrou, assaltou e estuprou uma amiga que fica na loja para mim. Esse cara estava sentado do lado da loja, ele pediu para entrar, perguntou se tinha roupa masculina. Ele roubou roupa, roubou uns 20 relógios, roubou meu notebook, roubou o celular dela, até a chave da loja”, relatou a dona.

Por conta da insegurança, a proprietária não pretende abrir a loja nos próximos dias e pensa até em fechar o estabelecimento.

“Ele ameaçou ela de morte. Falou que, se ela contasse, ele voltaria para matá-la. Nesses dias, vou ficar com a loja fechada e ver qual providência tomar. Estou pensando em fechar a loja. Para mim, foi muito triste”, lamentou.

Uma funcionária de outro estabelecimento da Rua Nestor Gomes disse que a sensação de insegurança no local é frequente. “Sempre nos sentimos inseguras. É uma olhando a loja da outra porque a maioria que trabalha aqui é mulher. Não existe polícia no Centro da Cidade”.

“A gente sempre teve essa preocupação com a segurança porque a praticamente não tem policiamento. Eu sempre recomendei cuidado. A gente está à mercê dos bandidos”, reclamou a dona da loja assaltada.

De acordo com ela, a polícia vai fazer um retrato falado para encontrar o suspeito. A vítima e a proprietária estiveram na delegacia e seguem para o Instituto Médico Legal.

Fonte: g1/es

Mãe suspeita de queimar o filho como forma de punição é presa em Vitória

Mãe suspeita de queimar o filho como forma de punição é presa em Vitória

Mulher, de 48 anos, esquentava talheres para ferir a criança.
Durante uma visita, pai percebeu um machucado e denunciou o caso.

Uma mulher de 48 anos foi presa nesta quarta-feira (15), em Vitória, por suspeita de torturar o filho, de quatro anos. Segundo a polícia, ela confessou que esquentava talheres para queimar a criança, como forma de punição. A mulher vai responder pelo crime de tortura e pode pegar até oito anos de prisão.

De acordo com o delegado, Lorenzo Pazolini, os pais da criança são separados. O menino morava com a mãe e visitava o pai a cada 15 dias.

Em uma dessas visitas, o pai percebeu que havia um machucado na língua da criança.

“Ele constatou que ele estava com a língua queimada, foi conversar com a criança, e ela contou que a mãe esquentava talheres e a queimava”, explicou o delegado.

Em depoimento à polícia, a mulher confessou e crime e disse que fazia isso como forma de punir o filho. “Neste último caso, ela fez isso porque a criança pegou um suco na geladeira sem pedir”, contou Pazolini. Ainda segundo o delegado, a mulher declarou estar arrependida.

A mãe foi encaminhada para o presídio e a criança está abrigada pelo Conselho Tutelar.

Fonte: g1/es

Suspeito de matar esposa é preso com ajuda dos irmãos em Vitória

Suspeito de matar esposa é preso com ajuda dos irmãos em Vitória

Polícia suspeita de que vítima foi morte com um golpe na cabeça em casa.
Suspeito e vítima eram casados há 17 anos.

Um homem de 40 anos, suspeito de matar a esposa, foi preso na tarde deste domingo (12), em Vitória. Irmãos do suspeito seguraram ele para que não fugisse da polícia. Ele nega que tenha matado a esposa.

O relacionamento entre o suspeito e a vítima, de 39 anos, tinha mais de 17 anos. Um parente da mulher, que não quis se identificar, disse que na sexta-feira (10), o suspeito foi até a casa da mãe e disse que tinha matado a esposa.

A família acionou a polícia, que fez buscas na região onde o casal morava mas não achou o corpo. Familiares foram ao Departamento Médico Legal (DML), mas o corpo da mulher não estava no local. Por isso desconfiaram que a confissão pudesse ser falsa.

Até que, na tarde deste domingo, parentes do homem perceberam que ele começou a juntar objetos pessoais. “Eles desconfiaram que ele iria fugir. Então começaram a segui-lo. Ele foi para a casa onde ele morava com a mulher”, relatou o familiar.

No local, os irmãos do suspeito o seguraram para que ele não fugisse. A polícia foi chamada. Alguns familiares da vítima também chegaram ao local, inclusive um dos filhos dela, um jovem de 21 anos, que foi quem encontrou o corpo.

O suspeito foi preso pela Polícia Militar, para quem ele negou ter matado a esposa. Ele foi autuado por feminicídio. A vítima deixa quatro filhos com idades entre 15 e 23 anos. Dois deles são filhos dos suspeito.

A polícia acredita que o assassinato tenha acontecido na noite da sexta-feira e que a vítima tenha sido atingida por um golpe na cabeça. O crime será investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Vício

Segundo familiares, a mulher e o marido eram usuários de drogas. Ela já foi internada mas o marido foi à clínica buscá-la.

Cômodo onde aconteceu crime fica em área isolada

As equipes da Polícia Civil tiveram dificuldade para recolher o corpo. A casa onde a vítima e o suspeito moravam fica embaixo de um barranco, cercado por mato, em um terreno baldio no bairro Bela Vista, em Vitória.

Segundo os familiares, os dois têm casa – ela em Vitória e ele na Serra – mas preferiram morar em um local onde pudessem consumir drogas sem que a família proibisse.

“É uma casa de um cômodo, parece uma caixa d’água. É um lugar ingrime”, descreve um parente.

Para recolher o corpo – que já estava em estado de decomposição – os policiais utilizaram o cabo de aço do rabecão. Cerca de cinco agentes participaram do recolhimento.

Por conta do estado do corpo, a polícia não soube precisar a causa da morte.

“A gente quer que ele pague por isso”

Um primo da vítima, que não quis se identificar, destacou a alegria da parente e diz que agora quer Justiça.

Há quanto tempo eles estavam juntos?

Eu acho que há quase 20 anos.

Como era o relacionamento deles?

Eles sempre usaram drogas. Ela era uma boa pessoa, não fazia mal a ninguém, mas a droga a transformava em outra pessoa.

E como a família de vocês lidava com isso?

A família sempre tentou ajudar, ela chegou a ser internada mas o homem foi atrás dela e tirou ela da clínica.

Qual é a sua lembrança mais marcante com ela?

Ela era uma pessoa muito alegre. Estava sempre fazendo brincadeiras com todo mundo. Quando a família estava reunida, ela sempre animava todo mundo.

Qual é o sentimento que fica agora?

Estamos todos tristes porque, apesar do problema com drogas, era ela uma pessoa muito querida. A família toda está muito triste.

E o que vocês esperam que aconteça?

A gente quer Justiça. O marido dela matou e confessou que matou. Agora a gente quer que ele pague por isso. Nós sabemos que a família dele também quer Justiça, afinal, foram os próprios irmãos que o entregaram para a polícia.

Fonte: g1/es

Avião tem princípio de incêndio em voo de BH a Vitória

Avião tem princípio de incêndio em voo de BH a Vitória

Aeronave é da Azul Linhas Aéreas e não houve feridos.
Avião permanecerá em Vitória para investigação.

Um avião da Azul Linhas Aéreas teve um princípio de incêndio nesta terça-feira (21), no Aeroporto de Vitória. A companhia disse que não houve feridos.

O voo 2520 partiu de Belo Horizonte, às 7h50, com destino a Vitória nesta manhã, com previsão de chegada as 8h57, mas pousou as 8h56, segundo dados do Flight Radar 24.

A Azul classificou a situação como “princípio de superaquecimento”, que foi controlado pela própria tripulação, segundo nota enviada.

O pouso e o desembarque dos passageiros ocorreu normalmente no aeroporto capixaba, segundo a Azul.
A aeronave permanecerá em Vitória para que o caso seja investigado pela companhia e pelas autoridades aeronáuticas.

A companhia, entretando, não informou o que foi danificado, mas um vídeo feito dentro da aeronave mostra uma parte queimada na lateral interna.

Uma foto também mostra uma equipe de resgate na pista do Aeroporto de Vitória.

 

Fonte: g1/es

PM tenta reagir a roubo, mulher não deixa e ele leva 14 tiros

Policial saiu com a sua mulher de uma academia e foi abordado por dois bandidos

O soldado da Polícia Militar do Espírito Santo André Monteiro dos Santos, de 22 anos, foi morto com 14 tiros, na madrugada desta quinta-feira (16) em Serra, na Grande Vitória. De acordo com informações de testemunhas no local, o policial estava de folga e saiu com a sua mulher de uma academia e foi abordado em seu carro por dois bandidos em uma moto. Eles anunciaram o assalto, e um deles portava uma faca.

Segundo informações da DHPP (Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa) de Vitória, o PM, que era do GAO (Grupo de Apoio Operacional) do 6° Batalhão, na mesma cidade, sacou a arma para se proteger, mas sua namorada o abraçou e o impediu de atirar.

O assaltante esfaqueou o PM no braço, derrubando sua pistola. O bandido aproveitou o deslize para usar a arma do PM e atirar contra ele, que não resistiu e morreu no local. Os bandidos também atiraram contra a namorada de Santos, mas não conseguiram acertá-la com a única bala que restou na arma. Muito abalada, a jovem não quis dar declarações.

A polícia informou que velório do policial ocorre na Igreja Assembleia de Deus, no bairro Jardim Bela Vista, em Serra. O local do enterro não foi divulgado. A Secretaria Estadual de Segurança Pública do Espírito Santo enviou uma nota lamentando o ocorrido.

Vitória (ES) amanhece com retomada parcial das aulas e do transporte urbano

Vitória (ES) amanhece com retomada parcial das aulas e do transporte urbano

O Espírito Santo chega nesta segunda-feira ao 10º dia de motim – agora parcial – da Polícia Militar.

A Grande Vitória amanheceu nesta segunda-feira (13/2), com intenso movimento nas ruas. As aulas na rede pública foram retomadas e a expectativa é para a reabertura do comércio. Quase toda a frota de ônibus está circulando, mas o funcionamento será com horário reduzido. O Espírito Santo chega nesta segunda-feira ao 10º dia de motim – agora parcial – da Polícia Militar.

A capital do Estado, contudo, ainda não está completamente de volta à normalidade. Nem todas as escolas da rede particular de ensino deverão funcionar, e os bancos só deverão reabrir em locais com policiamento ostensivo. O fechamento das agências na semana passada fez sumir o dinheiro nos caixas eletrônicos.

O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Edson Bastos, garantiu que 99% da frota de ônibus será colocada nas ruas nesta segunda-feira. As únicas linhas que não irão circular são aquelas que passam por regiões consideradas mais perigosas. A retomada do transporte público deverá ter reflexo positivo no comércio e no setor de prestação de serviços. A Fecomércio orientou os lojistas à reabrirem as portas.

A capital do Estado tenta retomar a normalidade após o retorno gradual de PMs ao serviço. No fim de semana, cerca de 12% do efetivo total de policiais da ativa voltou ao serviço em todo o Espírito Santo. Enquanto isso, a ordem e a segurança pública são garantidas com os soldados das Forças Armadas e agentes da Força Nacional de Segurança. Segundo o ministério da Defesa, são mais de três mil ao todo.

Fonte: correiobraziliense

No Espírito Santo, 144 pessoas foram mortas; PC e PF vão investigar participação de PMs

Em meio à crise, supermercados lotam em Vitória e produtos começam a faltar

Corregedoria da Polícia Militar acompanha a investigação

Uma força-tarefa formada por policiais civis e federais vai investigar a participação de policiais militares em crimes com sinais de execução durante a crise de segurança no Espírito Santo, segundo a Secretaria de Segurança Pública do Espírito Santo (Sesp). A Corregedoria da Polícia Militar acompanha a investigação.

O Espírito Santo ficou sem polícia militar nas ruas por causa do protesto de familiares, na porta de batalhões, que impede a saída dos PMs.

A Policial Militar não pode fazer greve porque é proibido pela constituição. Nas ocupações, as mulheres sempre alegam que são elas que estão no comando da paralisação. Mas, para as  autoridades, essa é uma tentativa de encobrir o que, na verdade, seria um motim dos PMs.

Sem a PM, uma onda de violência se instaurou e 144 mortes foram registradas até as 17h deste domingo, 9º dia de protestos, segundo o Sindicato dos Policiais Civis (Sindipol).

Diante do número de crimes, a Sesp acertou com a Polícia Federal a criação de uma força-tarefa para investigar a autoria e motivação dos homicídios registrados na última semana, principalmente nos municípios da Grande Vitória. A hipótese de que policiais da ativa ou da reserva estariam por trás de algumas dessas mortes motivou a ação da Secretaria.

“Isso não está descartado. E há um grupo investigando exatamente esses crimes que aconteceram nos últimos dias. E, se houver a participação de policiais, eles deixam de (ser) policiais e passam à categoria de bandidos. Serão tratados como tais”, afirmou Garcia, em coletiva de imprensa realizada pela alta cúpula da pasta de Segurança Pública do Estado, na sede da secretaria, na manhã de sexta-feira (10).

O secretário não descartou, ainda, a possível participação de grupos de extermínio na onda de violência que eclodiu após o início da paralisação dos policiais militares, no último sábado. Questionado diretamente sobre esse eventual envolvimento, respondeu o seguinte:

“Eu não posso afirmar isso, porque não concluiu-se a investigação. Fica a cargo da investigação. Eu não posso afirmar que há grupos de extermínio, e não posso afirmar que tem militar em greve que está praticando esses crimes. Isso não é uma afirmação plausível, possível de ser feita neste momento”. Neste momento, ele fez uma breve pausa para enfatizar as suas palavras e emendou: “Neste momento”.

Indiciados

O secretário de Segurança Pública, André Garcia, disse nesta sexta-feira (10) que 703 policiais foram indiciados pelo crime de revolta ou motim.

Os PMs serão expulsos da instituição se forem condenados pelo crime de revolta, disse o comandante-geral da PM, Nylton Rodrigues, em entrevista à imprensa.

Esse crime é configurado quando os militares se reúnem, armados, ocupando quartel, agindo contra a ordem recebida de superior, ou negando-se a cumpri-la.

Na quinta-feira (9), 327 policiais militares tinham sido indiciados e, nesta sexta, foram mais 376. Somando os números, dá o total de 703 indiciados em inquérito policial militar.

Câmeras registram saques

Flagrantes registrados pelas câmeras da videomonitoramento da Guarda Municipal de Vila Velha mostram uma família dividindo os produtos saqueados de uma loja. Em outro vídeo, duas pessoas em uma bicicleta carregam sacolas com objetos furtados. Em outro flagrante, homens tiram a embalagem de um fogão e levam o produto nas costas.

Diálogos registrados pelo Ciodes

O Centro Integrado Operacional de Defesa Social (Ciodes) cancelou 7 mil ligações com pedidos de socorro na última semana. Sem polícia militar nas ruas, os pedidos não puderam ser atendidos.

O Fantástico teve acesso com exclusividade a alguns dos chamados. Veja abaixo:

Homem – Eu só médico…
Atendente – Sim
Homem – Quero saber o que vocês podem fazer pra gente. Nós ‘tamos’ ilhados aqui, e gente passando com fuzil aqui na mão.
Atendente – Como, senhor?
Homem – Bandido passando com fuzil.
Atendente – Entendi…
Homem – Mas pelo amor de Deus, tem paciente aqui internado, eles podem invadir aqui, matar paciente aqui no leito.

Atendente – Qual que é a emergência ?
Homem – Mais de dez vagabundos aqui em frente a minha casa, todo mundo altamente armado, tudo trocando tiro, dando um tiro no outro… Tô cheio de criança aqui dentro de casa aqui, tá dando muito tiro.

Homem é baleado e morre ao lado do filho

Na segunda-feira (6), um dos dias mais tensos da semana, Madson Chrizostomo estava no trabalho. O pai, Almir, de 61 anos, achou melhor ir buscar o filho. Os dois seguiam de carro por uma rua quando três assaltantes se aproximaram.

“Eles chegaram, apontaram a arma em cima. Quando meu pai acelerou, o cara pegou e atirou. Aí eu perguntei: ‘pai, te acertou?’ e ele só balançou a cabeça. Aí eu falei: ‘onde?’ e ele apontou as costas. Eu peguei e assumi o volante, porque o sinal estava aberto na principal, e ia bater um monte de carro na gente. Então eu peguei e joguei o carro num canteiro, e só um carro bateu na gente”, contou Madson.

“Parece mentira. Eu não acreditei não. A gente não conseguiu velar o nosso pai no dia. Meu pai teve que ficar na funerária, porque a gente não pôde, não tinha segurança. No enterro do meu pai, muita gente não foi, porque não tinha segurança, alguns parentes que moram distantes, a gente falou: não vem, porque vai colocar a vida de vocês em risco”, disse o filho.

A mãe de Almir lamenta a morte do filho. “Deixou uma saudade muito grande, para todo mundo, para as filhas, para a esposa, para os irmãos, para mim”, diz, chorando, Lourdes Chrizostomo.

Com G1 e Fantástico

 

Violência no ES leva à suspensão da circulação de trens entre Vitória e MG

Violência no ES leva à suspensão da circulação de trens entre Vitória e MG

Composições operam apenas entre BH e Governador Valadares; passageiros com bilhete comprado poderão remarcar a viagem ou pedir reembolso.

A Vale, operadora do trem de passageiros da Estrada de Ferro Vitória-Minas (EFVM), suspendeu ao menos entre esta quinta-feira, 9, e sexta-feira, 10, a circulação da composição no trecho que passa pelo Espírito Santo. O Estado enfrenta problemas de segurança por causa do motim da Polícia Militar, que já está em seu sétimo dia. Nesses dois dias, o trem operará apenas entre Belo Horizonte e Governador Valadares, na região leste de Minas Gerais.

A empresa afirmou, em nota, que a suspensão ocorreu “em função do cenário atual”. “A empresa tem avaliado diariamente o cenário ao longo da linha férrea visando a garantir o atendimento aos passageiros”, informou o texto.

Passagens. Os passageiros com passagem comprada para o período poderão remarcar o bilhete ou pedir reembolso, o que pode ser feito nas estações do trem ao longo do trajeto, no prazo de 30 dias. O Vitória-Minas é o único trem de passageiros de longa distância com operação diária em funcionamento no País.

Entenda a crise no Espírito Santo

Familiares e amigos de policiais militares no Espírito Santo começaram, na noite de sexta-feira, 3, a fazer manifestações impedindo a saída das viaturas para as ruas e afetando a segurança dos municípios. Sem reajuste há quatro anos, os PMs reivindicam aumento salarial e melhores condições de trabalho.

O motim dos policiais levou a uma onda de homicídios e ataques a lojas. Com medo, a população passou a evitar sair de casa e donos de estabelecimentos fecharam as portas. Os capixabas já estocam comida.

Na segunda-feira, 6, a prefeitura de Vitória suspendeu o funcionamento das escolas municipais e de unidades de saúde.

Também na segunda, o governo federal autorizou o envio da Força Nacional e das Forças Armadas para reforçar o policiamento nas ruas de cidades do Espírito Santo. Apesar do reforço, o clima de tensão se manteve no Estado.

A morte de um policial civil na noite de terça-feira, 7, motivou uma paralisação da categoria na quarta, agravando ainda mais a crise de segurança no Espírito Santo.

Para tentar conter o motim, o governo criou na quarta-feira, 8, um comitê de negociação com representantes do movimento que impede a saída de policiais militares dos batalhões das principais cidades do Estado.

Fonte: oestadão