Vítima de espancamento em Araruama vai processar responsáveis por divulgar boato

Assustada, ela e o marido, Luiz Carlos Ferreira, não voltaram para casa, no bairro Mutirão, preferindo dormir num local afastado.

Pamella Martins, de 20 anos, uma das vítimas do espancamento, em Araruama, na Região dos Lagos, no Rio, por causa de um boato que circulou no WhatsApp dizendo que estava sequestrando crianças na cidade, afirmou que vai processar os responsáveis pela divulgação dos mentiras. Assustada, ela e o marido, Luiz Carlos Ferreira, não voltaram para casa, no bairro Mutirão, preferindo dormir num local afastado. Na ocasião, ela estava acompanhada do comerciante Luiz Aurélio de Paula, de 60 anos, com o qual fora tratar de uma proposta de emprego.

Abalada, dolorida e reclusa, com medo de retaliações, a vítima do boato agradece a Deus por não ter morrido. Ao EXTRA, ela contou que “será difícil responsabilizar a maioria” entre os que apoiaram a agressão e compartilharam o boato. Mas vai acionar a Justiça contra uma mãe que teria sido a pivô da mentira. Segundo Pamela, foi essa pessoa, ainda não identificada, que acusou Luiz Aurélio de tentar sequestrar seu filho.

— Quero correr atrás dos meus direitos com a mãe, com os parentes da criança. Em rede social, ela afirmou que fomos eu e o Aurélio. Me mandaram um print dessa publicação dela. Agora ela excluiu o Facebook. Muitas pessoas postaram as fotos, mas hoje a maioria apagou, então não tenho muitas provas — explicou Pâmella, que teve o celular roubado durante a confusão.

Fonte: extra.globo

Anúncios
Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Participe do debate. Deixe seu comentário